Jornalismo e o Superman de Henry Cavill | Judão

Passo a passo, analisamos toda a história publicada pelo Hollywood Reporter, como ela se espalhou e o que isso tem a ver com o nosso trabalho

Nós aqui do JUDAO.com.br acreditamos de verdade — até demais, se queremos ser sinceros aqui — que o nosso trabalho vai muito além do que postar todo e qualquer tipo de informação que surge na internet relacionado a filmes, quadrinhos, música, séries e cultura pop em geral. Temos lá o @JUDAONews no twitter que é essencialmente pra isso, é verdade, mas MESMO LÁ a gente fica sem paciência pra todos os “não sei quem quer ser tal personagem num filme de super-herói” e esse tipo de coisa. Isso vai aparecer em TODOS os sites, porque, especialmente na internet Brasileira, é isso o que dá audiência e que, consequentemente, paga as contas (infelizmente).

Não há tempo para apuração ou análise. É preciso postar o quanto antes, pois quanto mais gente for impactada por aquilo nas redes sociais (em especial o Facebook), mais gente vai ser impactada nas redes sociais (em especial o Facebook) e a bola de neve aumenta. Nem há a chance de ouvir reclamações de fandoms em geral, já que, sem apuração, sem análise e sem opinião, não há do que reclamar. É só alegria.

Nada disso é novidade, porém, se você acompanha o JUDAO.com.br há uns três ou quatro anos. Pra alguns pode soar estranho, mas foi em 2015 que tomamos a decisão de cortar as chamadas “hard news” do nosso conteúdo e focarmos justamente na apuração e na análise — além, é claro, de continuarmos com o que marca o JUDAO.com.br em seus 18 anos de vida: a opinião. É por isso que insistimos tanto para que você, que curte o conteúdo que fazemos, assine nosso Catarse, espalhe nossa palavra...

Hoje em dia praticamente todos os grandes portais e grupos de mídia do Brasil cobram pra que você possa ler seus conteúdos. O JUDAO.com.br continua produzindo conteúdo de graça pra todos, de forma independente, em diversas mídias, e vai fazer isso pra sempre. Mas não tá fácil pra ninguém.

Nunca o JUDAO.com.br foi tão lido em toda sua história, mas anúncios estão desaparecendo, o Facebook não deixa ninguém sair de lá e nós dependemos cada dia mais dos nossos leitores, ouvintes e espectadores pra financiar a produção de todo esse conteúdo sobre cultura pop que é bem raro na internet Brasileira. Se todo mundo que gosta, compartilha e/ou comenta contribuir, o nosso futuro estará garantido. Vamo?

Conheça nosso projeto e assine a partir de R$10 / mês. :)

Na manhã da quarta-feira, 12 de Setembro, o Hollywood Reporter publicou uma matéria afirmando que Henry Cavill não seria mais o Superman, depois de todo um CHACOALHÃO no Universo DC dos cinemas. “Negociações não deram certo para uma participação em Shazam! por conta de conflitos de agenda e a porta agora está se fechando em outras potenciais aparições do ator”, afirma a matéria, logo no chamado LIDE, o que, em termos jornalísticos, é a primeira parte de uma notícia, um primeiro parágrafo em destaque, que dá uma informação básica sobre o que ele lerá dali pra baixo.

A matéria segue reafirmando os problemas com as negociações para o cameo e, com o foco do estúdio se virando para o filme solo da Supergirl, que será uma história de origem de uma heroína ~adolescente, isso, como diz o texto, “efetivamente tira um ator da idade de Cavill da equação já que Superman, aka Kal-El, seria uma criança, de acordo com os quadrinhos”.

Algumas fontes do THR afirmaram que o problema com essa participação se deveu por conta de CONFLITOS DE AGENDA, o que sua escalação para The Witcher poderia confirmar; outras dizem que tudo isso aconteceu depois de ele fechar o contrato para a série do Netflix, mostrando então que a Warner estaria com outras ideias em mente. “A Warner não deve fazer um filme solo do Superman por mais alguns vários anos”, continuou o texto, citando uma fonte. “Assim sendo, Cavill se juntará a Ben Affleck, que não deve reprisar seu papel para o filme solo do Batman dirigido por Matt Reeves, como um herói saindo de cena”.

A saída de Henry Cavill do Universo DC dos cinemas seria, portanto, pela simples falta de opções do que fazer lá dentro

Em Abril, durante a CinemaCon, o Collider publicou uma entrevista com Cavill na qual o ator afirmou estar tendo diversas conversas e que estava esperançoso para que as negociações para outros filmes dessem certo. “Eu quero muito fazer Homem de Aço 2. (...) Há todo um estilo do personagem que eu quero muito explorar e não vejo a hora de ter a oportunidade”.

Na época, o que se sabia é que Cavill tinha contrato para mais um filme — o que garantiria sua participação em Shazam!, por exemplo. Mas, assim como Robert Downey Jr. em Homem-Aranha: De Volta ao Lar, em que foi necessária tooooda uma negociação para que o contrato se estendesse por pelo menos mais um filme, SE ele participasse de Shazam!, o contrato se encerraria. E ele, pelo jeito, tava bem empolgado com o que poderia acontecer no futuro pra gastar sua última ficha num cameo.

Nesses casos em que atores tem contratos para um número X de filmes, não significa que o estúdio precise FAZER os filmes, e sim que os atores precisam estar lá CASO resolvam fazer os filmes. É compreensível, portanto, as declarações de Dany Garcia, empresária do ator, e da própria Warner, sobre esse assunto. “Fiquem tranquilos, a capa ainda está no seu armário”, afirmou Garcia. “A Warner foi e continua sendo nossa parceira enquanto eles evoluem o Universo DC”. Já o porta-voz da Warner, ainda que escorregadio, tocou em um ponto importante. “Temos um grande relacionamento e um grande respeito por Henry Cavill que continua sem mudanças. Além disso, não tomamos nenhuma decisão sobre filmes vindouros do Superman“.

Ao afirmar que não há nenhum plano para um novo filme do Homem de Aço, a gente pode voltar lá pra cima e ler tudo de novo com essa informação na cabeça e perceber que, hmmmm... Se eles não tomaram nenhuma decisão, isso PODE significar mesmo que “as portas estão fechando”; que o foco vai ser na Supergirl; que não há nenhum plano para um Homem de Aço 2 num futuro próximo...

E é exatamente nesse momento em que a mágica do jornalismo se revela.

Acostumados com a absurda credibilidade que um veículo como o THR tem, a internet começou a reagir à história, muitos — inclusive o nosso @JUDAONews — já dando como certa o PENDURAMENTO (se essa palavra não existir, ficaí pros dicionários!) da capa por parte do ator britânico que, nos últimos anos, tem se tornado muito mais sinônimo de memes e o que não se fazer digitalmente em um filme do que amor, esperança e tudo aquilo que se espera de um Superman (algo que, é bom nos lembrar, Henry Cavill entende muito melhor que a própria Warner). Alguns outros veículos, como The Wrap e Deadline, que também tem uma enorme credibilidade no mercado, não só reagiram e repercutiram como também confirmaram, INDEPENDENTEMENTE, o que o Hollywood Reporter publicou.

Outras fontes, ouvidas por outros jornalistas, afirmaram EXATAMENTE a mesma coisa. No mínimo, “onde há fumaça, há fogo”

Para veículos de comunicação como o JUDAO.com.br e tantos outros que estão até FISICAMENTE impossibilitados de apurar essas informações, resta fazermos um outro tipo de trabalho, que é filtrar as informações e repercutí-las, analisá-las e, se for o caso como costuma ser sempre por aqui, opinar — um trabalho que é MUITO difícil, e por isso insistimos para que você assine nosso Catarse, espalhe nossa palavra, etc. ;)

Se o que dizemos não bastar pra vocês, não tem problema: existem os sites gringos que PUBLICARAM as informações, a partir do que eles mesmos ouviram diretamente dos envolvidos. Independente de onde você decidir consumir sua informação, porém, é necessário que você leve em consideração o jornalismo. Você pode achar o Henry Cavill o Superman perfeito, seja pelo seu físico, seja pela sua atuação, seja PELO QUE FOR, não importa. Isso não significa que coisas como ele deixar de ser o Superman não vão acontecer.

LEIA TAMBÉM!
O fim do JUDAO.com.br

Não é só porque você quer (ou não) alguma coisa que você terá alguma coisa. E o jornalismo não está aqui pra te entregar o que você quer, mas sim os fatos. Ou então não adianta nada o nosso trabalho. Não adianta nada um grande portal criar uma área pra “desmentir fake news” se quem as espalha acredita mais no que está espalhando, pelo simples fato de que aquilo tem mais relação com o que ela acredita.

Vivemos em uma época em que Brasileiros, pra tentar provar o ponto de que “nazismo é de esquerda”, afirmaram que “alemães não sabem o que é nazismo”.

Não adianta a gente vir aqui e explicar como funciona o nosso trabalho se o nosso leitor acreditar que somos pagos por uma ou outra empresa pra dizermos coisas — mesmo quando, em todos os conteúdos que produzimos, tenhamos um enorme aviso de que só fazemos o que fazemos por causa dos nossos leitores; atualmente, aliás, só fazemos o que fazemos LITERALMENTE porque temos assinantes no Catarse.me/JUDAOcombr pois, caso contrário, já teríamos desistido faz tempo.

Por isso, deixo aqui uma recomendação: acredite no jornalismo. Sempre. É só ele que vai publicar o que não querem que publiquem. E se não querem que publiquem, algum motivo tem — normalmente relacionado a ganhar alguma coisa em cima de você, agora ou depois. Se o jornalismo afirmou que o Henry Cavill não será mais o Superman por uma série de razões através de três veículos diferentes, NO MÍNIMO, é pra se questionar tudo o que for de “oficial” divulgado.

Ainda mais quando for algo que não diz porra nenhuma.

View this post on Instagram

Today was exciting #Superman

A post shared by Henry Cavill (@henrycavill) on

Em tempo: toda a história envolvendo Michael B. Jordan como Superman não passa de especulação. Ela surgiu no Deadline que, citando as suas fonte que confirmavam a “saída” de Henry Cavill do DCEU, afirmou que a Warner tava querendo TANTO mudar as coisas que cogitaram entregar o uniforme pro ator.

Se nós do JUDAO.com.br e uma boa parte da internet acreditamos que ele seria um ótimo Superman, isso NADA tem a ver com a notícia. É pura e simplesmente uma ideia que acreditamos que seria legal e, assim sendo, utilizamos nossas redes sociais pra expor essa opinião — além, é claro, pra aproveitar pra encontrar leitores babacas e racistas e baní-los dessas mesmas redes sociais. ;)