Sexo, golpe, Tinder e mais: conheça a Timelaje | Judão

Borbs, Ronald Rios e Suzane Jardim jogando a real de um jeito xarope

Underdogs. Vira-latas. Patinhos feios. Rebeldes sem calça. Dá pra usar qualquer um desses termos para falar de mim, do Borbs e do Ronald Rios NO QUE TANGE nossas carreiras nas internets brasileiras e na TV. A real é que a gente é apaixonado por conteúdo sincero e só. O resto é papo furado. Pois bem, sou amigo dos dois em diferentes astrais, proximidade e circunstância, então nunca tinha conectado essas presenças em uma mesma coisa, nem pensava nisso.

Até que eu pensei.

Numa época em que todo mundo se leva tão a sério, a ponto de esmurrar o coleguinha ao lado por discordar de uma ideia que o camarada muitas vezes nem sabe de onde tirou, gravar papos entre gente que quase sempre sabe do que tá falando, mas que não sobe em pedestal algum pra declarar isso, e que são metralhadoras de piadas sobre a própria existência, me pareceu um passo à frente.

Falei com o Borbs, ele topou na hora. Entrei em contato com o Ronald, ele embarcou e falou e deu a melhor das ideias.

A gente precisa chamar uma mina foda e eu sei quem é essa pessoa: Suzane Jardim

Não deu cinco minutos e dezena de links de textos dela tinham chegado no meu email, enviados pelo Ronald. Me manquei que já tinha lido essa mina algumas vezes, uma historiadora treta, que tem um senso de humor entre o cáustico e o surreal, com uma história de vida punk e centenas de seguidores chapados por ela.

Alguns dias depois, sentamos nós quatro lá em casa para falar do que seria essa parada. Passamos a tarde rindo e esculachando a ideia em si. Era isso. Dias depois, me bateu o nome: Timelaje. Um lugar na internet onde a gente podia se comportar como se estivesse em um churrasco na laje, com o sol rachando o coco, breja gelada rolando sem parar e conversa solta sobre o que tá rolando mundo adentro.

Mas onde a gente ia gravar e quem ia produzir?

Tem coisas que só um almoço na Merça faz por você. E foi lá que sentei com Fred Siviero e Pedro “Pepe” Bruno, os manos da Tungstênio (feraças, contratem para fazer seus vídeos irados), comemos umas carnes, tomamos umas geladas e batemos o martelo. A Timelaje ia sair do papel.

Daí foi só a gente juntar umas mesas de bar, colocar um cacto do lado e esticar uns microfones cabeados em uma clara homenagem a Roda de Funk, um dos melhores programas do YouTube. Pronto. 3, 2, 1, gravando!

É isso. Assiste tudo. Assina noise. Clica no sininho. Vem falar groselha com a gente!