Hardcore Henry, "primeiro filme de ação em primeira pessoa", vai estrear no Brasil! | Judão

O que significa que poderemos, sim, assistí-lo na tela grande! OH YES! :D

“Filmes devem, sempre que possível, ser assistidos na tela grande, ou pelo menos na maior tela possível. Praticamente todos os filmes já feitos foram criados com a intenção de serem vistos na tela grande, e o impacto psicológico da tela engolindo sua visão é pensado em escolhas de filmagem e edição” diz Devin Faraci, no Birth.Movies.Death, num artigo MUITO interessante com meia-dúzia de dicas óbvias pra se escrever sobre filmes, mas que serve também pra quem só quer assistí-los com um olhar um pouco mais profundo — seja Os Vingadores ou algum filme iraniano que vai ser exibido uma vez só num horário esdrúxulo na Mostra de SP.

Há algumas semanas surgiu nas internets, sem fazer barulho suficiente, o trailer de Hardcore Henry, que conta a história de um cara, chamado Henry (AH VÁ!), que ressuscita como um ciborgue e se vê na obrigação de salvar sua mulher BARRA criadora Estelle (Haley Bennet) de um cara COMPLETAMENTE LELÉ e cheio dos poderes telecinéticos chamado Akan (Danila Kozlovsky) e seu exército de mercenários. Henry, porém, não vai estar sozinho nessa treta toda, que se passa em um único dia em Moscow: Jimmy, interpretado pelo sempre sensacional Sharlto Copley, pode ser sua única esperança. :D

Hardocre Henry é dirigido por Ilya Naishuller, outro russo que, até agora, só tinha no currículo o clipe de Bad Motherfucker, da sua banda Biting Elbows, que TALVEZ você já tenha assistido alguma vez — se você não viu, faça como outras 31 MILHÕES de pessoas e aperte o play aí embaixo. :D

Ilya conta que, entre todas as mensagens elogiando o clipe, uma delas era de Timur Bekmambetov (de Guardians, aquele Vingadores da Mãe da Rússia, Night Watch e O Procurado), que sugeriu que ele transformasse o clipe em um longa metragem, filmado no mesmo estilo. “Primeiro eu recusei, acreditando que seria uma ideia muito complicada que não funcionaria na tela grande” diz Ilya, na campanha do filme no IndieGoGo. “A resposta dele foi ‘Você não quer assistir a um filme em primeira pessoa no cinema?’ e eu respondi que sim. ‘Então pense sobre isso. Se alguém consegue fazer, é você’. Em uma semana o conceito do que seria o primeiro filme de ação e aventura em primeira pessoa tinha nascido”.

O crowdfunding, aliás, foi feito pensando na pós-produção do filme, já que ele já estava finalizado quando tudo começou — e a razão era bem nobre: “manter o controle criativo” o que, se por acaso dependesse de algum outro investidor, poderia ir pelo ralo.

“Hardcore explorou um novo estilo de fazer filmes que envolveu a criação de um equipamento especial e, mais importante, o reaprendizado da função de todos os envolvidos nesse processo de filmagem único”, conta Ilya. “Nós conseguimos uma equipe sensacional, grandes atores e produtores. Cada um deu o seu melhor pra Hardcore dar certo durante as tentativas e erros que enfrentamos todos os dias desse projeto”.

No vídeo aí embaixo você pode ver um pouco do making of do filme, mostrando os equipamentos criados e tudo mais que resultou em um negócio que eu costumo chamar de CINEMA.

Sabe, contar histórias é parte importante do que o cinema é. Mas a maneira como elas são contadas é que é ainda mais importante e, principalmente, interessante. É por isso, por exemplo, que eu gosto TANTO de Avatar: o que James Cameron fez pra contar aquela história batida, literalmente, mudou a história do cinema — não teríamos Caesar & Cia no novo Planeta dos Macacos ou mesmo Maz Kanata em Star Wars: O Despertar da Força não fosse aquela tecnologia de captura de movimentos que Cameron desenvolveu, só como exemplos.

Eu não faço a menor ideia se um “capacete com uma câmera” vai mudar, tanto assim, a história do cinema, mas é algo novo na tentativa de contar uma história que, no futuro, pode ser usado novamente ou, o principal, desenvolvido pra algum outro tipo de uso.

É tecnologia, eu sei, mas gosto também de chamar de MAGIA. :)

Hardcore Henry por trás das câmeras :)

Hardcore Henry por trás das câmeras :)

Hardcore Henry é um daqueles filmes que PRECISAM ser assistidos na tela grande. É um daqueles que PRECISAM de imersão total, e eu diria ainda que se rolasse um esquema 4D seria ainda mais interessante. Mas quais a probabilidades de ele acabar sendo exibido nos cinemas do Brasil? Se filmes como Descompensada, com Amy Schumer, são lançados direto em DVD... Mas mordi a língua. :)

Nessa quinta-feira, 18, a Diamond Filmes anunciou, se tudo der certo e nada der errado, a estreia do filme aqui no Brasil, com o título de Hardcore: Missão Extrema, pro dia 14 de Julho (concorrendo com Caça-Fantasmas e CARROSSEL 2) e até liberou o trailer devidamente LEGENDADO, o que pode ser uma boa em casos de Sharlto Copley falando com o sotaque sul-africano dele. :D

No hemisfério norte o filme já foi exibido no Festival de Toronto e tem sua estreia prevista pro dia 08 de Abril — mas, antes, vai aparecer no SXSW, em Março, quando um barulho maior deve começar a ser feito e, até, definir a estreia por aqui oficialmente ou não. Porque, é, embora a Diamond tenha feito o anúncio, não são raras as estreias canceladas em cima da hora no nosso mercado nacional, né?

Então, vamos torcer... Porque esse é um daqueles filmes que a gente PRECISA ver na telona. :)

ATUALIZADO! A Diamond Filmes ADIANTOU e confirmou a estreia do filme no Brasil para o dia 21 de Abril!

Ps. A banda Biting Elbows, óbvio, vai aproveitar o filme pra lançar duas músicas inéditas: My Woman e For the Kill. A quem interessar possa... ;D