Rihanna não quis se apresentar no show do intervalo do Super Bowl 52, provando que a NFL não cansa de passar vergonha | JUDAO.com.br

Depois da saída de Colin Kaepernick do San Francisco 49ers e a proibição de protestos durante a execução do hino nacional, a imagem da liga poderia ficar pior sim

Então parece que o show do intervalo do Super Bowl 52, que acontece no dia 03 de Fevereiro do ano que vem, vai ser do Maroon 5. Nem a NFL, nem a banda, confirmaram oficialmente, mas é o que tá todo mundo falando há um mês mais ou menos, seja porque “MAROON 5? MESMO?”, seja porque “MAROON 5 NO SUPER BOWL EM ATLANTA? MESMO?”.

Dizem até que a NFL teria chamado a Cardi B pra se apresentar com a banda pra aliviar um pouco a branquitude que não condiz em nada com a cidade, mas ela queria um trecho do show só pra ela, mais ou menos como a Beyoncé fez com o Bruno Mars, lembra? Enfim.

O interessante, porém, é que os motivos que fizeram a Liga se ver com o Maroon 5 nas mãos, justamente num dos momentos de maior audiência da TV mundial, podem significar aquela mordida na própria bunda por parte da NFL.

Depois de toda a ~polêmica iniciada em 2016, quando o quarterback do San Francisco 49ers, Colin Kaepernick se ajoelhou na hora do hino nacional dos EUA em protesto ao tratamento dos policiais com os negros, que o levou a ficar de fora da temporada 2017/2018 e, agora, 2018/2019, a NFL resolveu proibir que outros jogadores se ajoelhassem ou fizessem qualquer protesto durante a execução da música que fala sobre a “terra dos livres e casa dos bravos”. Quem não quiser participar, porém, pode ficar no vestiário e entrar depois.

Essa decisão, olha só que coisa linda, teria feito ninguém menos que Rihanna negar se apresentar no tal do show, justamente por apoiar Kaepernick.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Segundo a US Weekly, a mesma revista que publicou a informação do Maroon 5 em Setembro, a “NFL e a CBS queriam muito a Rihanna em Atlanta. Eles fizeram a oferta, mas ela disse não por conta da controvérsia dos protestos. Ela não concorda com a posição da NFL”. Mais específicamente, o que a fonte da revista afirmou é que ela “apoia Colin Kaepernick”.

O show do intervalo da NFL não chega a ser o grande momento da carreira de nenhum artista (ainda que o Maroon 5 já tenha dito que isso era um sonho pra eles), mas, repito, é uma das coisas mais vistas na TV durante todo o mundo. É a oportunidade de chutar alguns paus de barracas e mandar mensagens, exatamente como a Beyoncé fez com o “Formation”. Rihanna poderia fazer algo nesse sentido, se quisesse, porque ela é a Rihanna afinal de contas; mas não se apresentar e deixar o MAROON 5 pra galera pode ter sido a melhor coisa a ser feita numa situação dessas. Nada poderia ser tão vergonhoso. :P