Achou que não ia ter filme do Netflix em Cannes? | JUDAO.com.br

Serviço de Streaming não levou nada pra ser exibido (e comentado) por lá… Mas isso não significa que não esteve por lá nem que vai sair de mãos abanando

Vamos para mais um capítulo da novela Netflix VS. Cannes?

Depois de toda a polêmica envolvendo a exigência de os filmes precisarem estrear no cinema francês, o Festival de Cannes começou oficialmente no dia 08 de Maio. A presença do Netflix em praticamente todos os festivais já é comum na indústria, portanto não seria uma surpresa a empresa estar presente no Festival FAZENDO NEGÓCIOS. E foi exatamente o que aconteceu.

Segundo o Hollywood Reporter, o serviço de streaming comprou os direitos mundiais da animação Next Gen – com apenas a China excluída do negócio, já que o serviço não funciona no país. O acordo valeria U$30 milhões e seria o primeiro contrato fechado do Netflix em Cannes, após a tentativa de compra de Everybody Knows, filme de abertura do Festival adquirido pela Focus Features.

Next Gen é dirigido pela dupla Joe Ksander e Kevin Adams e conta com as vozes de Charlyne Yi, David Cross, Jason Sudeikis, Constance Wu e Michael Pena.

O que torna essa notícia curiosa é a briga entre o Netflix e Cannes – que se acirrou nos últimos meses depois de Cannes anunciar que os filmes do Netflix não seriam elegíveis para a competição, então a empresa retirou seus filmes de qualquer evento relacionado ao Festival. Mas isso não significa que uma das empresas mais valiosas do mundo simplesmente deixou o Festival, já que enviou sua habitual equipe de aquisição para comprar filmes que estão por lá sem um contrato de distribuição. Isso quer dizer que a empresa não levou os SEUS filmes para a competição, mas pode COMPRAR qualquer filme que esteja por lá.

O próprio diretor de conteúdo do Netflix, Ted Sarandos, comentou sobre a ironia envolvendo essa situação em uma entrevista para a Variety: “Teremos pessoas lá que estão no negócio de adquirir filmes, porque muitos filmes estarão sem distribuição.”

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Antes do início do Festival, o CEO do Netflix, Reed Hastings comentou durante seu discurso na Series Mania Festival, na França, que a empresa entrou em uma situação mais difícil do que eles pretendiam com o Festival de Cannes. “Não estamos tentando atrapalhar o sistema de filmes; estamos tentando fazer nossos membros felizes. Fazemos nosso conteúdo para eles.”

Segundo Hastings, a empresa não tentará competir ou exibir seus filmes no Festival, porque o interesse do Netflix não é PERTURBAR o setor cinematográfico, mas produzir bons materiais. Ele ainda completou que as discussões do serviço de streaming com o Festival continuam acontecendo.

Apesar de uma briga muito pública, não é interessante para nenhum dos lados um banimento total. Essa retirada dos filmes do Netflix não influenciou nos futuros negócios da empresa, já que eles continuam fechando contratos em terras francesas. Se a ideia era diminuir a força do gigante de streaming, não adiantou muita coisa.

Mas, se a ideia era discutir sobre o papel do Netflix no setor cinematográfico, parece que algumas mudanças de postura começaram a acontecer.