A ascensão e queda de Roseanne | Judão

Uma temporada, já devidamente marcada por polêmicas, foi o suficiente para a ABC, que resolveu cancelar seu maior sucesso atualmente por conta de posts racistas da própria Roseanne Barr, protagonista e TÍTULO da série

Em Outubro de 1988, a ABC estreou Roseanne, uma sitcom sobre uma família americana que trazia como protagonista a EXPOENTE comediante de stand-up Roseanne Barrs. Durou 9 anos, 222 capítulos e o elenco levou alguns prêmios como Globo de Ouro como Melhor Série Musical ou Comédia e alguns outros.

Em Abril de 2017, surgiu a notícia de que o seriado, tal qual tantos outros, ganharia uma nova temporada. Mesmo elenco, cenário e a ideia de que “a nova realidade política do nosso país vai render boas piadas”, de acordo com a própria Roseanne — que, em uma entrevista coletiva, comentou que sua personagem seria uma eleitora de Trump, já que sentia que a parcela da população trabalhadora americana que era a favor dele NUNCA era representada. Bem, nenhum CRIME até aí, né?

Em Março de 2018, o primeiro episódio foi transmitido com uma PUTA de uma audiência de mais de 27 MILHÕES de espectadores e algumas piadas sobre poder discordar politicamente de gente ao seu redor sem perder a amizade. Os números continuaram bons, a série foi renovada, mas Roseanne resolveu colocar tudo a perder de um dos piores jeitos possíveis: em seu Twitter, comparou a aparência de Valerie Jarrett, conselheira de Barack Obama, a de um macaco, e associou suas escolhas políticas com a Irmandade Muçulmana, grupo islâmico radical frequentemente ligado a manifestações violentas.

AÍ alguns seguidores apontaram o racismo em sua fala e ela respondeu apenas que “muçulmanos não são uma raça”. E depois de alguns minutos (e provavelmente algum puxão de orelha de sua assessoria), Roseanne resolveu dizer que estava arrependida: “Eu quero pedir desculpas à Valerie Jarrett e todos os americanos. Eu realmente sinto muito por ter feito uma piada ruim sobre suas ações políticas e aparência. Eu deveria ter pensado melhor. Me perdoem – minha brincadeira foi de mau gosto.” Ela, depois, disse que estava saindo do Twitter — onde vinha causando polêmica há algum tempo, já.

Hoje em dia praticamente todos os grandes portais e grupos de mídia do Brasil cobram pra que você possa ler seus conteúdos. O JUDAO.com.br continua produzindo conteúdo de graça pra todos, de forma independente, em diversas mídias, e vai fazer isso pra sempre. Mas não tá fácil pra ninguém.

Nunca o JUDAO.com.br foi tão lido em toda sua história, mas anúncios estão desaparecendo, o Facebook não deixa ninguém sair de lá e nós dependemos cada dia mais dos nossos leitores, ouvintes e espectadores pra financiar a produção de todo esse conteúdo sobre cultura pop que é bem raro na internet Brasileira. Se todo mundo que gosta, compartilha e/ou comenta contribuir, o nosso futuro estará garantido. Vamo?

Conheça nosso projeto e assine a partir de R$10 / mês. :)

Depois dessa BELA MERDA, Sara Gilbert, colega de elenco de Barrs, afirmou que “os recentes comentários de Roseanne para Valerie Jarrett, e muitos outros, são repugnantes e não refletem as crenças de nosso elenco, equipe ou de qualquer um envolvido com o programa. Estou desapontada com suas ações para dizer o mínimo”; já Wanda Sykes, produtora-consultora da série, avisou que, pra ela, o limite havia chegado. “Eu não vou voltar para @RoseanneOnABC”, referindo-se a nova temporada que estava em produção.

Algumas horas mais tarde, então, foi a hora da ABC se pronunciar, informando a todos que a série havia sido cancelada. Channing Dungey, presidente da emissora, afirmou que “sua declaração é abominável, nojenta e inconsistente com nossos valores”. E mais: a ICM Partners, grupo que fazia a sua assessoria, comunicou que não a representa mais por não permitirem comentários “infelizes e inaceitáveis”.

Foi BEM bom ver uma manifestação dessas ganhar punição, ainda mais de um jeito tão rápido — provavelmente não veremos Roseanne voltar à mídia tão cedo, esperamos que nunca mais. Dá até uma esperança de que as coisas poderiam ser melhores se a gente tratasse todo mundo que acha que ofensa é piada mais ou menos assim, né? :)