Disney e Netflix mudarão o futuro da TV paga a partir de Setembro | Judão

Star Wars, Marvel, Pixar e tudo o que o Mickey Mouse fizer no cinema a partir de agora não vai mais ser exibido em TV por assinatura, SÓ no serviço de streaming

O CCO Ted Sarandos confirmou: a partir de setembro, a única maneira de assistir a qualquer filme da Disney em casa, sem usar uma mídia física/pagar pelo seu download ou esperar anos pela exibição na TV aberta, será o Netflix. Todos os filmes da Walt Disney Studios, LucasFilm, Marvel e Pixar que estrearem no cinema vão aparecer rapidamente no serviço de streaming e não mais em canais pagos como a HBO, por exemplo. E isso tudo, claro, nos EUA.

O anúncio é bem representativo. Não pelo fim daquelas famosas janelas, mas por uma reposição do Netflix nesse jogo de cartas marcadas. Até hoje, um filme da Disney, nos EUA, sai do cinema e aí vai pra home vídeo (DVD, Blu-ray e plataformas como o iTunes), pay-per-view, pra, aí sim, entrar na programação do canal pago e no serviço de streaming da Starz. Só depois a produção pode ganhar outros canais pagos, mas isso se o próprio Starz quiser revendê-la. Lá no fim da linha, depois de anos, chega a TV aberta.

Até o começo de 2012, havia um acordo justamente entre o Starz e o Netflix, com a primeira disponibilizando os filmes do Sr. Mouse para os assinantes americanos da segunda. Como esse contrato não foi renovado, passou a haver acordos pontuais, para poucos filmes (e mais antigos).

Isso acaba agora. Com o novo contrato, Netflix entra exatamente no posto que era ocupado pela Starz, recebendo os novos filmes de Marvel, Disney, LucasFilm e Pixar logo na primeira janela “de TV paga” – mesmo sem ser, na definição clássica, “TV paga”. E como é EXCLUSIVO, não vai ter outro canal pago ou streaming exibindo antes, ao mesmo tempo ou até DEPOIS do lançamento no serviço. Só se eles quiserem. E algo me diz que dificilmente vão querer. ;)

Capitão América: Guerra Civil

De acordo com Sarandos, esse novo ARRANJO (que foi assinado em 2012!) passa a valer a partir de setembro. Os filmes lançados em 2015, como Star Wars: O Despertar da Força, vão continuar com o Starz, mas o que já saiu nos cinemas em 2016 está garantido no Netflix. Sim, isso inclui Capitão América: Guerra Civil e Star Wars: Rogue One. Nada foi dito sobre o período de janela entre o lançamento na tela grande e no streaming, mas chutaria algo entre oito e nove meses.

Detalhe: apesar do Netflix atuar globalmente, não podemos dizer o mesmo da Disney e de outras empresas de entretenimento, que fecham acordos locais de distribuição. No Brasil, por exemplo, quem tem direito a primeira janela na TV paga é o Telecine, enquanto no resto da América Latina isso fica com a HBO. No entanto, é provável que Sarandos e a equipe de aquisição que a empresa tem Berverly Hills estejam empenhados em conquistar contratos do tipo em outros lugares — mas se conseguirem, deve demorar pra se tornar realidade. É só lembrar que levou três anos e meio entre a assinatura e a efetividade do acordo entre Disney e Netflix.

De qualquer forma, o Netflix segue firme e forte naquele objetivo de ter conteúdos exclusivos, como as séries originais, ou de terceiros que não estejam nos concorrentes diretos. Como falamos lá atrás, a ambição é ser menos uma TNT, mais uma HBO. E eles estão conseguindo.