Talvez Ryan Murphy esteja um pouco ocupado com o Netflix... | JUDAO.com.br

O estrelado criador/produtor de American Horror Story já tem DEZ projetos aprovados pelo Netflix

Não é necessariamente novidade que Ryan Murphy é uma das pessoas mais ocupadas de Hollywood atualmente. Além de todos os seus trabalhos em American Horror Story e na recente Pose, o showrunner revelou que dez novos projetos já foram aprovados pelo Netflix, sendo que cinco já foram anunciados.

O primeiro é a sátira política com toques musicais The Politician. É uma série que gira em torno de Payton Hobart, um estudante de Santa Barbara que sabe desde os sete anos que será presidente dos Estados Unidos. Mas antes de realizar esse sonho, Payton terá que navegar pelo cenário político mais traiçoeiro de todos: Saint Sebastian High School.

Protagonizado por Ben Platt – vencedor do Tony Awards por Dear Evan Hansen, a série representa mais uma parceria entre Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan e já tem duas temporadas garantidas. O elenco ainda conta com Lucy Boynton (Bohemian Rhapsody), Dylan McDermott (AHS), January Jones (Mad Men), Zoey Deutch (O Plano Imperfeito) e Laura Dreyfuss (Glee). The Politician chega ao Netflix em 27 de Setembro.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Entre os dramas, Ratched é mais uma colaboração entre o showrunner e Sarah Paulson, que também assumirá o cargo de produtora executiva. A série escrita por Murphy e o novato Evan Romansky é baseada no romance Um Estranho no Ninho, escrito por Ken Kesey em 1962 e que já rendeu um filme, estrelado por Jack Nicholson. Descrita como uma história de origem, a trama começará em 1947 e seguirá a jornada de Mildred Ratched e sua evolução de enfermeira para um monstro, seguindo sua progressão como assassina através dos sistemas públicos de saúde mental.

Além de Paulson, a série também contará com Sharon Stone, Cynthia Nixon (Sex and the City), Harriet Harris (Trama Fantasma), Finn Wittrock (American Horror Story), Corey Stoll (The Strain), Amanda Plummer (Pulp Fiction) e Judy Davis (Feud). Ainda sem data oficial, Ratched já tem duas temporadas garantidas, totalizando 18 episódios.

Outra produção em parceria com Brennan é o drama Hollywood, uma carta de amor à Era de Ouro da cidade do cinema. Confirmada em Fevereiro pelo próprio Murphy, não existe qualquer informação sobre sua história ou sobre o elenco, mas a série começará a ser filmada no verão americano, segundo o próprio showrunner.

Saindo das séries para as adaptações cinematográficas, Jim Parsons, Zachary Quinto, Matt Bomer e Andrew Rannells protagonizarão The Boys in the Band, um drama sobre um grupo de homens gays que se reúnem em um apartamento de Nova York para a festa de aniversário de um amigo. Entre bebidas e música, a noite expõe vagarosamente as falhas em suas amizades e a mágoa auto-afligida que ameaça essa convivência em grupo. Produzido por Murphy, a história originalmente da Broadway será dirigida por Joe Mantello (Entre Amigos) e está prevista para estrear na plataforma em 2020.

Outra adaptação da Broadway é a comédia dramática musical The Prom, também escrita pelo trio Murphy, Brennan e Falchuk. Sem qualquer informação sobre lançamento ou até mesmo elenco, o filme conta a história de três estrelas do pop dos anos 90 que decidem formar um supergrupo para alavancar suas carreiras arruinadas.

E esse é apenas o começo da Era Murphy no Netflix. O acordo anunciado em Fevereiro de 2018 teria custado entre US$ 250 milhões e US$ 300 milhões aos robustos cofres do serviço de Los Gatos. Esse pacto de cinco anos, iniciado em Julho do ano passado, exige que o showrunner produza novas séries e filmes exclusivamente para o serviço. A decisão aconteceu no início do período de transição da venda da 20th Century Fox para a Disney e foi um golpe para a empresa do Mickey, já que Murphy foi pessoalmente cortejado pelo CEO Bob Iger.

Depois de um período bastante frutífero na Fox, Murphy disse que assinar com o Netflix foi a “coisa mais difícil que já fiz, e a mais fácil que já fiz”, pois a empresa ofereceu toda a liberdade de criação que ele queria em uma plataforma de longo alcance para mostrar novas histórias. Pelo material diversificado anunciado, fica claro que o showrunner está se expandindo criativamente, e isso é fantástico. Vida longa a Ryan Murphy. ;)