Ok, Sense8 precisa decidir o que quer | Judão

Série continua sendo um lindo textão tentando brincar de ficção científica. Mas, num episódio de 2h, quase dois anos depois, já era pra ser um pouco mais do que isso

Não dá pra chamar o Especial de Natal de Sense8 de especial de Natal porque, bom, passou longe de ser algo relacionado, de alguma maneira, ao Natal.

Durante suas 2h de duração, no máximo 15 min são dedicados à essa época do ano e nem sequer poderia ser diferente, uma vez que a impressão que temos é que os primeiros episódios da segunda temporada foram todos CONDENSADOS nesse único, só pra termos o tal do Natal na série.

Aí estão alguns dos grandes problemas desse episódio: ter duas horas, parecer corrido só pra alguma coisa acontecer e, por incrível que pareça, a parte do Natal ter sido tão curta, já que foi uma das mais interessantes de todo o episódio. Uma boa ideia que tiveram, de fato, mas talvez tarde demais pra que fosse produzido algo com esse INTUITO.

Considerando como um episódio normal, o primeiro de uma temporada, Especial de Natal não apresenta nada de novo para a história, mas deixa algumas coisas claras. Por exemplo, continua sendo um grande e importante “textão” sobre empatia, privacidade e outras coisas, mas em nada caminhou na parte ficção científica. Absolutamente NADA do que já não sabíamos seguiu por aqui.

Quer dizer... O Whispers tem um remédio que bloqueia as conexões, o que a heroína faz com os Sensates. Isso é novo, né?

A tal da ORGIA parece ser aquele episódio “assinatura” da série, e já rola na primeira metade do primeiro episódio e nem é tão INTERESSANTE, digamos assim, quanto a da primeira temporada. Mas, como quase tudo o que acontece na série, sem objetivo nenhum. Simplesmente acontece porque PODE acontecer.

E todo mundo continua falando inglês, apenas e tão somente. Na Coréia, no México, na Alemanha...

É inegável, porém, o amadurecimento dos personagens, atores e da própria série como um todo. Talvez Especial de Natal seja mais como um teaser, um “olha, vamos começar daqui” ou qualquer coisa assim... Ou, pelo menos, esse sou eu esperando que seja algo assim. É foda: eu gosto DEMAIS de Sense8, mas a série não corresponde. Ela não é assim TÃO LEGAL quanto o tanto que eu curto diz que é.

Isso depois dos 12 primeiros episódios que, em resumo, foram um enorme episódio piloto de 12h. Já era pra ter ido pra algum lugar... Seja só o textão, seja a ficção científica, os dois. Desse jeito que tá... Não sei como é que vai ser minha relação com ela depois de 05 de Maio do ano que vem, mas não queria que fosse uma coisa de mão única. Não parece que não vai ser, porém. :P