"Existem outros filmes além da Marvel, porra" | JUDAO.com.br

O recado veio do próprio Samuel L. Jackson, o Nick Fury em pessoa, que adora fazer os filmes da Casa das Ideias, que pensa em passar muito tempo ainda vivendo o chefão da SHIELD… mas que entende perfeitamente o quanto o mundo é MAIOR

Do alto de seus 70 anos, Samuel Leroy Jackson, ator nascido em Washington, tem uma das carreiras mais PROLÍFICAS de Hollywood. De acordo com a página do cara lá no IMDb, em pouco mais de 45 anos de carreira, são mais de 180 produções diferentes entre filmes, séries e até jogos de videogame.

Samuel L. Jackson esteve em Um Príncipe em Nova York (sério!); explodiu com um papel catártico em Faça a Coisa Certa, de Spike Lee; passou por clássicos tão díspares como Os Bons Companheiros e Jurassic Park; virou ator-fetiche do Quentin Tarantino (Pulp Fiction, Os Oito Odiados, Django Livre, Jackie Brown); foi o Shaft, o Afro Samurai e até um Jedi fodão; encarou tanto o King Kong quanto os Kingsman de frente; e até teve as manhas de se livrar de um avião repleto de serpentes em pleno voo.

Teve uma época até em que a piada recorrente é que, não importava o filme que você visse, a chance de ter o Samuel L.Jackson no elenco era de 75%. E isso não era à toa: uma pesquisa liberada no final do ano passado pela plataforma científica aberta Applied Network Science usou um algoritmo para medir o impacto dos principais astros na cultura pop atual — e deu Sam na cabeça, deixando Clint Eastwood e Tom Cruise respectivamente com as medalhas de prata e bronze. Em setembro de 2018, os caras do Box Office Mojo fizeram um levantamento pro Business Insider pra entender quem era o ator/atriz mais rentável com base na bilheteria de sua filmografia... Adivinha quem ficou em primeiro lugar? :D

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Portanto, com tudo isso no currículo, vamos lá, é bem injusto lembrar do cara apenas e tão somente como o Nick Fury dos filmes da Marvel, né? E, sejamos justos, tamos falando de um papel literalmente feito na medida pro camarada (desde que Mark Millar e Bryan Hitch inventaram de fazer o Fury do Universo Ultimate com a cara do ator), que ele interpreta recorrentemente desde 2008 e que já disse que continuaria interpretando até completar 80 anos. “Eu podia ser o Alec Guiness dos filmes da Marvel”, disse ele, num excelente perfil conduzido recentemente pelo THR.

MAS CALMA LÁ, NÉ. Até o Sam Jackson tem limites. E os deles ficaram claros quando os caras do IGN gringo convidaram o sujeito para ler os comentários a respeito do filme Vidro (tem resenha nossa aqui!) que foram postados no site..

Vidro é o fechamento da trilogia que M. Night Shyamalan iniciou em Corpo Fechado, o seu ode aos quadrinhos de super-heróis. Junte a isso o fato de que Samuel L. Jackson interpreta o Fury e BAM!, grande parte dos comentários se focaram mais na Marvel do que no próprio filme que o cara estava ali divulgando. “Isso se passa antes ou depois de Guerra Infinita?”, perguntou um. “Nick Fury devia recrutar Mr.Glass e Gelado [personagem do ator em Os Incríveis] para fazerem parte dos Vingadores”, afirmou outro.

Até que um sujeito mandou um “Avengers Remastered”. Aí lascou.

Com o vocabulário que lhe é peculiar, Samuel L. Jackson então devolveu uma frase para a qual queremos chamar atenção aqui: “Cara, vocês têm que superar os Vingadores e as porras da Marvel em algum momento”, disparou. “Outros caralhos de pessoas também fazem filmes”. Tá bom, tá bom, é óbvio que ele falou isso num tom divertido... Mas vamos admitir que tem MUITO de verdade aí nesta sentença, né?

Veja, a gente ama gibis aqui. Amamos os personagens da Marvel, falamos bastante sobre seus heróis, heroínas, vilões e coadjuvantes por aqui, tanto sobre a versão quadrinhos quanto sobre suas transposições para as telas. Falamos e vamos continuar falando. Mas isso jamais nos impediu de também ser críticos aqui, de analisar certas questões mais a fundo. Esse, aliás, é JUSTAMENTE o nosso trabalho.

Mas, principalmente, e aqui é o ponto no qual concordamos com Samuel L. Jackson... curtir a Marvel, analisar a Marvel, falar da Marvel, não quer dizer viver APENAS E TÃO SOMENTE da Marvel.

A discussão sobre “fadiga do gênero dos super-heróis” nas telonas continua por aí e, se levarmos em conta a bilheteria astronômica que a Marvel anda colocando no bolso a cada ano, a probabilidade é que vá continuar ainda por um bom tempo (a gente até falou recentemente sobre isso aqui). E tudo bem discutir o assunto, sim, é importante, queremos mesmo respirar novos ares aqui. Assim como vale lembrar sempre a nossa defesa de que, salvo raras exceções, super-herói nem era pra ser considerado gênero cinematográfico.

MAAAAAAAS isso não nos impede de curtir filmes com super-heróis, sabe? O ponto é que curtir filmes da Marvel não deveria te impedir de TAMBÉM ver OUTROS tipos de filmes. E tem muitos. AH SE TEM.

Porque aí temos outro ponto, aquele do “ah, mas agora só lançam filme de super-herói”, o que é uma falácia absurda. Ficar de olho apenas nos blockbusters americanos é pura cegueira: ano passado, por exemplo, tivemos TRÊS filmes da Marvel. Junta aí com Venom, Aquaman, Homem-Aranha no Aranhaverso e afins, que não são do estúdio... Dá pra dizer o quê, uns 10 filmes de heróis e afins, talvez, chutando alto? Pois olha ESTA lista aqui, também do IMDb, em ordem alfabética com tudo que eles têm registrado como filme lançado em 2018. São mais de 12.000 títulos do mundo inteiro. Em um único ano.

Tem coisa pra todos os gostos, todos os públicos. E um MONTE de paradas independentes, que você deveria MESMO apoiar cada vez mais. Vale tanto pra quem só assiste filme da Marvel quanto pra quem diz que hoje em dia só tem filme da Marvel: opção não falta. É só deixar a preguiça de lado e correr atrás.