Steven Spielberg inova e vai criar série com horário definido pra ser assistida | JUDAO.com.br

A inovação está no fato de que se trata de uma série pra um serviço de streaming, claro. Só falta definir um dia também, pra ser destruidor de mentes!

Depois de anunciar que fará produções para ainda vindouro serviço de streaming da Apple, Steven Spielberg resolveu expandir sua participação em plataformas como essa com uma série de terror exclusiva para o Quibi, um novo e pouco comentado até o momento serviço, desenvolvido especialmente para exibir filmes e séries em dispositivos móveis.

Segundo o fundador Jeffrey Katzenberg, Spielberg ofereceu uma história assustadora completamente inédita. “Ele está escrevendo sozinho. Ele não escreveu nada em algum tempo, então fazê-lo escrever algo é fantástico”, afirmou Katzenberg. Intitulada After Dark, a série terá entre 10 e 12 episódios e Spielberg quer que os espectadores assistam ao programa depois da meia-noite, como o próprio nome sugere. Se pensarmos que os celulares conseguem detectar onde você está no momento e avisar quando o sol nasce e se põe, Katzenberg e Megan Withman – ex-CEO da HP e co-fundadora do Quibi – desafiaram seus engenheiros a ter uma ideia de como o programa poderá ser visto apenas nessas condições.

A solução encontrada foi criar um relógio que aparecerá nos celulares e contará o tempo até o momento em que o sol desaparecer. O episódio estará disponível para assistir somente a partir desse momento e a série desaparecerá do aplicativo até a noite seguinte. Portanto, After Dark seguirá o mesmo raciocínio das séries de televisão tradicionais onde o espectador só pode assistir em um determinado horário, mas a inovação traz um toque tecnológico interessante.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Sem qualquer informação sobre a trama da série, After Dark é apenas uma das produções anunciadas para o lançamento do serviço de streaming, que contará com oito produções “super premium” e programas de televisão de prestígio semanais, segundo Katzenberg. O ousado objetivo do Quibi é entregar 125 conteúdos por semana entre curtas e programas de TV feitos para pessoas que não querem acompanhar filmes ou séries muito longas – todos feitos especialmente para serem assistidos em qualquer lugar. Com capítulos ou atos de sete a dez minutos, o streaming seria como o Youtube, mas feito por cineastas e roteiristas experientes da lista de contatos de um ex-executivo da Disney como Katzenberg.

Programado para ser lançado em 6 de Abril de 2020 nos EUA, o Quibi oferecerá um período de teste gratuito de duas semanas com essas oito produções originais, mas o serviço custará U$4,99 por mês em uma versão com anúncios e U$7,99 por mês sem anúncios.