Grant Morrison assume o gibi do Lanterna Verde e promete tipo um CSI cósmico | JUDAO.com.br

O escritor escocês, que assume o título a partir de novembro, quer levar Hal Jordan de volta às suas origens como um “policial espacial”

A galera que trabalha com programação pode entender de OUTRO jeito. Mas a palavra “procedural”, quando usada para se referir a um produto de cultura pop como uma série, um filme, um gibi, traz o significado original, de algo que tem métodos, processos, pro ambiente POLICIAL. Basicamente, uma série procedural é uma daquelas policiais de investigação, sabe? Quando os TIRAS aplicam seus métodos e processos para solucionar o crime da semana e colocar o criminoso da vez atrás das grades.

Exemplos têm aos montes: CSI, NCIS, Criminal Minds, Law & Order, Bones... Até mesmo tramas com um tempero ligeiramente diferente, como Castle e The Mentalist podem ser consideradas “procedurais”. E é a isso que o roteirista Grant Morrison está se referindo quando diz que ele e o desenhista Liam Sharp estão dando uma pegada mais “procedural” ao gibi mensal do Lanterna Verde, que a dupla vai assumir oficialmente a partir de novembro.

“Ao invés de grandes histórias épicas em doze partes, vamos nos focar no dia a dia de um policial espacial”, explica Morrison, em entrevista ao IGN, fazendo questão de deixar claro que a ideia é trazer o personagem mais de volta às suas raízes. “O conceito básico de que Hal Jordan é como se fosse mesmo um policial do espaço patrulhando um setor do universo onde tudo pode acontecer”.

A apresentação do novo título, durante a San Diego Comic-Con 2018

Fato: o elemento de que a Tropa dos Lanternas Verdes é essencialmente um grupo de oficiais intergalácticos em defesa da lei só que armados com anéis de poder ilimitado ao invés de pistolas e cassetetes, está aí desde que o personagem foi reinterpretado na Era de Prata, em 1959, por Julius Schwartz. “Lanterna Verde” não é um codinome de super-herói, tipo Batman ou Superman. É um título. E Hal Jordan é apenas um dos muitos a usar a arma e o uniforme. E talvez nem seja o mais criativo de todos ao envergar uma parada que pode transformar seus pensamentos em construtos de pura energia verde.

“Eu amo essa ideia de que ele é um sábio idiota”, explica Sharp. “Ele pode simplesmente aparecer e avaliar a situação muito rapidamente e, em seguida, apenas bater em tudo com um punho gigante, e tudo está resolvido”.

Para Morrison, Hal pode ser comparado aos astronautas que voltaram do espaço sentindo-se chocados, assustados e incapazes de encontrar um lugar para eles na sociedade. Na verdade, tamos falando de um sujeito que, em sua vida pessoal, cai indo de um trabalho para o outro, incapaz de ser eficaz a menos que esteja fazendo o extraordinário espaço como um policial cósmico — que acaba executando por trás de uma máscara, com uma identidade secreta.

“Ele é um solitário, um errante, alguém que não se reconstruiu”, conta Sharp. “Ele não pertence a este lugar, sabe? Ele está ansioso pelos céus e por estar de volta à atividade como um Lanterna Verde”. Para o roteirista, no entanto, a principal pergunta ainda é: todos sabemos que Hal Jordan é um bom policial. Mas ele é um bom ser humano? “Estamos analisando também os seus relacionamentos e como ele lida com as pessoas. Porque tem o fato de que, se você é um policial do espaço, é difícil ficar preso no Planeta Terra. Ele pode ter vidas em outros planetas. Vamos analisar muitas coisas que não creio que tenha sido pensadas com ele antes”.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

A respeito do elenco de coadjuvantes, sempre dizendo o quanto ama os gibis originais do Lanterna, a dupla de criadores promete não ficar muito focada naqueles rostos de sempre, preferindo criar um monte de novos e estranhos Lanternas Verdes alienígenas e/ou recuperar uns personagens há muito esquecidos (uma daquelas especialidades do Morrison, vamos combinar).

Importante dizer aqui: o gibi do qual eles vão tomar conta se chama The Green Lantern. O que isso quer dizer? Que, apesar de termos uma série de outros terráqueos que também ostentam e/ou já ostentaram o título (Guy Gardner, John Stewart, Kyle Rayner e, mais recentemente, Simon Baz e Jessica Cruz — isso se a gente não considerar Alan Scott, o Lanterna da Era de Ouro), esta HQ é totalmente focada em Hal Jordan.

Sim, os Guardiões do Universo vão aparecer, aqueles pequenos seres azulados que criaram a Tropa dos Lanternas Verdes, mas serão tratados como os chefes de polícia que controlam as missões dos Lanternas diretamente da delegacia. E quanto aos outros integrantes do chamado Espectro Emocional, o campo de energia que, nos últimos anos, nos apresentou a diferentes cores de anel e tropas como os Lanternas Azuis, Vermelhos, Laranjas, Amarelos, Indigo e Violetas, além da luz Branca da vida e Preta da morte, esqueça.

“Vamos nos focar apenas no bom e velho verde”, reforçam ambos.