Você só se fode em Star Wars Battlefront por culpa do Despertar da Força | Judão

A boa notícia, porém, é que isso deve ser corrigido no próximo jogo :P

Sou dessa outra geração de videogames na qual a internet era essencialmente um monte de papel preso por dois grampos, tudo bem colorido, que costumavam chamar de “revista”. E e-mail naquela época era de papel também e a resposta imediata pra uma dúvida sobre um jogo podia demorar um mês ou mais pra chegar... Quando chegava.

Naquela época a galera ODIAVA assistir a outros jogando, as palavras “sou o próximo” faziam mais parte do nosso vocabulário. Rage quit era quando alguém quebrava (ou tentava) um controle, não o QUE FAZ alguém querer quebrar um controle. Outros tempos, em que você podia ser um completo idiota jogando videogames que tudo bem. Não havia nenhum tipo de pressão pra que se fosse bom — e se não fosse, não é como se você fosse aprender mais sobre respawn do que qualquer outra coisa.

Por tudo isso, Star Wars Battlefront foi uma decepção pra mim. É legal jogar com bonequinho herói ou um vilão... Mas, sempre online, sempre contra outras pessoas, é só uma maneira de ter mais chances de matar outras pessoas ou, principalmente, morrer menos. Rebelde ou Stormtrooper normal beira o insuportável — e nem dá direito pra customizar a experiência, já que é necessário ser realmente bom pra conseguir pontos e trocar por novas espécies, armas e etc.

Sem um modo campanha, preferencialmente solo e/ou offline, Star Wars Battlefront nos tirou a graça de se perfazer de herói ou vilão. De se empolgar DE VERDADE por pilotar a Millenium Falcon ou usar a Força pra enforcar a escória rebelde. Não demorou mais do que duas semanas pra eu desencanar completamente do jogo e poucos meses pra deletá-lo do meu videogame, dando espaço pra coisas mais interessantes como Saints Row IV.

E tudo isso por conta O Despertar da Força.

“Foi uma decisão consciente que nós tomamos por conta do tempo de conseguir lançar o jogo junto com o filme, pra conseguir o maior impacto possível” afirmou Patrick Söderlund, chefão da EA, em comunicado aos investidores. Em outras palavras, não daria tempo de lançar o jogo e o filme juntinhos se tivessem resolvido criar um modo campanha. Mas a parte boa é que, agora que Star Wars voltou a ser realidade nos cinemas do mundo, o próximo Battlefront talvez valha realmente a pena ser adquirido e apreciado por pessoas como este que vos escreve. “Star Wars Battlefront saiu, mas nós fomos criticados pela profundidade e amplitude do jogo. Então ao tentar entender a razão, tivemos de voltar e corrigir o curso pra outra versão, se a gente fosse construir outra”.

Bom, a sequência desse Battlefront já está prometida para o ano que vem e, de acordo com a EA, terá mundos “maiores e melhores” baseados nos novos filmes, e não apenas da trilogia original.

Aguardemos a E3 pra possíveis novidades, pois. :)