Filmes, animações e graphic novels no futuro de Mauricio de Sousa | Judão

MSP aproveitou a comic con pra revelar uma nova série animada, além de detalhes de dois filmes live action que estão tocando – e novas Graphic MSP, óbvio

O mais próximo que temos, aqui no Brasil, de uma verdadeira indústria do entretenimento é a Mauricio de Sousa Produções.

A MSP produz quadrinhos para diversas faixas etárias, está cada vez mais investindo em animações e, agora, também tá entrando no mercado de filmes live action. São diversas as franquias lá dentro, com um potencial para ser tipo uma Marvel brasileira. Até por isso, o grande painel promovido pelo estúdio no domingo (4) na Comic Con teve um pouco desse ~feeling de acompanhar a nossa cultura pop, incluindo aí diversas novidades em cinema e TV pra 2017 e 2018.

Mônica Toy, uma das boas surpresas do estúdio nos últimos anos, foi o ponto inicial da apresentação. “Foi o projeto que inaugurou esse tipo de animação”, definiu Bruno Honda, designer chefe da MSP, se referindo ao estilo rápido e fluido da série. “Foi o nosso primeiro projeto pensado para uma plataforma 360, que a gente quer chegar a qualquer audiência, qualquer público”.

Mauricio, Mônica e a galera de animação da MSP

Mauricio, Mônica e a galera de animação da MSP

A primeira novidade foi justamente uma nova série animada, dirigida pelo mesmo criador e diretor da Mônica Toy, o Zé Márcio. Chamada de Bairro do Limoeiro, a série mescla o traço do Mauricio mais próximo dos originais, dos anos 1960 e 1970, mas com um estilo de animação que começou com a produção anterior. O resultado é uma animação dinâmica com aquele estilo que todo mundo conhece, além de cores estouradas e vazando nos fundos, ao estilo dos gibis impressos antigamente.

“O Zé Marcio conseguiu colocar uma animação moderna, viva, agitada, como deve ser os desenhos animados hoje para todas as idades, e conseguiu manter o traço de desenho que eu usava nas minhas primeiras histórias em quadrinhos”, disse o Mauricio. “Na realidade, o Bairro do Limoeiro é um resgate dos anos 60, que foi quando o Mauricio começou com animações, com os comerciais. O estilo era bem diferente, as vozes eram diferentes”, explicou Zé Márcio.

“O Bairro do Limoeiro tem um pouco do Vila Sésamo, que é um bairro no qual você recebe qualquer personagem da família Mauricio, tem mais de 200. Então você tem a Turma do Astronauta, a Turma do Chico Bento, a Turma do Penadinho... É possível encontrá-los nas redondezas do bairro”, explicou o diretor.

Além disso, a produção deixa de lado a reutilização dos roteiros de HQs da casa, que é uma estratégia tradicional nas séries de TV da Mônica, e passa a ter roteiros originais, ainda que inspirados nos gibis antigos. “O Bairro do Limoeiro está nascendo para animação, não é de uma história em quadrinhos. É um trabalho novo que a Mauricio de Sousa está fazendo, para atingir um novo mercado”, revelou Mônica Sousa.

“Esse projeto mostra o quanto os personagens do Mauricio são fortes, que podem ser recriados de outros jeitos, tão aí os projetos de Graphic MSP que ampliaram as fronteiras do ‘universo mauriciano’, a animação que quer – e vai – fazer isso tudo com a benção, a criação e a criatividade do seu Mauricio também”, contou Bruno Honda.

“É uma proposta que queremos que seja internacional também, como Mônica Toy”, explicou o pai das crianças. “Eu espero que esteja começando uma nova fase na Mauricio de Sousa Animation. Quem sabe a gente consiga entrar pra concorrer de verdade [neste mercado]”, definiu Zé.

“É uma proposta que queremos que seja internacional”

A primeira temporada terá 26 episódios de 11 minutos, que estreiam em 2018 no Cartoon Network.

Em seguida foi hora de falar sobre carne e osso. Turma da Mônica Jovem – O Filme é a adaptação live action do mangá da MSP para os cinemas. “É um filme que envolve, de alguma maneira, a tecnologia como ponto central da trama”, explicou Felipe Sant’ana, estrategista digital da Bossa Nova Films, a produtora que está cuidando do longa-metragem. “É um filme que é super atual e que, entre outras coisas, envolve um personagem novo”. No caso, ele é um “personagem geek”, introduzido na edição 100 do gibi, que saiu agora no final de novembro.

“A gente ainda está a um ano [do início] da filmagem”, esclareceu Christiano Metri, diretor de cena da Bossa Nova Films. “Mas o filme irá lançar a turma em uma aventura tecnológica, na qual vão ter que desvendar um grande mistério, que ameaça toda uma geração de jovens e o que eles têm de mais valioso, que é a própria turma”.

Apesar de ainda faltar muito tempo para o filme ganhar, efetivamente, vida, a equipe de pré-produção já está envolvida na divulgação. Por isso, lançaram junto com a Comic Con a primeira personagem, Ramona, a filha da Bruxa Viviane e interpretada por Amanda Torre, de 13 anos. Nos próximos meses (e anos), Ramona irá aparecer em vídeos no YouTube, indo na veia do público-alvo – que, você sabe, adora youtubers.

“A Ramona é personagem central no filme, que mistura tecnologia com preservação da natureza, mas você sabe que a gente não faz um filme inteiro com um personagem só”, esclareceu Metri. Por isso, a produção está lançando uma campanha de casting no site oficial do filme, procurando jovens (de até 17 anos) que possam interpretar a Turma da Mônica Jovem. Ainda assim, eles não querem qualquer um. “Alguém que já tenha prática, experiência, como ator ou como atriz, em filme, teatro...”, explicou o Mauricio. Eles também vão “olhar com outros olhos” para quem tocar algum instrumento musical.

Quando esses outros atores forem escolhidos, eles também devem ganhar canais no YouTube, seguindo o esquema da Ramona. A estreia está programada para o segundo semestre de 2018.

Outro filme live action que está sendo preparado é a adaptação de Turma da Mônica – Laços, lançado como parte da linha Graphic MSP e criado por Vitor e Lu Cafagi. Anunciado no ano passado, a produção agora tem um diretor: Daniel Rezende (que já trampou como editor em filmes como RoboCop, Tropa de Elite e Cidade de Deus, estreando na direção com Bingo – O Rei das Manhãs). “Esse ano todo a gente trabalhou bastante no roteiro”, explicou Claudio Cao Quintas, sócio da produtora Quintal Digital.

As gravações de Turma da Mônica – Laços começam no próximo ano, e o lançamento nos cinemas está previsto para 2018

“A gente tá muito feliz com o roteiro, muito feliz com o processo”, contou Rezende. “A gente filma ano que vem, pra lançar em 2018”. O primeiro ator/personagem já escalado é o Floquinho, justamente o ponto central da trama de Laços. No painel, o diretor revelou um teste de cena com um “dublê cachorro”, mostrando como ele deve ficar no filme. Em seguida, apresentou no palco o cachorro que, no próximo ano, será treinado para interpretar o personagem.

Na parte de quadrinhos, o editor Sidney Gusman apresentou os novos títulos da linha Graphic MSP. “Começou em 2012. Esse cara aqui já era o dono do público infantil. E eu falei: ‘Mauricio, vamos fazer algo para o público juvenil, adulto? Eles ainda adoram seus personagens’”, contou Gusman, que lançou o 14º título da linha no evento, a graphic novel Astronauta – Assimetria, de Danilo Beyruth e Cris Peter. “No ano que vem, não serão quatro graphic novels. Mas em 2018 serão cinco, tá?”.

Graphic MSP

Para 2017, o editor anunciou a terceira parte da trilogia iniciada por Turma da Mônica – Laços, novamente com Vitor e Lu Cafagi; um novo título do Chico Bento, por Orlandeli (de O Mundo de Yang); e Capitão Feio, pelos gêmeos Magno e Marcelo Costa (de Matinê e Oeste Vermelho). Já em 2018, sai a graphic novel do Jeremias, de Rafael Calça (de Jockey)e Jefferson Costa (de Kiss me Judas). “O Jeremias foi um dos primeiros personagens”, lembrou o Mauricio. Ele foi criado em 1960.

Se tudo der certo, 2018 promete DOIS filmes com atores de carne e osso, uma série animada totalmente nova e CINCO graphic novels, além de toda a linha habitual de HQs e animações para a TV.

Pois é, a MSP pode ter o seu primeiro ano de MARVEL em toda a história. E eu tô aqui bem empolgado com isso. ;)