Pra quem quer escrever pra TV, nada melhor do que ler como ELES escreveram, né? | JUDAO.com.br

Site libera pra download os roteiros dos episódios-piloto de 50 séries diferentes, incluindo Breaking Bad, The Handmaid’s Tale, House of Cards, Mad Men, The West Wing, Game of Thrones, Friends e a porra toda

“Da escuridão, começa uma música. Sinistra e agourenta. Então, do escuro, surge uma única palavra, flutuando no espaço, fora de foco, em direção à câmera. Conforme ela se aproxima, vai entrando em foco, mas fica totalmente legível por um breve momento: LOST. Conforme vai se aproximando, ela perde foco novamente e vamos entrando na letra O conforme a canção vai crescendo, até que para abruptamente no olho de um homem. Close extremo. Aberto. A pele do homem está molhada, salpicada com terra e manchas de sangue. Sua respiração está cansada, errática. Este homem está em choque. O som de insetos e animais parece transcendental. Uma piscada”.

O tal homem é ninguém menos do que o neurocirurgião Jack Shephard, um dos protagonistas de Lost. E é desta forma que começa o roteiro do episódio-piloto de uma das séries de maior impacto na TV contemporânea, cortesia de J.J. Abrams & Damon Lindelof. Sabe o mais legal? Agora dá pra ler a íntegra deste trabalho, cuja última versão foi entregue em Abril de 2004 pra emissora, mas também a de muitos outros episódios inaugurais de séries de destaque — 50 delas, mais especificamente, de acordo com este listão de downloads que os caras da consultoria especializada em leitura, mentoria e aconselhamento de roteiros Script Reader Pro, lá da Califórnia, liberaram.

“Se você quer aprender a escrever para a TV, ler estes pilotos de séries é uma das melhores formas de ajudar a incrementar suas habilidades como roteirista”, diz a equipe do site. “Você vai aprender como estabelecer os personagens num piloto, ambientar o mundo do seu programa e tudo que é preciso saber sobre a estrutura de um piloto. Mais importante, no entanto, estudar estes roteiros de TV ajuda a descobrir como criar um sentido de intriga que fará o leitor querer saber o que acontece no próximo episódio. Como você sabe, seu roteiro vai competir contra centenas de outros specs lá fora, então é melhor causar algum impacto”.

Hoje em dia praticamente todos os grandes portais e grupos de mídia do Brasil cobram pra que você possa ler seus conteúdos. O JUDAO.com.br continua produzindo conteúdo de graça pra todos, de forma independente, em diversas mídias, e vai fazer isso pra sempre. Mas não tá fácil pra ninguém.

Nunca o JUDAO.com.br foi tão lido em toda sua história, mas anúncios estão desaparecendo, o Facebook não deixa ninguém sair de lá e nós dependemos cada dia mais dos nossos leitores, ouvintes e espectadores pra financiar a produção de todo esse conteúdo sobre cultura pop que é bem raro na internet Brasileira. Se todo mundo que gosta, compartilha e/ou comenta contribuir, o nosso futuro estará garantido. Vamo?

Conheça nosso projeto e assine a partir de R$10 / mês. :)

Neste texto aqui, no qual te contamos que a franquia Premonição começou, originalmente, como uma proposta de episódio para Arquivo X, a gente te explica também o que é o tal spec script — ou ROTEIRO ESPECULATIVO, em bom português. Pensaí numa série que você gosta — pode ser de filmes, de TV, quadrinhos, isso é o de menos. Você obviamente tem uma ideia genial que ninguém nunca pensou e que, porra, daria não só um bom rumo pra história como também te arranjaria o emprego dos sonhos, né? Pelo menos se você sonha em ser roteirista...

Bom, é muito difícil que você consiga emplacar sua história naquela série dessa maneira, simplesmente porque estúdio nenhum permite que os specs scripts para seus produtos sejam sequer lidos, evitando assim possíveis processos de plágio, por exemplo. Imagina se aquela sua ideia aparece na série e você não foi creditado? Sabendo que ninguém leu, pelo menos, você só tem de se resignar sabendo que alguém pensou o mesmo que você. AGORA... Nada impede que você entregue o roteiro a um agente ou mande pra outros estúdios e produtoras.

Então, é isso aí. O seu spec script pode ser você usando sua série favorita como porta de entrada pro mundinho de Hollywood, por que não? Seja como for, se a sua ideia é criar uma série original, assim, do zero, ou então apenas fazer um estudo que te ajude a mostrar a cara lá fora ou, vá lá, quem sabe AQUI dentro também, esta lista do Script Reader Pro, dividida em drama, comédia, ação/aventura, thriller e horror, serve como um belo de um intensivão, mostrando como diferentes profissionais tratam esta fina arte de formas tão sutilmente

O mais legal é que esta curadoria traz, antes dos links pra download, pequenas curiosidades a respeito de cada produção — como o fato de que ER (aka Plantão Médico, conforme exibição nas nossas telinhas), foi originalmente um roteiro de cinema escrito em 1974 por ninguém menos do que Michael Crichton (o autor do livro original de Jurassic Park) com base em suas próprias experiências como estudante de medicina. Muitos anos depois é que ele ressuscitou a parada como um piloto de série de TV. Conseguiu convencer alguém. Deu certo.

Ou ainda o trabalho dos Irmãos Duffer, que receberam uma mentoria pessoal de M. Night Shyamalan enquanto trampavam na produção de um episódio da série Wayward Pines, criação do diretor. Foi naquele momento que eles tiveram a ideia pra Stranger Things — apresentada pra 15 canais tradicionais de TV e rejeitada por todos. “Escrevemos um episódio. Então meio que montamos um livro de como seria, como iria aparecer. Nós desenvolvemos de forma bem rudimentar, como um pitch de 20 minutos”, afirmou Ross Duffer em entrevista ao JUDAO.com.br.

Outro roteiro bem interessante de ler é o do piloto de Curb Your Enthusiasm, a série escrita por Larry David que é conhecida justamente por NÃO depender de roteiros. “Ao invés disso, ele produz um guia por conta própria e os diálogos são amplamente improvisados pelos atores no set”, explica o site. “No entanto, esta é uma leitura essencial para todos os escritores de TV de comédia que procuram encontrar humor nas minúcias da vida cotidiana”.

Em resumo, este conjunto de PDFs é uma aula pra aspirantes a roteiristas? Ô, sem dúvida. Mas também é um deleite pra quem se interessa mais pelos bastidores da nossa boa e velha cultura pop. Então, a gente repete o link BEM AQUI. E só vai.