O sucessor do Thor é a estrela de uma novela das Filipinas. Sérião. :D | JUDAO.com.br

É sério. Mas pode não ser assim tão sério. E tudo bem também, né. Mas vale lembrar que o Thor NÃO é necessariamente propriedade da Marvel… ;)

Já falamos algumas vezes, com diferentes convidados do Asterisco, sobre como é difícil fazer cinema de gênero (terror, ficção científica e afins) aqui no Brasil — mas também sobre como este tipo de iniciativa começa a se tornar cada vez mais comum no nosso cenário (?) de cultura pop. Só que se a gente lembrar BEM, foi a nossa TV que começou a flertar mais com este tipo de produção. De Que Rei Sou Eu? a Deus Salve o Rei, passando por coisas como Vamp, Os Mutantes: Caminhos do Coração e a cláááááássica Olho no Olho, a telinha foi mais vanguardista com produções locais de gênero do que a telona.

Mas cê tá achando que brincar com estes estereótipos é exclusividade da nossa cultura pop? Óbvio que não! Enquanto a Rússia foi lá e, com toda a pompa e circunstância, entregou ao mundo os seus próprios Vingadores nos cinemas, o mais popular canal de TV das Filipinas, a GMA Network, fez tal qual Globo e Record e anunciou uma nova série (ou seria novela?) a ser estrelada por... Victor Magtanggol. Este nome talvez não te diga nada, mas se contarmos que o jovem é nada menos do que o sucessor de Thor, o Deus do Trovão, bom, aí talvez as paradas fiquem mais claras.

O trailer/preview da recém-anunciada Victor Magtanggol, que estreou nesta segunda (30), segue abaixo mas, para vocês não familiarizados com a língua filipina, vou facilitar a sua vida (embora alguns pequenos trechos estejam em inglês, já que esta também é uma língua muitíssimo falada por lá): Victor, o personagem-título, é um cara de bom coração meio sem sorte na vida. Em busca de uma nova chance e, principalmente, se conectar com sua mãe há muito perdida, ele acaba cruzando o caminho de um sujeito de nome Magni (“Força”)... ninguém menos do que um dos filhos da famosa divindade nórdica que invocava tempestades com seu enorme martelo.

Um dos tesouros guardados por Magni, um medalhão pertencente ao seu pai, parece mostrar uma afinidade imediata por Victor, o que o leva a um martelo que atende pelo nome de Mjölnir. O trovejante pediu que ele ficasse guardado até o dia em que surgisse alguém... adivinha... digno. E quando Victor toca o artefato, então se torna o Hammerman, sua identidade secreta, defensor dos fracos e oprimidos (não por acaso, “magtanggol” quer dizer “defender” em filipino). Ele vai enfrentar ameaças como aquele meio-irmão do Thor que você sabe quem é e o oooooutro filho do Deus do Trovão, Módi enciumado por não ter sido selecionado para herdar o papel do paizão.

Pronto, agora você pode dar o play sossegado.

Tem raios e trovões, tem ação, tem Loki (com uma maquiagem bem interessante, confesso), Sif (o que diabos é aquele bichinho?), Asgard e até o Ragnarok, tem um romance meio Romeu e Julieta, tem o martelo que ninguém consegue erguer, tem umas armaduras suspeitas, umas perucas estranhas porém iradas e uns efeitos especiais de qualidade bastante duvidosa. Tem tudo isso e também uma galera obviamente pistolaça, acusando Victor Magtanggol de ser uma cópia de um certo Deus do Trovão que até bem pouco tempo tava caolho e teve que trocar o martelo por uma versão maior e mais ignorante. “Sabem por que o Thor tá nas Filipinas? Porque o Thanos foi parar lá. A luta vai continuar em outro território”, disse o mais bem-humorado, devidamente traduzido. O restante era ladeira abaixo, mas não vamos descrever em detalhes porque este é um site respeitoso e de família.

A edição filipina da revista Esquire também não poupou cacetadas. “Este ano estreou um pequeno filme independente, não sei se vocês sabem, chamado Vingadores: Guerra Infinita“, diz o texto publicado no site. “Não queremos estragar a trama, caso vocês queiram ver num pequeno cinema de bairro ou algo assim. Mas um dos personagens se chama Thor e ele se parece com Victor Magtanggol”.

A presidente do canal GMA, Annette Gozon, no entanto, rebateu o artigo diretamente e também veio a público pra defender a produção — dizendo que, assim como o Thor da Marvel, Victor é inspirado diretamente na mitologia nórdica. “Antes de ser um personagem dos gibis, Thor já existia na mitologia. Ele era um deus nórdico e, como tal, é domínio público”. Ela ainda levanta a bandeira de que, justamente por isso, tantos filmes e séries abordaram o Thor no passado, já que é possível fazê-lo sem infringir leis de direitos autorais. “Talvez fosse bom esperar o programa estrear para entender do que se trata”.

Olha só, vocês podem tirar o sarro que quiserem, a gente sabe que tem um quê de Malhação na coisa toda, tá tudo bem, mas a dona Annette tá certa não só sobre a coisa do “talvez valha a pena assistir antes de concluir que é uma bosta” mas também sobre o Thor ser uma criação de Stan Lee e Jack Kirby igualmente baseada nos deuses cultuados pelos nórdicos. É o mesmo argumento, aliás, que usaram os produtores de O Poderoso Thor, filme de baixo orçamento pra TV lançado em 2011, curiosamente na mesma época em que a Marvel Studios levava aos cinemas a primeira aventura de Chris Hemsworth como o seu super-herói.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

“Que desculpa esfarrapada: se for assim, por que seu personagem TAMBÉM se torna um super-herói e tem tantos detalhes que fazem lembrar mais os filmes da Marvel do que a versão mitológica?”, retrucou outro usuário, no anúncio oficial do trailer lá no Facebook. E, bom, o histórico da emissora acaba procedendo, já que em 2016 eles estrearam a série Alyas Robin Hood, que durou duas temporadas com o ator e modelo Dingdong Dantes no papel de um justiceiro urbano armado com um arco e flecha. A inspiração, segundo a GMA, era no Robin Hood clássico. Mas quem assistiu diz claramente que a cruzada de vingança e justiça de Jose Paulo “Pepe” de Jesus Jr. lembra DEMAIS a de um tal Oliver Queen em Arrow...

De qualquer maneira, mesmo que Victor Magtanggol marque o retorno à TV da icônica atriz local Coney Reyes, premiada também como produtora e apresentadora de TV, um dos maiores destaques da série é mesmo o jovem protagonista que vive Victor, no caso Alden Richards, popular ator e cantor das Filipinas e um verdadeiro fenômeno das redes sociais. Aliás, ele e Maine Mendoza (que se tornou uma celebridade explosiva no país por conta de seus vídeos gravados na época do Dubsmash) formam uma dupla chamada AlDub, um fenômeno que teve a manha de gerar 41 milhões de tweets em 24 horas por conta de sua performance em um evento beneficente. O que um cara como estes carrega consigo? Exatamente: um FANDOM.

“Não sejam estúpidos. O Thor não é um conceito original da Marvel”, defende @bryanllamado, no Twitter. Já o @untilthend716 é ainda mais incisivo na defesa: “Seus hipócritas. Ninguém é dono dos mitos. Já existiam histórias do Thor antes de existir a Marvel”.

Bom, se você ficou de alguma forma curioso, a GMA liberou a íntegra do episódio 1 no YouTube. Pra quem não é fluente em filipino, talvez seja complicado entender... ou nem tanto assim. Parece meio uma daquelas novelas enlatadas que passam na Band. Mas vale a diversão. ;)