Justice Smith, de Detetive Pikachu: “nunca imaginei que estaria nesse ponto da carreira com a minha idade” | JUDAO.com.br

O protagonista humano de Detetive Pikachu esteve no Brasil no fim de 2018 e conversou com o JUDAO.com.br sobre suas impressões, sua história com os jogos e como foi contracenar com uma bolinha de tênis. :P

Detetive Pikachu é um daqueles azarões do cinema. Quando soubemos sobre sua produção, história, voz do Pikachu sendo a mesma do Ryan Reynolds e vários outros detalhes, tudo parecia apontar para um fracasso típico de adaptações de videogames para o cinema. Street Fighter, Resident Evil, Mortal Kombat, Super Mario Bros e até mesmo as animações anteriores de Pokémon foram ou medianas ou bem, BEM ruins mesmo.

Mas, aí… aí veio o trailer do filme. E com ele, um sentimento de que TALVEZ o longa não seja o novo Vingadores: Ultimato, mas que também não seria tão desastroso como os outros citados acima. Detetive Pikachu parecia divertido! Intrigante! Com cara de quem não estava se levando tão a sério. E aí, meus amigos, EMPOLGOU.

“Queria muito brincar de faz-de-conta mesmo!”, afirmou Justice Smith, o protagonista humano do filme, que esteve no Brasil em 2018 e falou com o JUDAO.com.br sobre seu trabalho e deu detalhes dos bastidores da produção. “Nunca imaginei que estaria nesse ponto da carreira com a minha idade”, completa o ator de 24 anos, que sempre sonhou seguir a profissão mesmo se não fizesse sucesso. Um sucesso que, inclusive, o surpreendeu assim que ele pisou no Brasil. “Fiquei surpreso com a quantidade de pessoas que adorou The Get Down por aqui. Todo mundo vem me falar sobre isso! Fico muito feliz!”.

Mas surpreendente mesmo, porém, foi a experiência atípica de interagir com um personagem imaginário em cena — afinal, este papo de ter uma conversa genuína com um homem em um macacão verde segurando uma bola de tênis foi um desafio bem grande. “Já é difícil contracenar com outro ser humano, né? Dá bastante trabalho!”, conta. “Uma história que conto bastante é de quando entrei em cena e vi apenas uma lâmpada pendurada, um banquinho e toda a equipe atrás das câmeras, pronta para começar a gravar, pensei na hora: ‘eu pareço uma pessoa maluca falando com o ar’!”, brincou. Mas Justice afirmou ter ficado contente com o resultado: “assisti ao produto final e senti que ficou bom”.

Boa parte do sucesso de sua dinâmica com os personagens foi o papo que teve com Ryan Reynolds um tempinho antes de começar o projeto. “Ryan conversou comigo e combinamos tudo. Passamos por todo o texto, procurando nossa dinâmica e combinando nosso humor. Ele é um gênio da comédia! E eu aprendi muito com ele. Foi muito bom conhecê-lo”.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

O projeto, segundo Justice, começou como qualquer outro. O ator foi chamado pelos produtores e conheceu a ideia de representar pokémons de maneira hiperrealista, como animais de verdade. “Aquilo explodiu minha cabeça. Eu sempre fui fã da série animada e dos jogos e aquilo era exatamente o que eu imaginava quando criança! (...) Um dos primeiros jogos que tive no meu Gameboy Color foi Pokémon Gold. Joguei também uns mais obscuros, como Pokémon Snap, e era incrível!”, contou animado. “Inclusive, meu personagem favorito é o Totodile”.

Como fã, ele disse que se sente emocionado em estar no filme. “Tô tentando viver um dia de cada vez, aproveitando o momento. Mas significa muito pra mim estar envolvido em algo que gosto tanto – e esperar que o público também goste. Fazer parte disso é um sonho realizado”.

Apesar de ser tão familiarizado com os personagens, ele não conhecia a história do JOGO Detetive Pikachu, lançado em 2018, e confessou que também ficou com um pezinho atrás antes de ver tudo. “Eu entendo aquela primeira hesitação dos fãs. Mas a reação alegre de boa parte das pessoas depois de ver o trailer foi muito parecida com a que eu tive”.

Justice Smith no set de Detetive Pikachu

Quando perguntado sobre qual pokémon ele gostou mais de ver em sua versão live action, ele riu. “Não posso falar sobre meu favorito, não posso dar esse spoiler! Mas digo que achei o Mr. Mime muito intrigante. Um pouco perturbador, mas tão legal! E vejo que a maioria das pessoas não achou nada muito ruim. Todo mundo parece estar com vontade de entrar nesse contexto e ver qual personagem teria pelos, penas, pele… é bem divertido!”.

Mesmo que você não seja um graaaande conhecedor da história do Universo Pokémon, Justice TE GARANTE que você também vai se divertir. “Existem detalhes para os fãs, claro, eles vão adorar. Mas qualquer pessoa pode acompanhar e entender tudo, o filme tem uma narrativa bem resolvida em si”. Bem… se Justice Smith falou, TÁ FALADO.

Ele pareceu ter sentido tanta alegria e se divertido tanto no processo que é impossível não acreditar nele, que espera que The Last of Us vire filme também.

Detetive Pikachu estreia dia 9 de maio, mas você já pode ler nossa resenha aqui. :D