Sindicato dos Atores ameaça entrar em greve contra a indústria de games | Judão

Se não ficar tudo bem entre ambas as partes, jogos que entraram em produção depois de Fevereiro de 2015 podem sofrer com a ausência de atores pra dublar e interpretar personagens

Atualizado! E logo no comecinho do dia 21 de Outubro, o SAG-AFTRA confirmou o início da greve. Integrantes do sindicado planejam fazer PIQUETES em frente à Eletronic Arts. Activision Blizzard, Take Two, Disney e Warner Bros. também serão afetadas pela paralisação.

A cada três anos, o WGA (Writers Guild of America ou, em português, o Sindicato dos Roteiristas de Hollywood), negocia um contrato básico para seus membros com a AMPTP, a aliança dos produtores de filmes e televisão.

Em 2007, essa negociação emperrou e foi realizada uma greve entre 05 de Novembro daquele ano e 12 de Fevereiro de 2008. Na época, várias séries acabaram tendo temporadas mais curtas e talk shows, foram obrigados a sair do ar — alguns retornando sem roteiristas, outro negociando independentemente, como David Letterman, que era o responsável pela produção de seu Late Show, somente exibido pela CBS.

O motivo da greve era um aumento na remuneração dos roteiristas, equiparado ao aumento do lucro que as emissoras passaram a ter na época com a exibição dos seus programas online, além de home video e outras coisinhas.

Deu certo. 93.6% dos membros do WGA aceitaram o novo contrato e a vida seguiu com os grandes estúdios pagando mais, já que ganhavam mais. Nada mais justo.

A partir das 05h00 (horário de Brasília) dessa sexta, 21 de Outubro, a produção de algum jogo que você quer muito jogar ou nem sequer sabe que existe ainda pode ser parada por tempo indeterminado. Dessa vez, o SAG-AFTRA (Screen Actors Guild, também conhecido simplesmente como Sindicato dos Atores, junto com a Associação Americana de Artistas de Rádio e TV), promete iniciar uma greve contra a indústria de joguinhos eletrônicos do estilo videogame, o que atingiria tudo o que entrou em produção depois de 17 de Fevereiro de 2015.

“Depois de vários meses barganhando com os empregadores, nós não chegamos a um acordo justo para os membros do SAG-AFTRA que trabalham em video games, muitas vezes os mais populares do mundo”, afirmou a presidente do Screen Actors Guild‐American Federation of Television and Radio Artists, Gabrielle Carteris, em comunicado oficial. “Nossos membros foram bem claros, agora é a hora dos empregadores negociarem um contrato moderno que cubra essa indústria tão lucrativa. (...) Quando os empregadores nos deixam sem recursos, precisamos de uma posição firme pelos nossos membros. É imperativo que consigamos as proteções, compensações e benefícios que eles merecem”.

De acordo com o Deadline, além de salários e benefícios, a treta envolve a maneira como a indústria de joguinhos trabalha, colocando em seus contratos multas gigantescas em caso de atraso dos atores ou até a possibilidade de punir os agentes que não mandam seus agenciados aos testes que produzem, em sua maioria cheia de segredos — os artistas quase nunca sabem em que jogos trabalharão e/ou personagens interpretarão. As empresas de videogames fazem as próprias regras, uma vez que não estão dentro de nenhuma definição padrão sobre a natureza dos seus trabalhos. É entretenimento, arte, tecnologia...?

Se um acordo não for assinado até a próxima quinta-feira, 20, os atores associados ao SAG-AFTRA entram em greve contra a indústria de videogames

As empresas, através dos seus advogados, já responderam daquele jeito suuuuper chocado. “Negociamos em boa fé pelos últimos 18 meses com os líderes do SAG-AFTRA e estamos fazendo progresso pra um novo contrato”, diz o comunicado oficial, assinado por Scott J. Witlin, do escritório de advocacia Barnes & Thornburg LLP. “Estamos profundamente desapontados ao descobrir que o sindicado ameaçou uma greve e sua violação unilateral de um black-out de notícias sobre as discussões de negociação”.

Sim, os caras tão discutindo há UM ANO E MEIO e ficam magoadinhos quando enfim resolvem tomar uma ação mais drástica, além de contar pra todo mundo o que tá acontecendo.

“Consideramos a ideia de greve precipitada, desnecessária e uma ação que só causará mal aos seus membros. SAG-AFTRA representa artistas em apenas 25% dos jogos no mercado. Qualquer greve não só vai fazer com que seus membros não trabalhem, mas também dar a seus competidores uma vantagem enquanto qualquer greve estiver acontecendo”.

“Precipitada”. UM FUCKING ANO E MEIO de negociação.

Norman Reedus e Hideo Kojima

Norman Reedus e Hideo Kojima

Bom, de fato. Os membros do sindicato não poderiam trabalhar e a indústria de joguinhos COSTUMAZMENTE prefere trabalhar com quem não faz parte de nenhum sindicato — o que, no cinema e TV, é praticamente impossível de acontecer dentro dos EUA (e aí você pode imaginar porque muitas vezes preferem gravar filmes longe de lá). Essa galera iria acabar mesmo assumindo os postos deixados pelos membros do sindicato, MAS deixo aqui a questão: vale a pena trabalhar e se foder só pra fazer um troco?

Enquanto tem gente que aceita piores condições, toda uma categoria se fode. Se o sobrinho aceita um dinheiro infinitamente menor pra fazer um site pra empresa do tio, como é que o especialista, formado e os caralhos, pode cobrar o que ele considera realmente justo pelo seu trabalho e ainda ser pago por isso?

Na internet também é assim. Aqueles enormes portais, cheios de atualizações diárias e uma audiência quase obscena, podem cobrar menos por anúncios, ganhando na quantidade. Além disso, essa negociação ajudaria a definir a relação de trabalho entre a indústria dos joguinhos e os artistas... Mais ou menos como aconteceu em 2007. :)

Daquela vez, a discussão era sobre os pequenos, os roteiristas “sem nome”, não gente como Aaron Sorkin, por exemplo, que OBVIAMENTE ganhava uma grana gigantesca. É o mesmo aqui: a maior parte das vozes e mocaps dos jogos são de gente que nunca ouvimos falar até aquele momento e que, se bobear, jamais conseguirão algum grande emprego em Hollywood. Por é óbvio que Ellen Page, Norman Reedus, Kevin Spacey e Jon Snow, entre tantos outros, ganham uma grana GIGANTESCA pra trabalharem em jogos.

Com essa greve, porém, a indústria acabaria ficando sem eles. E aí? :)