O retorno triunfal dos Vingadores da Costa Oeste | JUDAO.com.br

Nova série mensal, com lançamento previsto pra Agosto, traz de volta uma das divisões mais divertidas dos Maiores Heróis da Terra, agora com roteiro de Kelly Thompson e arte de Stefano Caselli

O lance com estas grandes equipes de super-heróis dos gibis é que, além das mudanças constantes de formação, é que em algum momento elas também se tornam FRANQUIAS.

Do lado da DC, por exemplo, a Liga da Justiça teve um certo momento em que se tornou “Internacional” e, além da versão América, teve subsidiárias na Europa, na Oceania e em tudo que é canto do mundo. O mesmo vale pros Vingadores da Marvel, que nos últimos anos tiveram divisões como Novos Vingadores, Vingadores Secretos, Jovens Vingadores, Vingadores I.A., Vingadores Mundiais, Força-V e até os Vingadores Sombrios.

Mas o primeiro spin-off do supergrupo, na real, rolou em 1984, quando Roger Stern e Bob Hall criaram uma série limitada em quatro edições com uma premissa bastante simples: os Vingadores tão lá, bonitinhos, na sua mansão/torre em Nova York, tomando conta das ameaças que pintam na Costa Leste... Só que os EUA são enormes. O que fazer quando um perigo surgir no outro canto do país, lá pros lados da Califórnia, por exemplo?

Então, com base em uma percepção do amigo Visão, eis que o Gavião Arqueiro resolve assumir a bronca e, no papel de líder, inspiradíssimo por seu ídolo Capitão América, se muda pro outro lado, levando a tiracolo alguns integrantes como Harpia, Magnum, Tigresa e o Homem de Ferro (na época, com Jim Rhodes sob a armadura). Nasciam os Vingadores da Costa Oeste.

Fora de circulação desde a metade da década de 90, o time vai retomar as atividades na Marvel a partir de agosto, quando a roteirista Kelly Thompson vai retomar os personagens de Hawkeye, seu gibi recentemente cancelado, em uma nova série mensal junto com outras estrelas também cortadas na última leva da Casa das Ideias, como America Chavez e a delirante Gwenpool. O tom parece ser ainda mais leve, jovem e bem-humorado do que o da versão original.

Claro que Clint Barton está na jogada, mas não como líder do time. Na real, ele vai ser muito mais uma espécie de conselheiro, o único veterano, ainda que não exatamente enquadrado na categoria de “responsável”, neste time de jovens talentos. E como ele já teve justamente uma experiência tomando conta dos Vingadores na Costa Oeste, bom, tava claro que precisava ser incluído na história.

Mas a líder DE FATO será justamente Kate Bishop, a Gaviã Arqueira, a garota que o substituiu quando o herói foi dado como morto e que, como sabe quem acompanha o ótimo título mensal do personagem desde a premiada fase escrita por Matt Fraction e passando pela recente de Jeff Lemire, acabou superando o mestre e tornando-se protagonista do gibi.

Kate vinha vivendo recentemente em Los Angeles, cidade onde começou uma carreira como investigadora particular, numa pegada meio Jessica Jones. “Mas ela precisa de ajuda porque os vilões começaram a perceber que não tem muitos heróis por lá”, explica a roteirista, no anúncio oficial da Marvel. “Eu acho que também é, em parte, porque ela sente falta de fazer parte de um time. Ela vem agindo por conta própria, e isso é legal também. Mas foi ela que, lá atrás, sem poder nenhum, chegou e disse ‘sou a líder dos Jovens Vingadores'”.

Além de Kate e Clint (“que está ajudando a Kate mas não quer admitir que está se divertindo muito no papel de mentor”), uma adição obrigatória no time é Johnny, aka Fuse, surgido recentemente nos gibis da Gaviã e que se tornou namorado da heroína. Johnny tem o poder de manipular sua densidade para replicar as propriedades de qualquer material que toca, podendo por exemplo tornar seus braços em pura pedra maciça para aumentar sua força. Já a Gwenpool, que acabou se tornando camarada de Kate depois de ajudá-la a combater uma ameaça sobrenatural ao lado do Motoqueiro Fantasma, é o que Thompson descreve como “um ás na manga bem estranho” que vai passar por alguns desenvolvimentos de relacionamento “bem interessantes”.

Hoje em dia praticamente todos os grandes portais e grupos de mídia do Brasil cobram pra que você possa ler seus conteúdos. O JUDAO.com.br continua produzindo conteúdo de graça pra todos, de forma independente, em diversas mídias, e vai fazer isso pra sempre. Mas não tá fácil pra ninguém.

Nunca o JUDAO.com.br foi tão lido em toda sua história, mas anúncios estão desaparecendo, o Facebook não deixa ninguém sair de lá e nós dependemos cada dia mais dos nossos leitores, ouvintes e espectadores pra financiar a produção de todo esse conteúdo sobre cultura pop que é bem raro na internet Brasileira. Se todo mundo que gosta, compartilha e/ou comenta contribuir, o nosso futuro estará garantido. Vamo?

Conheça nosso projeto e assine a partir de R$10 / mês. :)

Pra completar a equipe, chega o problemático Quentin Quire, o Kid Omega, mutante telepata nível ômega que, cansado dos outros estudantes e professores da Escola Xavier, decidiu viver isolado da sociedade em uma ilha no meio do Oceano Atlântico — no caso, o monstruoso Krakoa, que assumiu a forma de uma pequena ilhota deserta novamente. Isso, claro, até ser abduzido pela Thor para dar uma força num conflito envolvendo o Império Shi’ar e a Fênix, conjurada pelos deuses locais K’ythri e Sharra.

Como Quentin já tinha tido seu próprio contato prévio com a Força Fênix e sido considerado forte o suficiente para ser seu receptáculo, ele se achou pronto para negociar com ela. E conseguiu, absorvendo um tantinho de sua energia e sendo deixado para ser uma espécie de “novo deus” a ser admirado pelos Shi’ar. Mas logo o moleque se cansou e acabou voltando pra Terra. “Ele é problema sempre, mas claramente quer uma família”, arrisca Kelly.

Finalizando, temos America Chavez, a Miss America, ex-integrante da Força-V (time de Vingadores formado apenas por super-heroínas), outrora melhor amiga de Kate e o grande ponto de interrogação da coisa toda. “Essa é a coisa que mais estamos empolgados em explorar. Por que ela decide voltar pra LA? Por que ela se reaproxima da Kate? Será que ela também tá sentindo falta de agir em equipe? Porque sabemos que, com a America, as coisas sempre vão pra um lado bem pessoal”.

Da mesma forma que os Vingadores da Costa Oeste dos anos 80/90, eles também vão morar todos juntos. Mas esquece este lance de grande mansão NABABESCA mantida por Tony Stark, do tipo que a Mulher-Hulk vinha visitar só pra poder curtir a praia — até porque a antiga base dos caras em Palos Verdes, na Califórnia, foi realocada por Hank Pym pra ser o quartel-general/centro de treinamento dos estudantes da Academia de Vingadores. E o atual Tony Stark, afinal de contas, tá longe de ser aquele bilionário esbanjador de outrora. Como se manter?

Simples: eles agora são parte de um reality show que registra o seu dia a dia dentro de uma mesma casa. SÉRIO. :)

O conceito todo é bem do promissor e, se não bastassem os roteiros da Kelly, a arte ainda ficará a cargo do competente Stefano Caselli, o que de longe torna esta HQ uma das mais aguardadas do tal do Fresh Start da Marvel.

Os Vingadores da Costa Oeste originais, que já enfrentaram inimigos como Ultron, Ceifador, Graviton e o grupo Zodíaco, já tiveram na formação nomes como Coisa, Asa de Fogo, Mantis, Visão, Feiticeira Escarlate, Cavaleiro da Lua, o Tocha Humana original, Mercúrio, Homem-Máquina, Máquina de Combate, Relâmpago Vivo, Mulher-Aranha (Julia Carpenter) e até o instável Agente Americano — um Capitão América genérico que em certo momento chegou a substituir Steve Rogers e que acaba colocado no time como um representante do governo americano, gerando tretas com Clint Barton que se tornaram memoráveis.

Foi também no título mensal dos VCO, que durou 102 edições de outubro de 1985 a janeiro de 1994, que aconteceu um dos momentos mais importantes da história dos Vingadores enquanto time, tudo escrito e desenhado por John Byrne.

Totalmente desmembrado por uma cúpula de agentes de diferentes governos, o Visão tem suas partes recuperadas pelo Dr.Hank Pym, que o remonta com um novo visual, que por conta dos danos à sua pele acaba ficando totalmente sem cor (pra galera mais velha e que curtia uns JOGUINHOS de arcade, é aquele Visão todo branco do clássico Captain America and the Avengers, de 1991). Mas sem os padrões mentais do Magnum, que foram usados no passado e que acaba se recusando a ter a mente mapeada desta vez, o Visão que renasce é um ser mecânico totalmente sem emoções.

Nesta fase também se descobriu que os dois filhos que o Visão teve com a Feiticeira Escarlate na verdade não existiam — mas eram, isso sim, fragmentos da alma do demônio Mefisto, que tinham sido arrancados dele pouco tempo antes pelo filho de Reed e Sue Richards, Franklin.

Quando os dois garotos são então reabsorvidos pelo ser das trevas, além da separação do casal, Wanda chega a enlouquecer, plantando as sementes do que seria utilizado, anos depois, como base da longa fase de Brian Michael Bendis à frente dos Vingadores, que os tornou novamente um dos títulos mais populares da Marvel. No começo de tudo, adivinha o que aconteceu? A Feiticeira Escarlate matou o Gavião Arqueiro, fazendo com que ele fosse substituído pela Kate Bishop.

Como este mundo dá voltas, hein? No fim das contas, uma nova formação dos Vingadores da Costa Oeste com o Clint e a Kate juntos é uma daquelas justiças poéticas sem tamanho, não é mesmo? :)