Desenho infantil Arthur apresenta seu primeiro casamento gay e isso é incrível | JUDAO.com.br

E de um jeito fofo, simpático e principalmente NATURAL. Como tem que ser.

Se você cresceu assistindo programas infantis na TV Cultura, provavelmente deve lembrar do desenho Arthur. Baseada na série de livros Arthur Adventure, escrita e ilustrada por Marc Brown, a animação gira em torno do garoto Arthur Read, um porquinho da índia antropomórfico de oito anos morador da cidade americana fictícia Elwood City.

Recomendada para crianças entre quatro e oito anos, Arthur aborda questões importantes para crianças nessa fase de crescimento, como relacionamento com familiares e amigos, além de falar sobre dislexia, asma, diabetes, câncer e autismo. Todos esses temas servem para apresentar para as crianças pessoas com personalidades, vidas e interesses diferentes.

Pois eis que a série, produzida desde 1996, recentemente mostrou o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Intitulado Mr. Ratburn e o Alguém Especial, o episódio mostra que Arthur e as crianças da escola ficam intrigados com o fato do seu professor ter uma vida fora da escola. Quando as crianças descobrem que o Sr. Ratburn está prestes a se casar, elas decidem investigar para descobrir quem é a noiva, achando a princípio que se trata da ratinha Patty.

Mas, então, descobrem que é um noivo — no caso, um apaixonado por chocolate. “Sim, este é um mundo novinho em folha”, diz a amiguinha de Arthur, Francine, arrancando sorrisos de todos os estudantes que vão à cerimônia de ENLACE do professor e ficam muito felizes ao vê-lo tão apaixonado.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Esta não é a primeira vez que o universo de Arthur explora o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Em Postcards from Buster – spin-off estrelado pelo melhor amigo de Arthur, um coelho de oito anos chamado Buster Baxter -, um casal de lésbicas aparece no episódio Sugartime! de 2005. Naquela época, a secretária de educação dos EUA Margaret Spellings denunciou o programa, obrigando a PBS a não exibir o episódio, apesar de algumas afiliadas da emissora transmitirem o episódio mesmo assim.

Em um comunicado enviado à People Magazine, a rede de televisão PBS afirmou que é importante mostrar a tal da diversidade deste novo mundo para as crianças. “Os programas da PBS KIDS são projetos para refletir a diversidade das comunidades em todo o país. Acreditamos que é importante representar a grande variedade de adultos na vida de crianças que procuram diariamente o PBS KIDS”, disse um representante da rede.

Com a internet explodindo (de ambos os lados, diga-se) com a novidade, o próprio Brown disse que começou a ler alguns comentários positivos e isso o fez se sentir bem. “Seja tratando de asma, estando em uma família monoparental, dando boas-vindas a um irmão adotivo ou imaginando como reagir quando um adulto é diagnosticado com câncer ou Alzheimer, o objetivo do programa sempre foi refletir a realidade do que as crianças estão passando”, afirmou o criador.

“Com Arthur, temos a oportunidade de lidar com todos os tipos de personagens. Entramos em suas vidas e queremos ver como eles estão conectados com suas famílias”, completou, acrescentando que os personagens do desenho são inspirados em pessoas que ele conheceu enquanto crescia.

A melhor forma de conviver com as diferenças é conhecê-las e respeitá-las. Mostrar para crianças que existem pessoas de todas as formas pelo mundo é prepará-las para se tornarem mais tolerantes com o próximo. E é isso que Arthur fez, ao celebrar o amor de maneira leve, simples e direta. Como tem que ser.