Sobre milkshakes e um bando de idiotas sem o que fazer da vida | Judão

Se você é destes, um conselho: VAZA. De verdade. Daqui, das nossas redes sociais, do nosso podcast, de tudo. Porque aqui NÃO é o seu lugar.

Uma pessoa resolve dar um pulo numa lanchonete com um grupo de amigas do trabalho pra tomar uns milkshakes. Elas tão felizes e resolvem celebrar o momento, claro, com uma selfie. Que vai parar nas redes sociais da jovem em questão.

Nada mais simples, cotidiano e natural neste nosso universo digital, né? Pois é. Quanta gente cêis já não viram por aí fazendo a mesma coisa? Quantos de vocês já não fizeram EXATAMENTE igual, talvez mudando milkshake pra um monte de cerveja com a legenda “iniciando os trabalhos” e coisas assim?

Maaaaaaaaaas no caso de Heather Antos, uma selfie não foi algo assim tão simples. Porque, vejam vocês, estamos falando de uma mina que é editora da Marvel Comics, e de suas amigas que todas trabalham para a Casa das Ideias. O tweet original é este que segue abaixo – e a hashtag, #FabulousFlo, é referência direta ao apelido da icônica Flo Steinberg, falecida no último dia 23 de Julho. Inicialmente secretária de Stan Lee, foi elemento fundamental na chamada Era de Prata e, anos depois, editou a revista independente Big Apple Comix, lugar onde caras como Neal Adams, Archie Goodwin, Denny O’Neil e Al Williamson deram as caras com trabalhos autorais.

Uma celebração da nova geração de mulheres da Marvel para uma pessoa importantíssima neste mercado, portanto. Mas que virou, no twitter, um verdadeiro imã de babacas.

Foi a oportunidade perfeita para que os imbecis – daquela mesma laia que atacou Chelsea Cain na época do gibi da Harpia, o da camiseta Ask Me About Me Feminist Agenda – se sentissem à vontade para destilar suas opiniões sobre feminismo, as tais “fake geek girls”, os “malditos Social Justice Warriors” e, claro, “a diversidade como razão para os fracassos de vendas da Marvel”. Por mais que, VAMOS DEIXAR CLARO, esta seja só uma foto de uma jovem com suas amigas tomando milkshake.

“Podemos deixar o feminismo e a justiça social de lado e efetivamente imprimir histórias?”, tweetou um. “Parece um bando de SJW pra mim”, disparou outro. “Como diabos todas estas geeks de mentira, SJW de Tumblr, são editoras da Marvel mesmo?”, completou um terceiro, que ganhou a réplica: “Isso explica bem a qualidade do trabalho que a Marvel vem colocando na rua”. O tal “isso”, no caso, voltamos a dizer, é uma FOTO com gente TOMANDO MILKSHAKES.

Resumindo, a reação inicial foi daí pra baixo, deixando Antos num misto de puta da vida e decepcionada (com toda a razão, leia-se). “Como eu posso ousar postar uma foto minha com minhas amigas sem esperar ser insultada e ameaçada, não é mesmo?”, desabafou no Twitter. Mas, como disse o gaúcho Adriano Andrade, quadrinista responsável pelo gibi Cara-Unicórnio, em entrevista ao JUDÃO: “Que bom que a gente tá numa época diferente, né?”.

Não demorou até que a Marvel, seus leitores e o próprio mercado de quadrinhos como um todo se posicionasse em apoio a Antos, postando uma porrada de fotos de gente “inocentemente” tomando milk-shakes por aí, todas com a tag #MakeMineMilkshake, desta vez referenciando ao mesmo tempo a frase Make Mine Marvel, que era usada como assinatura oficial nas cartas de fãs enviadas para a editora e publicadas nos gibis mensais; e também a iniciativa editorial de mesmo nome, na qual as principais HQs da Casa das Ideias vão abraçar seu passado e ser “renumeradas” com os números de três dígitos originais nos quais pararam antes de passarem por tantos e tantos relançamentos, reboots e a porra toda.

De todas as manifestações de apoio, definitivamente aquela que mais chamou atenção foi a que veio da DC Comics, sua maior concorrente, que mandou um tweet desde já absolutamente histórico, que fez muita gente se emocionar:

Sabe o que é mais irônico nesta situação toda, no entanto? As pessoas não sacarem exatamente QUAIS são os títulos que a Heather Antos edita. Já começa que ela cuida do gibi do Deadpool, justamente o personagem que a galera do “yeah, politicamente incorreto, WOW!” mais ama no mundo. Mas se o papo é “ai, é por isso que os gibis não vendem”, bom, a Heather TAMBÉM cuida das HQs de uma certa franquia espacial, sabe? Aquela dos Jedis, dos sabres de luz? Aquela que VENDE PRA CARALHO?

E, por favor, de uma vez por todas, guarde NO LIXO este argumento furado de que “diversidade é o que não vende”. Não, amiguinho, diversidade não é, nem de longe, o problema da Marvel ou da cultura pop ou de qualquer coisa. E a gente já explicou isso BEM DETALHADINHO aqui, tá?

Mas, olha só, deixa a gente te contar uma coisa aqui. Bem cá entre nós, tá? Não adianta nada ficar indignado com esta situação (“que absurdo, como estes americanos são escrotos”) ou sair por aí achando lindíssimo o apoio das minas da DC às minas da Marvel enquanto você, é, você AÍ, reproduz este mesmo discurso babaca do lado de cá da linha do Equador, amigão.

Se você é daqueles (e a gente SABE que existem montes deles) leitores, quadrinistas, editores que reclamam, por exemplo, sobre a existência de um evento como o Encontro Lady’s Comics – sim, eu pessoalmente ouvi um sujeito DAZANTIGAS dizendo, na minha cara, que “este tipo de iniciativa só segrega e cria nichos de minas, que só sabem ficar ali reclamando da vida ao invés de ir lá fazer”... Se você é destes, tá no mesmo nível destes comentaristas gringos aí.

Aliás, vale o lembrete aqui: se você é do tipo que tem a mesma opinião dos imbecis que comentaram no tweet original da Heather, melhor vazar. É, some daqui. Não entra mais aqui no JUDÃO, não, tá tudo bem, não vamos sentir a sua falta. Deixa de seguir as gentes nas redes sociais, não ouça o ASTERISCO, não veja nossos vídeos no nosso canal no YouTube. Não queremos teu like, teu compartilhamento, tuas visitas.

Porque a gente também adora milkshake, sabe? E sim, também achamos você um babaca.

E pensar que as pessoas ainda perguntam pra gente por qual razão a gente não tem áreas de comentários aqui no site, ou por que o tal do banhammer come solto nas nossas redes sociais.

É POR ISSO AÍ, CAMARADA.