Olhe atrás de você, é o Macaco de Três Cabeças! | Judão

Barba Negra, Anne Bonny, Samuel Bellamy, Christopher Summers, Guybrush Threepwood ou Mancomb Seepgood tanto faz: verdadeiros ou não, estes corsários ao mesmo tempo carismáticos e sanguinários botaram o medo nos sete mares e se tornaram personagens icônicos da cultura pop

Em termos históricos, os piratas são essencialmente ladrões, do tipo que ataca pelo mar para saquear navios levando cargas preciosas que podiam então ser contrabandeadas e transformadas em riquezas para bancar ainda mais armas para a tripulação e ainda mais pilhagens lá pra frente.

Embora existam relatos deste tipo de atividade desde a Grécia Antiga, a figura do pirata que acabou se tornando parte do imaginário popular é aquela do corsário da região do Caribe, que enlouquecia os grandes impérios como a Inglaterra, Espanha, Portugal e a França, aqueles mesmos que começaram a estabelecer suas colônias aqui e ali e transportavam via navio as enormes quantidades de riquezas “extraídas” como “tributo”.

O estereótipo da barba enorme, do tapa-olho, da perna de pau, de predileção por rum, do gancho no lugar da mão e até do papagaio tagarelando no ombro, tudo sob a ameaçadora visão da Jolly Roger (que você não sabia, mas agora sabe que é o nome da bandeira com a caveira e os ossos cruzados), virou também uma figura icônica clássica para a cultura pop — tanto quanto o ninja ou o samurai, por exemplo.

Os donos do mar, “audazes e temerários, terríveis e sanguinários”, acabariam romantizados, tornando-se igualmente sedutores não apenas na água, também nos céus e até no espaço — fãs de ficção científica conhecem bem aquele arquétipo do “pirata espacial”, né?

A gente resolveu aproveitar a estreia do mais novo filme da franquia Piratas do Caribe para trazer o assunto à tona como nosso tema dessa semana. Vamos falar dos piratas que estão no cinema, nas séries de TV, nos gibis. E também vamos, vejam vocês, falar sobre pirataria, que é um assunto importante de ser discutido no âmbito da cultura pop SIM, por todos os lados, pelos mais diferentes ângulos, sem hipocrisia, sem demagogia.

Enquanto isso, nunca é demais lembrar que basta apenas uma moeda pra você dar uma força e tanto pro nosso barco aqui do JUDÃO continuar navegando firme e forte por águas cada vez mais turbulentas. Dá um pulo lá no Apoia.se/JUDAOcombr para fazer parte do nosso financiamento recorrente, porque dá pra contribuir a partir de 1 REAL. Umzinho, pequenino, inocente. Você vai fazer parte da nossa tripulação e dar aquela turbinada no vento que nos leva para mares nunca dantes navegados. E enquanto a gente explora novos territórios, te damos até um remedinho para evitar o enjoo em alto mar, se precisar.

Para celebrar a sua assinatura (porque temos CERTEZA ABSOLUTA que você leu isso e foi lá correndo fazer a sua parte), queremos então te propor um brinde. À melhor moda dos piratas. ;)