Arriscada, mas importante, a decisão de chamar o novo filme do Wolverine só de Logan | Judão

Fox faz a escolha correta por aqui, sem cair na tentação de vender o filme pelo caminho mais fácil, uma decisão que faz sentido com aquilo que o diretor James Mangold parece querer construir

Pra quem tem algum conhecimento prévio, ouvir o título do novo filme do Wolverine, Logan, é quase como ouvir AQUELA música na balada e sair correndo gritando que ela é a SUA música. Mais que isso, pra fãs de quadrinhos, é como um abraço, tamanho o significado que um filme do Wolverine se chamar Logan tem. Mais cru, mais pessoal, mais íntimo. O último.

Agora vamos fazer um exercício: fecha os olhos e imagina que o mundo não é só esse que te cerca. Que não é sua timeline, que não é o que você e seus amigos gostam. Imagina que, sei lá, cinemas do País preferem dedicar sessões a filmes dublados por conta do tanto de gente que gosta mais assim.

Imaginou? Então agora me responda: o que Logan significa para esse público, que pode até conhecer o Wolverine, mas é mais pelos filmes que passam na TV?

Por isso que é surpreendente a decisão da Fox (do Brasil e do Mundo) de não inventar ir pelo óbvio ou inventar um subtítulo pro filme. Não é Wolverine: Logan, não é Wolverine 3, nada que remeta aos X-Men ou filmes solos anteriores. Apenas e tão somente... Logan.

Página do roteiro de Logan

Página do roteiro de Logan

Na primeira vez que algo assim caiu nas mãos da Warner, não demorou pra um “Batman:” surgir na frente de O Cavaleiro das Trevas, ainda que lá fora o título tenha sido só The Dark Knight — mas toda a campanha de marketing do filme, impulsionada pela morte de Heath Ledger, fez seu papel.

Com O Homem de Aço acabou não dando muito certo — mas, também, eles não conseguiram acertar nem com um BATMAN VERSUS SUPERMAN, né. Ainda assim, surpreendeu recentemente ver na Rede Globo (que acerta JUSTAMENTE em quem só vê esses filmes pelo canal) uma chamada para o filme para esse filme do Azulão sem citar, uma única vez, “Superman”, o que PODE ser uma decisão de marketing vinda direto da Caixa D’Água.

Apesar do crescimento e da PENETRAÇÃO dos super-heróis no mundo de hoje, quando comparamos com o que rolava há oito, 10 anos, não deixa de surpreender a decisão de não cair no caminho mais fácil, naquele que, teoricamente, “vende” o filme para um público muito mais amplo. E, você sabe, cinema blockbuster é sobre fazer dinheiro.

Porém, quando olhamos para o arco dos gibis que inspira o filme, Old Man Logan (Velho Logan, aqui no Brasil), a escolha da Fox faz um pouco mais de sentido – assim como a decisão de padronizar em outros países. Quando foi publicada, em 2008, a Marvel chamou o roteirista Mark Millar e o artista Steve McNiven para dar uma levantada no gibi Wolverine em um arco fechado, autocontido – dando um tempo na fase que rolava naquele tempo, de Jason Aaron e Daniel Way.

Old Man LoganMillar, que pouco antes havia escrito a Guerra Civil, estava em uma fase mais autoral. O ano de 2008 marca, por exemplo, o começo de Kick Ass. Assim, o que ele fez foi uma história única, fora de qualquer cronologia, num futuro distante no qual poderia brincar com os elementos da Casa das Ideias como bem entendesse. Velho Logan é, na prática, uma “miniseries in a series”, saindo na revista mensal do Wolverine, mas sem qualquer ligação com o que veio antes e o que foi publicado depois.

O arco reflete muito o que Millar vinha pensando naquela época: desconstruir os super-heróis. Kick Ass, por exemplo, é um garoto sem qualquer superpoder real, mas que veste uma roupa para sair por aí apanhando. Nemesis, publicado em 2010 ao lado do mesmo Steve McNiven, é uma mistura de conceitos do Batman com o Coringa. Ou mesmo Superior, que traz um super-herói no sentido clássico dentro do contexto de uma criança de 12 anos que sofre de esclerose múltipla, numa metáfora sobre os sacrifícios da vida.

O Velho Logan é parte desse pensamento. Ser super-herói é, no começo da HQ, algo fora de moda. Ultrapassado. Sabe aquela história do Harvey Dent dos filmes do Nolan, “ou você morre um herói ou vive o bastante para se tornar o vilão”? Então, é o principio aqui. Quem tem o poder e sobreviveu é, invariavelmente, um cara malvado. Mas Logan, após cometer seus pecados, prefere viver isolado, renegando suas garras de adamantium e o fato de que um dia foi chamado de Wolverine. Ao lado da família que criou, tenta ser feliz. Só que ele não consegue pagar a conta do ~aluguel...

Tudo para, no final, tentar nos restabelecer a fé nos super-heróis para lutar pelo futuro.

Old Man Xavier: imagem divulgada pelo diretor James Mangold da maquiagem de Patrick Stewart. Que foda!

Old Man Xavier: imagem divulgada pelo diretor James Mangold da maquiagem de Patrick Stewart. Que foda!

A julgar pelo título, a página dois do roteito e pelo primeiro pôster, é isso que o departamento de marketing da Fox e o diretor James Mangold querem: uma história mais próxima de nós, que se destaca dos outros filmes de super-herói como algo mais humano e cru. Afinal, já falamos por aqui diversas vezes, “super-herói” não é gênero e o título do filme vai ajudar nisso, vai desarmar as pessoas para não esperarem um Wolverine clássico na história. Talvez até restabelecendo a fé de muita gente nos super-heróis, caso façam tudo certinho.

Nesse sentido, a Fox GLOBALMENTE parece estar muito bem alinhada. Wolverine de Hugh Jackman terá um fim que, ao menos por enquanto, parece bem interessante.

Pena que, de acordo com TheWrap, alguns elementos do filme parecem um pouco dentro do lugar comum. A história se passaria em 2024, num mundo no qual o nascimento de mutantes caiu bastante — e no qual tentam transformar os poucos que nascem em máquinas de matar. E aí Logan, que está com o poder de cura debilitado, conhece uma dessas crianças, uma menina que tem duas garras de metal em cada mão (muito parecida com a X-23 dos gibis e da série animada X-Men: Evolution). Isso enquanto o protagonista precisa lidar com um Professor X também mais fraco, se esquecendo das coisas que viveu...

Bom, melhor ver todo o CONJUNTO DA OBRA antes de fazer qualquer julgamento, pro bem ou pro mal. ;)

Logan estreia em 2 de Março de 2017.