Gaycation: "é sobre as pessoas poderem viver, não só existir" | Judão

Ellen Page embarca numa jornada pra “explorar o que significa ser lésbica, gay, bi ou trans em todo o mundo” na série-documental que estreia no começo de Março, nos EUA

Durante o Carnaval 2015, você deve ter visto em diversos sites e em programas de TV, Ellen Page, a Kitty Pryde / Juno em pessoa, esteve no Brasil. Foi pra camarote da SAPUCAÍ, usou camiseta de revista de celebridade, deu entrevista sobre o quão empolgada ela tava por isso, “o que você achou do Rio, das pessoas”, disse que não comentaria sobre estar ou não namorando alguém, falou sobre ter saído do armário... Enfim.

Quase o pacote completo do gringo que vem ao Brasil nessa época do ano se, na realidade, ela não tivesse vindo pra cá gravar o que, aparentemente, é um dos momentos mais assustadores de Gaycation, série que estreia em Março no canal Viceland, lá nos EUA.

O Viceland é um canal por assinatura da Vice, aquela revista, idealizado por Spike Jonze, e aqui embaixo você pode assistir a um trailer do que vai rolar na programação. São 9mins15, eu sei, talvez seja bem longo, mas acho que seja o caso de você assistir ao trecho de pouco menos de um minuto, que começa aos 6mins21segs e vai até 7mins12segs.

“Apesar de parecer um lugar progressista e sexualmente aberto, as dificuldades que as pessoas LGBT sofrem podem ser horríveis”

Gaycation é uma série documental, apresentada por Ellen e seu melhor amigo Ian Daniel, uma dupla que viajou o mundo pra mostrar como as diferentes culturas lidam com gênero, sexo e sexualidade, focando nas comunidades LGBT locais. “Eu acho que esperava ter algumas experiências emocionantes, mas não acho que poderia ter previsto... Eu acho que você não consegue prever o grau do que você vai sentir” disse Ellen em entrevista ao Buzzfeed. “Eu sou uma pessoa privilegiada. Eu sou uma pessoa gay privilegiada. A série me ajudou a entender, ainda mais, o quanto as pessoas são vulneráveis”.

“No fim do dia, eu espero conseguir expandir as mentes das pessoas e seus corações”, afirma Daniel, também ao BuzzFeed. “Eu não sei se isso soa forçado, mas é realmente simples assim”.

No trailer da série, que você pode assistir aí embaixo, a narração de Ellen Page diz que eles querem “se juntar à celebração, documentar as lutas, sentir o amor e o ódio e trazer pra casa toda história humana que encontrar no caminho”. Tem a primeira parada gay jamaicana, o bairro gay de Tóquio, o cara se sentindo mais confortável num vestido que a menina, um encontro com o candidato republicano à presidência dos EUA Ted Cruz, ataque de ácido... E aquele encontro com um policial Brasileiro que, deliberadamente, mata homossexuais pelo simples fato de eles serem homossexuais.

“Foi um dos momentos mais tensos que passei na minha vida”, contou ela durante um evento da Television Critics’ Association, conforme reportado pelo Wrap. “Sinto que, quando estamos neste modo, a gente sente, talvez de uma forma bem ingênua, que vai ficar tudo bem”. Mas Daniel não estava assim tão seguro. “A pessoa na sua frente está dizendo que matou pessoas como você, que vai fazer de novo, que existem outras pessoas que estão matando pessoas como você – só de ouvir isso já é assustador”.

https://www.youtube.com/watch?v=fToW-5r07qg

“Ser gay não é uma escolha. A quantidade de gente que luta por conta da vergonha que sentem, ou medo de serem oprimidos, machucados ou mortos... Por que alguém faria essa escolha?”

É uma boa pergunta.

Gaycation estreia em 02 de Março, nos EUA.