O mundo nerd é das POCS! | JUDAO.com.br

Após o sucesso lindíssimo da PerifaCon, vem aí a POC-CON! E o JUDAO.com.br conversou com os realizadores pra saber sobre o projeto.

A PerifaCon, evento realizado para levar uma convenção de quadrinhos e cultura pop pra dentro da favela, criou um novo nicho. O sucesso, divulgação na mídia, adesão de marcas e público de mais de 4 mil pessoas animou MUITO para que outros grupos que se sentem pouco representados ou aceitos no mundo geek e nerd criassem seus próprios espaços.

E é à luz desses acontecimentos que chega até nós o projeto da POC-CON, idealizado por Mário César e Rafael Bastos Reis, artistas e quadrinistas, que pensam em uma convenção dessas exclusivamente com expositores LGBT+ há muuuito tempo. “Ambos tínhamos dúvidas se seria viável e se haveria um número suficiente de autores pra uma feira destas” explica Mário, em entrevista ao JUDAO.com.br. “O Rafael sempre foi pras feiras mais como público e eu já frequento feiras como a CCXP, o FIQ! e a Bienal como autor tem tempo. Fomos mostrando um pro outro quais autores assumidamente LGBTQ+ cada um conhecia e poderia fazer parte e fomos descobrindo mais e mais autores até estarmos seguros que a ideia seria viável e teria escopo. Aí juntamos forças e estamos metendo a mão na massa pra POC-CON acontecer”, conta.

“Esse público sempre foi um grande consumidor e lançador de tendências no entretenimento, mas, apesar disso, era porcamente – ou nem sequer – representado em quadrinhos, filmes, livros, novelas, seriados e outras obras”, afirma. Como a gente tá careca de saber, representatividade real é um dos maiores pontos levantados por grupos de minorias que sempre ficam à margem de tudo. Os LGBTQ+, por exemplo, vivem sendo postos como alívio cômico, com sua sexualidade sendo seu ÚNICO traço de personalidade (se quiser saber mais depoimentos sobre como o estereótipo gay fere muitas pessoas, leia aqui), sem mais nada significativo. Isso acontece quando há uma maioria de criadores héteros ganhando notoriedade e espaços importantes nessa indústria.

“Todos sabemos que o que move indústria é o lucro e quando as empresas se dão conta que há uma fatia considerável do público que é pagante e está ávida por se sentir bem representada, eles passam a investir mais em diversidade. Quem lacra lucra sim, e muito! Ao contrário do que os nerds machistas ficam repetindo que nem papagaio por aí.” Como exemplo desse sucesso, Mário cita Pantera Negra, Mulher-Maravilha, RuPaul’s Drag Race, Pabllo Vittar e Capitã Marvel, lembrando também que tem MUITO oportunista por aí lucrando em cima do famoso pink money – que é como é chamado o investimento financeiro em algo cultural vindo de fãs LGBTQ+.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

É importante ressaltar, porém, que, como boa convenção pop, a POC-CON terá materiais e obras para todos os gostos. “Não somos e nem nunca seremos um público homogêneo. O que atrapalha nossa diversão é não ter tantas obras que nos representam dignamente como há para o público heterossexual cisgênero branco e as reações negativas dos preconceituosos a qualquer coisa que não seja centrado no umbigo deles”, completa.

Mário conta, inclusive, que já tá rolando o famoso CHORORÔ de homens que acham que um evento desses corrobora para a ~HETEROFOBIA. “Se tem uma coisa que nunca nos decepciona é a tal da fragilidade masculina”. E pra quem torce o nariz e acha que a cultura pop e as convenções não são lugares de militância LGBTQ+, ele manda o recado: “O presidente da Disney é POC. Um monte de autores de quadrinhos aclamados como Alison Bechdel, Phill Jimenez e Olivier Coipel são POCs. Showrunners de várias séries como American Horror Story, Hannibal, Deuses Americanos são POCs. Incontáveis roteiristas, atores, atrizes, diretores, animadores, ilustradores, cantoras e cantores são POCs. Praticamente tudo de entretenimento que essas pessoas consomem ou foi feito por alguma POC ou tem POCs envolvidas na produção. Nem tudo foi feito pra você. E fique tranquilo! Não vai deixar de ter conteúdo feito pra você só porque passou a ter pras outras pessoas também.”

¯\_(ツ)_/¯

Pra quem quer contribuir financeiramente com a POC-CON, eles logo terão a venda de Kits Gay (hehehe) para ajudar com os custos. Fique ligado pra saber sobre isso e MUITO mais no Twitter e Instagram deles. A lista de artistas e expositores confirmados sairá muuuito em breve.

A POC-CON acontecerá um dia antes da Parada do Orgulho LGBT de São Paulo, dia 22 de Junho de 2019, na Rua Domingos de Morais, 1581. <3.