30 filmes (sem super-heróis) pra você ver em 2018 | Judão

Do bigode do Superman ao Scarface de Schrödinger, demos aquela escapada das grandes franquias pra recomendar alguns filmes que chegam aos cinema sem 2018

Um ano se encerra, outro se inicia, e como sempre o que não falta são páginas de memes compartilhando calendário de lançamentos no Cinema em 2018, com tudo que é data de filme da Marvel, DC ou outras grandes franquias populares.

Mas e os OUTROS grandes filmes que o ano novo nos reserva? Quais serão os principais lançamentos de 2018 que merecerão, por um motivo ou outro, seu suado dinheirinho? Senta aí, abre os olhinhos e começa a rolar essa barra de scroll para baixo para confere nossa lista... :)

Sobrenatural: A Última Chave

Com um encontro marcado para 18 de Janeiro com o público brasileiro, o quarto filme da saga Sobrenatural – mais um ilustre exemplo do toque de Midas de Jason Blum – volta a acompanhar a ~doutora paranormal Elise Rainier (Lin Shaye) em um novo caso demoníaco, agora muito mais pessoal: uma assombração que reside em sua casa de infância, no Novo México. Segundo o próprio Blum, a promessa é que o filme explore mais a fundo “o que é o além”, fortalecendo um dos aspectos mais interessantes da franquia até aqui.

O Homem das Cavernas

Antes dos estadunidenses da Laika baterem o pau na mesa e revolucionarem o que entendíamos por stop motion na sétima arte, foram os britânicos da Aardman que estabeleceram o padrão áureo para a técnica com Fuga das Galinhas. Agora, depois de mergulharem no universo dos piratas com o subestimado Piratas Pirados, eles viajam à Idade da Pedra para contar a história de um homem das cavernas que, afastado de sua tribo, precisa adaptar-se à realidade da Era do Bronze para salvar seus amados – e, claro, com inúmeras referências à nossa própria época. O elenco original traz estrelas maiores como Eddie Redmayne e Tom Hiddleston, enquanto no Brasil ficamos com Marco Luque. Nos cinemas em 08 de Fevereiro.

15h17 – Trem para Paris

Opiniões políticas e comentários sociais infelizes à parte, Clint Eastwood é um baita diretor. Neste novo filme, o veterano mais uma vez penetra os anais (dsclp) do militarismo norte-americano para recriar a história real de tentativa de atentado terrorista a um trem destinado à Paris, impedido por três soldados do Tio Sam. Nada muito novo para o cinema frequentemente bélico dos EUA, exceto por uma polêmica e fascinante decisão: abrir mão de atores profissionais para escalar os próprios soldados em seus papéis. Se vai render boa coisa, ficamos ao aguardo, mas que por si só essa decisão já faz o filme valer uma conferida, ô se vale! Chega ao Brasil em 22 de Fevereiro.

Aniquilação

Com um roteiro hipnótico e surpreendente, Ex Machina: Instinto Artificial é facilmente um dos melhores filmes de ficção científica dos últimos 10 anos. Agora, o homem por trás desse brilhantismo todo, Alex Garland, coloca suas mãos na adaptação de um livro que mergulha em conceitos de química e biologia para contar uma história repleta de horror, mas sobre amor e humanidade. E com Natalie Portman e Oscar Isaac como protagonistas. O trailer fala por si só: taí um filme imperdível em 2018. Concorre com 15h17 pelo seu dinheiro em 22 de Fevereiro.

Operação Red Sparrow

O filme solo da Viúva Negra que tanto queríamos, só que protagonizado pela Mística. Ou quase isso. Jennifer Lawrence vive uma espiã russa (que também é bailarina e treinada em todas as formas possíveis e imagináveis de sedução e ASSASSINATO), que se envolve com um espião estadunidense (vivido por Joel Edgerton, aqui com 0 maquiagem de Orc) e passa a considerar se tornar uma agente dupla. Alto potencial para propaganda norte-americana? Sim, mas quem liga. Se JLaw estiver acordada no papel e pudermos vê-la chutando bundas, tá valendo. Estreia em 1º de Março.

Tomb Raider

Não há muito a ser dito sobre esse filme, que chega ao Brasil em 15 de março. Você sabe quem é a personagem, o que ela faz e o que esperar dela. Nos resta saber se, com a ganhadora do Oscar Alicia Vikander no papel de Lara Croft AND a inspiração nos aclamados jogos recentes da franquia, teremos uma raríssima adaptação de games que preste. Se não rolar, acho que já deu, né, Hollywood? ;)

Maria Madalena

Rooney Mara e Joaquin Phoenix dão de ombros às certeiras denúncias de whitewashing que virão com suas escalações para viverem, respectivamente, Maria Madalena e Jesus de Nazaré, neste novo filme do diretor Garth Davis (do aclamado Lion – Uma Jornada para Casa). E, ao julgar pelo primeiro trailer, isso deve ficar em segundo plano: eis aqui mais um exercício CINEMÁTICO na humanização e compreensão de uma das figuras religiosas mais importantes do planeta que, com certeza, irá revoltar os fieis mais tradicionalistas — mas que vale conferir pelo ângulo (quase) fresco dado à história do Cristo. Estreia em 22 de Março.

Uma Dobra no Tempo

Com um elenco estelar que tem até a Oprah, direção da poderosa Ava DuVernay e inspiração em um psicodélico e absolutamente alucinante romance dos anos 1960, a nova aposta da Disney tem praticamente as mesmas chances para surpreender quanto tem para decepcionar. E a gente só vai descobrir vendo no cinema mais próximo em 29 de Março.

Jogador #1

Adaptando um livro que para muitos é brilhante, para outros é pura exploração de nostalgia barata, esse filme chega às telonas também em 29 de março com toda a pompa que a marca Steven Spielberg (que assina a direção) traz. Mais ainda, é quase que um projeto passional do diretor — o que nos dá a esperança de que, assistido de cabo a rabo, teremos mais do que só o caça-referências culturais que os trailers nos têm vendido até aqui.

Nasce Uma Estrela

Terceiro remake de um clássico do cinema dos anos 1930, esse drama/romance/musical marca a estreia de Bradley Cooper na direção e de Lady Gaga como uma legítima protagonista hollywoodiana. Vai prestar? Não sabemos. Mas como quase tudo que se mete a fazer de diferente, Gaga tem tudo para mandar muito bem aqui. Nos cinemas em 17 de Maio.

Oito Mulheres e Um Segredo

Sejamos sinceros: ninguém assiste a filmes de grupo, necessariamente, pela história. A graça, na maioria das vezes, está em ver uma série de estrelas batendo texto em situações que consigam, pelo menos divertir — e parece que essa “versão feminina” de Onze Homens e Um Segredo tem todos os ingredientes para conseguir isso com louvor. Mais um da lista com Cate Blanchett, mas principalmente: um filme com a Rihanna que, pelo visto, não vai desperdiçá-la só numas cenas de troca de roupa. 07 de Junho nos cinemas daqui. ;D

Ilha de Cachorros

Vamos combinar: qualquer filme como o nome de Wes Anderson na direção já deveria entrar automaticamente em qualquer lista de OBRIGATÓRIOS, né? O homem que nos trouxe O Fantástico Sr. Raposo mergulha novamente no stop motion para contar a história de um Japão num futuro próximo, onde cães viraram uma praga urbana e acabaram isolados numa ilha. Nesse lugar, um jovem acaba perdido, encontrando nos caninos sua única esperança. E sendo muito bem centralizado em todos os takes, é claro. Chega latindo aos cinemas em 14 de Junho.

Sicario 2: Soldado

Com Sicario, Denis Villeneuve entregou uma aula na construção de tensão e expectativa no cinema. Previsto para dirigir aparentemente todos os filmes do mundo, o cara acabou de fora da direção dessa sequência, que deixará a policial vivida por Emily Blunt de lado e focará no assassino de BenEcio (risos) Del Toro e seus ESTRATAGEMAS com o governo dos EUA, representado por Josh Brolin. Se o filme irá preservar o estilo mais contido e lento de seu antecessor, ou mergulhar de cabeça na ação, só o diretor Stefano Sollima sabe. Pelo menos até o filme estrear, em 28 de Junho.

You Were Never Really Here

Mais um filme com Joaquin Phoenix que promete, essa mistura de O Profissional e Taxi Driver coloca o ~prolífico ator na pele de um veterano de guerra que ganha dinheiro resgatando mulheres presas como escravas sexuais. Incumbido de salvar a filha de um ricaço, ele acaba preso numa conspiração e se vê obrigado a embarcar numa grande matança para sobreviver. Pode não soar como um poço de originalidade, mas fez muito barulho em Cannes graças à direção precisa de Lynne Ramsay (do pesadíssimo Precisamos Falar Sobre o Kevin). Nada de data de lançamento no Brasil, por enquanto.

Cadê Você, Bernadette?

Quando não está dirigindo filmes que duram 10 anos, Richard Linklater está dirigindo filmes com duração normal que são igualmente excelentes (embora nem tão bons quando sua obra prima, Escola de Rock ;D). Em 2018, o diretor traz às telonas a adaptação do cômico livro homônimo, sobre uma menina incumbida de encontrar sua mãe desaparecida, que sofre de agorafobia (ansiedade extrema em situações e lugares desconfortáveis). O elenco estelar tem Cate Blanchett como Bernadete, o sempre competente Billy Crudup como seu marido, Elgie, além de Kristen Wiig, Judy Gree e Lawrence Fishburne. Também sem estreia marcada por aqui…

Mamma Mia: Lá Vamos Nós de Novo

Como muito bem já disseram Dave Grohl e Taylor Hawkins, dos Foo Fighters, em entrevista ao 60 Minutes: o Abba fez “o melhor pop do mundo” – e é nessa qualidade que essa sequência do musical de 2008, que chega às telonas 10 anos depois, aposta para encantar mais uma vez o público. A grande sacada, aqui, é mesclar o futuro e o passado do filme original para ir além de outra história sobre amor e família (e, sim, como todo o elenco original AND a diva-mor Cher), discutindo legado, memória e identidade de uma forma que promete emocionar ainda mais que o original. Já pode ir se preparando para cantar junto em 19 de Julho.

Missão: Impossível 6

Foda-se a mais nova missão do agente secreto Ethan Hunt, o lance aqui é conferir todo o garbo elegância e importância do bigode que fez com que Henry Cavill parecesse um viciado em filtros de Instagram Stories durante 70% de seu tempo de tela em Liga da Justiça. Estreia no dia 26 de julho.

Scarface

A data de estreia está marcada para 9 de Agosto, mas essa nova versão do conto de um imigrante que se torna mafioso nos EUA (com direito a roteiro dos fucking Irmãos Coen), que teria Diego Luna como protagonista e já contou com Antoine Fuqua e David Ayer como potenciais diretores, parece ainda não ter saído do papel. Se rolar, é obrigatória por motivos mais que óbvios, mas não se surpreenda se acabar adiada para 2019 (ou até terminantemente cancelada).

Predador

Bem antes de virar um baita diretor e roteirista em Hollywood, Shane Black atuou num pequeno filme chamado O Predador, com um atorzinho de nome Arnold Schwarzenegger. Mais de 30 anos e muitos filmes ruins com o alien depois, o cara toma as rédeas da franquia e promete devolver a dignidade ao “ugly motherfucker” com um filme que deve juntar alguma data especial a boas piadas, crianças espertas e heróis meio incompetentes, como todo bom filme de Shane Black faz. Nas telonas em 02 de Agosto.

O Protetor 2

Quando o assunto é ação, PURA AÇÃO, não tem ninguém melhor que o meu chapa John Wick. Mas, quando o amante de cachorros mais querido das telonas está de folga, um Denzel Washington full pistola chutando bundas sem perguntar nomes é a segunda melhor coisa que podemos ter: e eis que teremos, mais uma vez, nessa sequência para o filme de 2014. O diretor, Antoine Fuqua, abriu mão de dirigir o remake de Scarface só para se dedicar ao filme, então, MEUA MIGO, é de se esperar coisa muito boa chegando em 13 de Setembro.

Robin Hood

Quem precisa de mais uma adaptação de Robin Hood para as telonas? Nós sabemos que ninguém, mas como esta traz Taron Egerton como o nobre ladrão — e não um claramente de saco cheio Russell Crowe — pode valer sua atenção, nem que seja só para acompanhar o desenrolar da promissora carreira do menino Eggsy. Chega em 20 de Setembro ao país da CAIPRENHA.

Fighting with my Family

Filmin mais que empolgante para os fãs de LUTINHAS (OIBÓ! <3), essa dramédia é inspirada na vida de Saraya (nos ringues, Paige) que saiu duma família de lutadores para integrar o hall de grandes nomes da WWE (em meio àquelas boas tretas familiares de sempre). Escrito e dirigido pelo brilhante Stephen Merchant, tem um time classe A de atores (Vince Vaughn, Lena Headey, Nick Frost) além de participação confirmada de ninguém menos que Dwayne Johnson. Só não tem data de lançamento no Brasil. Ainda.

Johnny English 3

O primeiro já pode ser considerado um clássico cult, repleto de piadas absolutamente brilhantes (o retrato falado é impagável) e com um Rowan Atkinson no auge. E, enquanto o segundo pode não atingir o mesmo nível de seu predecessor, acho que o mundo pode sempre se beneficiar de um pouco mais de risos — então que venha a terceira (e provavelmente final) aventura do pior espião a serviço secreto de Sua Majestade. Estreia em 4 de Outubro.

Halloween

Danny McBride ignora tudo que veio depois do Halloween 2 de John Carpenter e resgata Jamie Lee Curtis da sua aposentadoria das telonas, com a promessa de devolver dignidade e terror a Mike Myers (não AQUELE, broto ;D). Será que vai rolar? No cinema em 18 de Outubro.

Mowgli

Fadado desde sua concepção a uma dura comparação com a adaptação de Disney dirigida por Jon Favreau (que, descobrimos depois, é provavelmente a melhor adaptação live action – ou quase – de uma animação 2D já feita pelo rato de luvas), esse hercúleo esforço de Andy Serkis em adaptar a história original do Menino Lobo por meio de motion capture quer se diferenciar com duas coisas: o título e uma pegada mais adulta. Na moral, sendo bom, vai dar certo. Descobriremos também em 18 de Outubro.

Creed 2

Vou ser bem sincero: quando parecia que seria dirigido e escrito por Sylvester Stallone, focando numa bizarra luta entre Adonis Creed e o filho de Ivan Drago, esse filme me assustava terrivelmente. Agora, com a entrada do diretor Steven Caple Jr., talvez possamos ter mais esperança que essa continuação da história do personagem de Michael B. Jordan e de Rocky possa ainda preservar o frescor que só um jovem diretor negro como Ryan Coogler poderia ter injetado na franquia. De qualquer forma, merece nossa atenção quando estrear. Seja lá quando isso for, aqui no Brasil…

Máquinas Mortais

Num horrível futuro distópico, as cidades são enormes veículos populados por milhares de pessoas, que atravessam o que restou do planeta em busca de cidades menores para comer. Achou bizarro? Você não sabe nem o começo do que essa insana adaptação dos livros homônimos, produzida por Peter Jackson, promete. Chega com alta octanagem em 13 de Dezembro às telonas.

Mary Poppins Returns

Com tudo pra ser o filme que vai abraçar você e toda a sua família ao final de um ano que promete dar ainda mais trabalho aos roteiristas de House of Cards, essa continuação da história de Mary Poppins (imortalizada por Julie Andrews e, agora, trazida de volta com Emily Blunt) é um dos mais ambiciosos projetos da Disney em seus mergulhos nostálgicos dos últimos anos – e, curiosamente, um dos mais apropriados para esses tempos obscuros que vivemos. Ponto ainda maior por contar com a presença do gênio Lin-Manuel Miranda. Chega como presente adiantado de Natal, em 20 de Dezembro.

Bohemian Rhapsody

Tretas com protagonistas em potencial, problemas com o roteiro e até demissão de diretor integram a ficha corrida dessa cinebiografia de Freddie Mercury e da Queen. Agora, vamos falar a real: ainda é uma cinebiografia de Freddie Mercury e da Queen – logo, estaremos lá para conferir (e você também deveria). Nas telonas em 27 de dezembro.

Holmes and Watson

Depois de tantas adaptações para TV (três) e cinema (duas) nos últimos anos, como manter o clássico Sherlock Holmes interessante para o #GrandePúblico? Chame um Coen, Will Ferrell, John C. Reilly e Rebecca Hall para transformar as aventuras do detetive britânico numa bela duma comédia. De longe, um dos filmes que mais prometem em 2018 — se não estivesse previsto para chegar ao Brasil só em 24 de Janeiro de 2019. ¯\_(ツ)_/¯

Vale registrar, ainda, as menções honrosas mais que válidas para outros filmes que merecem a sua GOOGLADA, como: As Aventuras de Paddington 2, Proud Mary, Humor Me, Winchester, Game Night, Final Portrait, Chappaquiddick, Boy Erased, Bad Times at the El Royale e First Man.

Ufa! Feliz Filmes Novos! :D