“Se o passado é apagado, indivíduos podem moldar o presente do jeito que quiserem” | JUDAO.com.br

No começo do mês, o americano Jason Scott disse que gostaria de ajudar brasileiros a preservar diversas informações e documentos porque logo “muita coisa seria perdida”. Mas quem é esse cara? E o que raios é o Internet Archive?

Toda mudança de governo cria uma alteração geral. Novas leis, concessões, novas prioridades e relações se estabelecem para favorecer aquilo que o novo líder da nação acha importante. E desde o período eleitoral de 2018, o comportamento avesso à imprensa e o tratamento dado aos jornalistas por Jair Bolsonaro anda preocupando MUITA gente. Esse tipo de situação deixou uma galera aflita sobre o futuro das informações online que temos sobre o Brasil. Esse pessoal, então, resolveu conversar com alguém que poderia ajudar.

Jason Scott Sadofsky é historiador, cineasta, ator, fundador do site de armazenamento de textos textfiles.com, e trabalha para o Internet Archive. No dia 2 de Janeiro de 2019, ele usou seu Twitter para mandar a seguinte mensagem:

Traduzindo: “se você possui dados, informações ou conteúdo sobre cultura brasileira, por favor, suba-os diretamente pro Internet Archive, ou envie discos rígidos para que possamos guardar seus materiais. Uma quantidade enorme de coisas será perdida. Vamos hospedá-las para vocês.”

Bem… você já pode imaginar o que aconteceu. Uma ENXURRADA de pessoas pediram pra que ele “não se metesse nos nossos assuntos” e “tirasse as mãos da nossa cultura”. Muita gente saiu brigando, dizendo que presidentes anteriores é que tinham destruído nossa memória, citando o incêndio do Museu Nacional em sua maioria. Ele, então, seguiu explicando: “muitas pessoas nos últimos meses conversaram comigo para falar sobre suas preocupações sobre essa nova administração ameaçar a permanência de muitas informações. Eu estou oferecendo um refúgio.”, disse. “Se você acha que nada vai acontecer, não precisa fazer nada – tá tudo certo. Mas uma das obrigações do meu trabalho é mostrar para pessoas que o Internet Archive existe para hospedar materiais que elas queiram guardar.”

No meio dessa confusão, o JUDAO.com.br entrou em contato com PRÓPRIO Jason Scott, que respondeu algumas perguntas por e-mail pra nos ajudar a entender melhor essa história – e explicar pra todo mundo QUAL É a dessa plataforma.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

“O Internet Archive é um acervo sem fins lucrativos localizado na Califórnia. Nossos escritórios e máquinas se espalham também pelo Canadá, Países Baixos e até dividimos a hospedagem da Biblioteca de Alexandria no Egito”, contou. Fundado em 1996, eles têm armazenado e espelhado diversos sites. Eles contam também com músicas, filmes, livros, programas e imagens. “Temos cerca de 40 petabytes de arquivos (ou seja, 40.000 terabytes).” E com a ferramenta The Wayback Machine, milhões de pessoas por dia acessam páginas em seus VÁRIOS formatos antigos e podem checar boa parte das suas informações ali.

Jason entende como as variações de poder podem afetar UM BOM TANTO na conservação de memórias: “Quando novos chefes de estado aparecem, prioridades mudam. E, com isso, vemos páginas sendo reescritas, programas e políticas sendo retirados, grupos e relatos sendo modificados ou removidos conforme o necessário”, disse. “E raramente se trata de uma grande conspiração, é mais uma agitação normal da política”. Mas, pra ele, a coisa pode ficar preocupante SIM, já que autoridades podem alegar a inexistência de informações reais e notícias. “Manter esses arquivos nos ajuda a ter essas referências de histórico por mais tempo”.

Ou seja: em tempos de notícias falsas e cortinas de fumaça produzidas por ministros e outros grandes nomes, hospedar informações ali para que possam ser consultadas e utilizadas para argumentações e questionamentos parece uma ótima, né? Mas… e se algum órgão governamental decidir pedir pra que eles REMOVAM algum conteúdo? Para ele, não há uma resposta certa. Isso, nesses termos, nunca aconteceu. Mas eles já tiveram que mexer no acervo: “Nós já retiramos o acesso de alguns itens que constavam na Wayback Machine a pedido dos donos daquele conteúdo. Mas já negamos alguns pedidos em várias ocasiões e também garantimos o anonimato de quem acessa nossos servidores.” Além disso, a companhia já PROCESSOU o governos dos Estados Unidos por pedir acesso às informações de quem contribui com o projeto. E o Internet Archive ganhou. ;)

Jason Scott

Jason Scott confirma que o processo de arquivamento já ajudou bastante em tempos difíceis. “Como exemplo, cito o que aconteceu na Líbia. Todos os sites relacionados ao governo caíram junto com o golpe que sofreram [parte das consequências da movimentação civil pela derrubada e execução do ditador Muammar al-Gaddafi] – mas já tínhamos registrado vários deles”, afirmou. “Nós temos múltiplas cópias de segurança e fazemos o nosso melhor para sermos uma plataforma bem administrada e segura.”

Ele contou que até entende a repercussão negativa de seu tweet e a preocupação ao ver um estrangeiro oferecendo ajuda. Mas que é preciso ficar atento: “se o passado é apagado, indivíduos podem moldar o presente do jeito que quiserem e alegar que aquilo sempre foi daquela maneira: um presente eterno”, alerta. “Nós temos documentos históricos e importantes online, e ao mesmo tempo em que isso facilita o acesso, simplifica também seu desaparecimento. Ter um histórico disponível faz com que sejamos melhor informados e nos ajuda a ter uma melhor perspectiva das coisas. Reduzir tudo a sua versão mais recente pode simplesmente desperdiçar qualquer esforço anterior.”

Por fim, ele mandou um recado: “O Internet Archive é acessado milhões de vezes por dia, todos os dias – nós sabemos que prestamos um serviço importante e ficamos felizes em fazer isso para todos, o tempo inteiro, tanto quanto nós podemos. E aos brasileiros que acabaram de nos conhecer: olá!”

Jason é um cara genuinamente a fim de ajudar e o Internet Archive existe pra ser consultado. Conhecimento e cultura são ferramentas poderosas, necessárias pra que uma discussão tenha argumentos válidos e sua preservação PRECISA ser uma das nossas prioridades.

Viu uma movimentação esquisita em páginas de governo, seja municipal, estadual ou federal? Uma informação que sumiu, algo de diferente? Jogue o nome do site na Wayback Machine e dê uma olhada. Tem arquivos, livros, áudios ou páginas que sente que valem a pena serem protegidos? Utilize esse guia AQUI pra entender como colocar tudo na biblioteca. As páginas são em inglês, mas a maioria dos navegadores oferece uma tradução satisfatória que já ajuda bastante.