Star Wars Rebels é a renovação que a franquia precisava | Judão

Vimos o primeiro episódio da nova série animada e, cara… Tá BEM legal, viu!

SAN DIEGO ~ Não é só dos grandes painéis que vive a San Diego Comic-Con. Aliás, não é só do Hall H, muito menos do San Diego Convention Center. A cidade PULSA a SDCC em todos os cantos nessa época, incluindo aí inúmeros eventos paralelos e festas. Um desses eventos foi justamente a exibição do primeiro episódio da aguardada série animada Star Wars Rebels, que estreia no Disney XD gringo em outubro. Claro que o JUDÃO esteve lá e te conta agora um pouco mais sobre a série.

LEIA TAMBÉM! Judão na COMIC-CON! O Primeiro Dia

Pra começar: como o CGI evoluiu nesse mundo das animações! Principalmente nas animações para a TV, que acabavam sofrendo mais que os filmes para o cinema até algum tempos atrás justamente pelo tempo reduzido para produção e a verba menor. Em Rebels, tudo é bonito. Não é, claro, aquele show de texturas que vemos nos filmes da Pixar, mas ainda assim surpreende. E olha que a LucasFilm avisou que aquilo que estávamos vendo nem era a versão finalizada – algumas coisas serão melhoradas até a estreia. Sinceramente? Nem vi quais trechos precisam melhorar...

A história em si também é interessante. Logo no começo do episódio conhecemos Ezra, um garoto que não tem família e rouba para viver. Ele não é uma má pessoa, mas aprendeu a ser liso para continuar por aí. O Império comanda com mão de ferro o mundo no qual ele vive e, apesar até de se incomodar um pouco com isso, não faz nada para mudar a realidade.

Isso muda quando ele encontra um bando que, inicialmente, achava que era de ladrões. Na real, é um grupo de rebeldes liderados por Kanan Jarrus, dublado por Freddie Prinze Jr. Ao lado de Zeb Orrelios (que, olha só!, é baseado em uma arte conceitual original do Chewbacca, algo sobre o qual rola uma brincadeira durante o episódio), Sabine Wren, Hera Syndulla e C1-10P. Juntos, eles querem fazer pouco a pouco a diferença para acabar com o Império.. Assim, o grupo fica se balançando entre enfrentar a tropa imperial, um Lorde Sith (que só aparece de relance no episódio que vimos) e também tenta manter algum tipo de convívio com a escória do universo, da qual eles podem tirar algum tipo de proveito...

É interessante ver esse primeiro contato de Ezra com os rebeldes, como ele se mete lá inicialmente para se dar bem e descobre que existe algo bom dentro dele próprio. Aliás, mais do que algo bom: a FORÇA é forte no garoto.

Kanan Jarrus, que vai acabar se tornando o mestre Jedi de Ezra mais pra frente...

Kanan Jarrus, que vai acabar se tornando o mestre Jedi de Ezra mais pra frente

Mais do que qualquer coisa, Rebels é importante por simplesmente não exigir uma grande bagagem do telespectador. A história se passa claramente entre os Episódios III e IV (mais exatamente, são 5 anos antes) e não há aquela necessidade de entender muito da cronologia ou de detalhes do universo. Se você viu uma vez na vida o Episódio IV, vai sacar tudo – inclusive, visualmente falando, a inspiração é bem clara. Agora, se você nunca viu NADA de Star Wars, também vai entender. Até a Força (na versão clássica, SEM midichlorians) é explicada.

Isso tudo tem um motivo, claro. Star Wars Rebels foi criado para ser exibido no Disney XD, um canal feito pro público entre 6 e 14 anos de idade. Ou seja, mais do que divertir os fãs já tradicionais, LucasFilm e Disney querem criar uma nova geração de fãs, uma galera não só pra ver os filmes antigos, mas também se empolgar com os novos a partir do final do próximo ano.

E, quer saber? Eles vão conseguir.

Pra fechar, uns clipes exclusivos para Comic-Con. ;)