Por dentro do Dolby Theatre, a casa do Oscar! | Judão

Visitamos o teatro mais importante de Hollywood e te contamos como é lá dentro

Academy Awards, o Oscar. A premiação mais importante do cinema. Tem gente em Hollywood que daria a vida pra ter um daqueles velhos carecas dourados na estante. Mas existe um lugar na Hollywood Boulevard que é tão importante quanto aquelas estatuetas – ao menos quando se fala nos cofres de alguns figurantes de Los Angeles. É o Dolby Theatre, lar do Oscar desde 2002 – e o JUDÃO esteve lá, pra te contar um pouco mais dos bastidores dessa festa.

Quando foi anunciado, o então Kodak Theatre (nome original do teatro) fez parte de um projeto muito maior. Projeto esse que acabou se tornando o Hollywood and Highland Center, justamente na esquina da Hollywood Blvd. com a Highland Ave. A região é sempre cheia de turistas e o local serve como um shopping center para toda essa gente. São inúmeras redes multinacionais que ficam ali.

Ou seja, a frente do Dolby Theatre, aquela que você vê no dia do Oscar, é na real a entrada de um shopping. A verdadeira entrada do teatro fica mais para dentro, depois de vários lojas, colunas com inscrições de todos os vencedores do Oscar de melhor filme até hoje (e a possibilidade de inscrevê-los até 2071) e uma enorme escada. Ainda há diversos outros andares, estacionamentos e por aí vai. É um negócio sustentável, economicamente falando.

Lembre-se: estamos falando dos EUA. Não é o Brasil, ninguém faz um estádio de milhões em Manaus pra ser usado em meia dúzia de jogos e, depois, ficar juntando pó. O complexo foi pensado como algo mais importante. Algo que tem uso no outros 364 dias do ano.

Quem entra no Dolby Theatre e olha pra trás, no dia do Oscar, vê mais ou menos isso (Foto: Thiago Borbolla / JUDAO.com.br)

Quem entra no Dolby Theatre e olha pra trás, no dia do Oscar, vê mais ou menos isso (Foto: Thiago Borbolla / JUDAO.com.br)

Porém, fora a semana do Oscar, o teatro permanece fechado, sendo possível apenas uma visita monitorada – que não permite fotos, por questões de segurança. Nenhuma peça é apresentada por lá desde o começo de 2013, quando o Circe Du Soleil encenou Iris.

Big time

A grande semana começa com todos os lojistas do Hollywood and Highland Center retirando sua publicidade das fachadas. É tudo removido, dando a impressão de que todo o shopping é o teatro. Na mesma época, o acesso ao interior do teatro é controlado. Nem mesmo os funcionários regulares podem circular se não tiverem uma credencial especial, apenas pra aquela semana. Segurança, nos EUA, não é brincadeira.

Por último, a quadra da Hollywood Boulevard na qual fica o teatro é fechada. Primeiro, a rua, onde são montadas diversas “operações”, com as calçadas abertas para o livre acesso, inclusive do complexo; depois, no fim de semana do evento, tudo. Ninguém pode entrar ali se não tiver uma credencial de trabalho, imprensa ou convite para a cerimônia. Há uma única exceção: o público que fica em uma arquibancada na rua, vendo o tapete vermelho. Essas entradas são gratuitas e distribuídas via internet — mas não é nada, absolutamente NADA fácil conseguí-las. :)

Isso, claro, causa algumas histórias engraçadas. O guia do tour que fiz no Dolby Theatre contou, por exemplo, que certa vez barraram o Tom Hanks na rua, exatamente nesse controle que fica a uma quadra do teatro. Ele estava sem nenhum documento com foto e foi obrigado a trazer um pra entrar.

Tudo bem, é Hollywood, sósia é o que não falta. Mas deviam ter desconfiado de um tão parecido. ;D

O ainda Kodak Theatre sendo preparado pra receber o Oscar de 2012 visto do outro lado da rua (Foto: Thiago Borbolla / JUDAO.com.br)

O ainda Kodak Theatre sendo preparado pra receber o Oscar de 2012 visto do outro lado da rua (Foto: Thiago Borbolla / JUDAO.com.br)

 

Antes da Hollywood Blvd

O Dolby Theatre (antes conhecido como Kodak Theatre) não foi o primeiro local a receber o Academy Awards, claro. A primeira festa, em maio de 1929, foi um simples jantar no Hollywood Roosevelt Hotel, ali perto. Depois, a cerimônia aconteceu em vários lugares, incluindo o Ambassador Hotel, o Chinese Theatre, grudado, e o Pantages Theatre, um pouco mais longe.

Aliás, nem sempre a premiação aconteceu em Los Angeles: nos anos 50, parte da festa rolava em Nova York, em um teatro da NBC.

Um lugar exclusivo para o Oscar só foi existir apenas a partir de 2002, no Kodak Theatre, erguido onde antes ficava o famoso Hollywood Hotel.No dia do Oscar os convidados passam pelo tapete vermelho por dois caminhos. Um é o rápido, pra quem não é famoso ou não curte muito flashes. O outro é o caminho no qual há a imprensa credenciada para cobrir o tapete vermelho, que vai abordando as pessoas nos famosos pre-shows. Tem gente que pode perder cerca de uma hora apenas para percorrer esses poucos metros.

Passado esse caminho externo, finalmente o convidado entra no Dolby Theatre — e são apenas os convidados. Pra ser um deles é bem difícil, aliás. O teatro tem capacidade para pouco mais de 3 mil pessoas. Cada um dos indicados recebe apenas dois convites, um pra si e outro pro acompanhante. O mesmo acontece com os apresentadores. E não adianta pedir mais: é um e pronto. Sem falar que, se você não vai apresentar nada, nem for indicado, tem que pagar pra entrar, não importando que a Academia tenha te convidado.

“E quem são os convidados?”, você deve estar se perguntando. Pode ser um cara como George Clooney, por exemplo: um rosto conhecido, que todo mundo vê e gosta, mas que não foi indicado especificamente.

Além disso, cerca de 2 mil membros da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas, a dona da festa, são chamados em um esquema rotativo – são quase 6 mil membros, então esse rodízio é necessário.

Quando esse pessoal todo passa por aquela que é efetivamente a porta de entrada do teatro, dá de frente com um outro hall e mais escadas. São 3 andares assim, quase iguais, com fotos de festas anteriores, bares e uma sala VIP chamada Dolby Lounge – na qual poucos entram e onde tem uma estatueta recebida pela própria empresa.

Há, claro, algumas curiosidades sobre essa entrada. As escadas tem degraus baixos, ajudando as mulheres com longos vestidos ou quem exagerou na bebida. Falando em bebida, os bares estão em todos os andares pra facilitar a circulação – e, principalmente, fazerem as pessoas chegarem até a plateia. É que as bebidas alcoólicas são gratuitas até um certo momento antes do início da festa, fazendo com que queiram passar logo pelo tapete vermelho, e a cobrança vai sendo feita de forma escalonada em cada um dos bares, o que também faz os convidados irem subindo as escadas para buscar bebida no próximo bar.

Depois que a premiação começa, tudo é cobrado, em qualquer lugar. E não importa se você é um pé rapado no Brasil ou um astro de Hollywood: por que pagar por algo que você pode ter de graça, mais cedo?

Outra curiosidade interessante, contada pelo nosso guia: nos Academy Awards de 2012 um entupimento em um dos banheiros dos halls chegou a inundar parte do segundo andar – por isso, tiveram que evitar a circulação dos convidados por algum tempo, até resolverem (e limparem!) tudo.

dolby-theatre.jpeg-1280x960

A Plateia

O acesso até a plateia é feito por uma rampa. Passando por ela, você chega em um local enorme. Não é, obviamente, tão grande quanto parece na TV, mas ainda assim é bem grande pra um teatro. Os convidados importantes, como diretores, atores, produtores dos filmes indicados, etc., ficam no nível mais baixo, enquanto os outros membros da Academia ficam nos níveis superiores, sem acesso ao palco.

A posição na qual os indicados e apresentadores sentam é estudada por semanas. Basicamente, eles ficam ou na primeira fileira ou nos corredores, facilitando na hora de levantar para apresentar/buscar o prêmio – o que salva preciosos minutos da transmissão.

Uma coisa você deve ter reparado: nunca há lugares vazios na plateia. As pessoas não levantam, nem pra ir no banheiro? Mas é claro que levantam. Pra não ficar feio existem os chamados “seat fillers”, que são, por exemplo, aqueles cara que ocupam o assento do Leonardo DiCaprio quando ele vai tirar água do joelho.

85th Academy Awards, Telecast

E aí chega o grande momento: o ator/atriz/diretor/whatever vence o prêmio. Ele ou ela vai até o palco, tropeça, cai, pega a estatueta, faz o discurso e... Vai pro seu lugar? Não exatamente. Se ele não tiver algo importante em seguida (como outra indicação ou apresentação de categoria), o vencedor segue por um corredor ao lado do palco. Depois de uma caminhada, é hora de encontrar a imprensa.

And the Oscar goes to...

Não, nenhum jornalista pode entrar no Dolby Theatre no dia do Oscar. Nenhum. Quando alguém diz que “tá dentro da festa”, na real está se referindo ao Lowes Hollywood Hotel, que também faz parte do complexo. É lá onde acontecem as coletivas com os vencedores, que, depois, retornam para o Dolby Theatre por meio do mesmo corredor, que serve de ligação entre os dois prédios.

Festa depois da festa

Por conta da diferença de horário entre Los Angeles / Costa Oeste e Nova York / Costa Leste dos EUA, o Oscar acontece cedo no horário local. Este ano, a festa está agendada para as 17h30 da Costa Oeste, 20h30 na Costa Leste – e 22h30 no Brasil.

Quando a festa acaba, ainda é bem cedo. Por isso são comuns histórias de vencedores bêbados andando pelo Dolby Theatre, comemorando a conquista e oferecendo pra qualquer um a oportunidade de “sentir como é segurar a estatueta”. De qualquer forma, há uma festa oficial, no quinto andar do Hollywood and Highland Center – ou seja, um dos andares do shopping, mas que é totalmente convertido em um local para festas. Fica praticamente irreconhecível.

Ninguém é obrigado a ir pra lá, claro. Há diversas outras festas rolando em Hollywood na noite. Ou, sei lá, você pode ser tão legal quanto o Ang Lee e ir comer no In’n’Out Burger.

A melhor escolha. ;)

Ang Lee