A história do James Gunn com a Disney parece estar longe de acabar | JUDAO.com.br

Tem alguém (ou muitos alguéns) lá dentro do próprio Castelo da Margarida insistindo pra eles repensarem a decisão…

“As atitudes e declarações que descobrimos no feed de James são indefensáveis e inconsistentes com os valores de nosso estúdio”. Foi desta forma que Alan Horn, chairman dos Walt Disney Studios, abriu a sucinta declaração com a qual anunciou a demissão de James Gunn depois de toda aquela história dos tweets antigos.

Quem ouve o ASTERISCO, o programa / talk show / podcast / o que você quiser sobre cultura pop e adjacências do JUDAO.com.br, já sabe que temos questões com este lance aí de “inconsistentes”, principalmente se formos lembrar do passado da própria casa da Margarida (vá com fé e, pra começar, jogue “corvos do Dumbo” no Google). Porém, parece que até a parte do “indefensáveis” não reflete o pensamento de TODA uma empresa e que, da porta pra dentro, tem Donald que não concorda com Pateta. Os próprios atores de Guardiões da Galáxia já se manifestaram publicamente contra a decisão – e entre eles, Dave Bautista tem sido o mais VOCAL. Mas tudo indica que tem MAIS gente, lá dentro da Disney, discutindo que se volte atrás na decisão e que ele seja reintegrado à cadeira de diretor de Guardiões da Galáxia Vol. 3.

De acordo com o Deadline, é inclusive a galera da própria Marvel Studios que tá conversando com a chefia. Kevin Feige, talvez? Nada de briga, nada de treta, mas uma discussão que tem foco em negócios, pensando no bem de uma das séries de filmes mais rentáveis dos caras – o primeiro faturou globalmente mais de US$ 770 milhões, enquanto o segundo ultrapassou a marca de US$ 860 milhões.

Não é pouco pra se brincar e, considerando um grupo de atores que declararam total fidelidade ao cineasta, mesmo admitindo o nível baixíssimo daquelas piadas de seis, oito anos atrás, fica a questão: como garantir que o nível deste terceiro capítulo seja o mesmo dos dois primeiros?

“Ainda não foi batido o martelo final sobre esta história e as conversas com a Marvel continuam”, afirmam duas outras fontes para o THR. Um complicador importante é que a turma do Homem-Aranha está seriamente pensando em usar o roteiro que Gunn escreveu, conforme o próprio Bautista cravou como condição mínima para continuar vivendo o Drax. Segundo a publicação, o diretor poderia inclusive voltar nem que fosse para desenvolver e dirigir OUTRO filme da Casa das Ideias.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

As mesmas fontes também contam que o contrato do diretor, apesar de não ser do tipo “pay or play”, cláusula que significa que a Disney teria que colocar a mão no bolso e pagar o valor completo acordado com o cara mesmo que seus serviços de roteiro/direção não fossem usados, garantiria a ele algo em torno de US$ 10 Milhões de multa, já que, segundo consta, pensando judicialmente, os tweets não podem ser considerados quebra de contrato justamente porque foram escritos ANTES dele assinar seu primeiro acordo com a Marvel Studios / Disney. E o mais importante: Gunn estaria livre, leve e solto para embarcar em outro projeto.

Outro projeto que, é claro, poderia ser FORA da Disney.

“Eu trabalharia com ele num piscar de olhos”, afirmou, em entrevista pro THR, um executivo sênior de um estúdio rival. Aliás, a publicação conta que conversou com diversos profissionais dos bastidores de Hollywood que repetiram o mesmo discurso. Mas... “Me disseram que não podemos fazer nenhuma proposta pra ele até que a questão da Disney esteja 100% resolvida”, afirmou outro executivo.

Informações de bastidores dão conta, INCLUSIVE, que um dos estúdios interessados em comprar o passe de James Gunn é uma certa Warner... que, por acaso, tem lá também o seu próprio pacote de filmes baseados em gibis. JÁ PENSOU NESTE JOGO VIRANDO?

Voltamos a qualquer momento com novas informações.