Ben Affleck sobre ser o Batman: ¯_(ツ)_/¯ | Judão

Assim como no painel da Comic-Con, ator não negou que a Warner queira substituí-lo. Só disse que ELE quer continuar no papel.

A internet entrou em POLVOROSA quando os caras do Hollywood Reporter vieram com a notícia, na sexta-feira (21), de que seu futuro como Batman estaria ameaçado. A notícia era literalmente que, embora o chefão Toby Emmerich e o diretor Matt Reves (de The Batman) tenham negado, a Warner estaria com planos de tirar o Batfleck de circulação, “graciosamente”, inclusive abordando a situação na trama dos filmes.

Depois de afastá-lo da direção e de descartar o seu roteiro para a nova aventura do Homem-Morcego, começando tudo do zero, até que faria sentido.

Em nenhum momento a fonte do THR, contudo, disse que a intenção seria tirar Affleck e meter outro Bruce Wayne no seu lugar, como se nada tivesse acontecido. E se, como eles afirmam, a ideia seria inclusive tornar este “afastamento” uma coisa natural, dentro da história, talvez ele pudesse se transformar num mentor, o “cara da cadeira” — para um futuro substituto (Robin? Batman do Futuro? Asa Noturna?) ou quem sabe até para a própria Liga, meio como é o Caçador de Marte lá na sala de controle da Torre da Liga.

É basicamente um afastamento, pra colocar o cara meio debaixo do tapete, saindo da linha de frente e tornando-o, talvez, um Nick Fury, talvez preocupados com a idade do ator para as cenas de luta muito intensas do Morcegão.

A gente até falou sobre o assunto AO VIVAÇO no Borbs Show deste sábado (22), lá no finalzinho.

Pois bem. Uma galera ficou PUTAÇA, talvez até aquela mesma galera que diz que Batman VS. Superman é um bom filme, dizendo que era um absurdo, que o Ben AFfleck jamais se afastaria do papel — sendo que, vamos lá, ninguém disse isso, mas sim que ele seria afastado PELA Warner, o que é uma situação bem diferente.

Aí, claro, o Benzão não deixou barato e, no painel da Warner, quando a Liga da Justiça subiu ao palco, abordou diretamente o assunto. Quer dizer... QUASE. “Deixem eu ser claro aqui: sou o cara mais sortudo do mundo. O Batman é a parte mais legal de qualquer universo, DC, Marvel. É incrível. Estou empolgado pra fazer isso”, afirmou, antes mesmo do moderador Chris Hardwick finalizar a pergunta. “Eu sei que rolou uma confusão a respeito disso quando anunciaram que eu não dirigiria, uma história de que eu não estaria empolgado. Mas é muito ducaralho. Ainda não consigo acreditar que fiz dois filmes e que tenho esta grande história com o estúdio”.

Tá bom, gente. Percebam que aqui, em NENHUM MOMENTO, ele negou os rumores. Ele não disse “não, não estou saindo e/ou estou sendo substituído e/ou estou sendo colocado de lado”. Na real, ele só reforçou que gosta do personagem e que a história de que ele estaria de saco cheio não é verdade. Mas, voltemos ao primeiro parágrafo: esta NÃO foi a notícia do THR. Mas não terminou aqui. Porque, depois que o painel acabou, Ben Affleck bateu um papo com a Entertainment Weekly a respeito do tema.

“Meu status permanece o mesmo de antes”, explica o astro. “Eu fiz dois filmes (BvS e Liga da Justiça). Eu sempre quis fazer um terceiro se os Warners quiserem fazer. Certamente, se o batfone tocar, eu vou atender”. Então, Affleck volta a falar sobre o seu afastamento da cadeira de diretor. “É um trabalho imenso, em termos de todas as cenas de ação com o traje. Tentar fazer isso e dirigir, provavelmente, seria coisa demais. Algo ficaria comprometido. E acho que isso levou pro mundo a mensagem de que haveria alguma falta de interesse ou entusiasmo da minha parte, quando eu amo o personagem”.

Bom, apenas recapitulando, atentem BEM para a frase “eu sempre quis fazer um terceiro se os Warners quiserem fazer”. Ou, para bom entendedor: “enquanto eles me quiserem, eu tô aqui”. Isso invalida o que o THR reportou na sexta? NO WAY.

O futuro do Homem-Morcego ainda pertence aos Warners. Que agora, inclusive, têm uma oportunidade criativa graças a um certo filme de um certo velocista escarlate... ;)