The Magic Order vai virar série no Netflix com produção de James Wan | JUDAO.com.br

O primeiro gibi publicado (?) pelo serviço de streaming agora também vai ser adaptado para o formato-mãe da empresa de Los Gatos. Mas isso até que era meio esperado, né?

Vivemos mesmo tempos deveras curiosos. Que profissional do mundo dos gibis sequer poderia imaginar que, ao comprar o Millarworld do escocês Mark Millar, os endinheirados do Netflix estariam interessados não apenas no potencial de transformar as obras do sujeito em filmes/séries, o que era meio óbvio, mas também em continuar bancando a publicação de novas HQs? É, elas mesmas, aquelas paradas físicas com páginas pra virar e tudo.

Claro, aqui ninguém é bobo, eles tão obviamente plantando sementes, criando um imenso celeiro pro quadrinista brincar e, quem sabe, gerar bons frutos a se colher lá na frente. Mas falando em termos práticos, o menino Netflix também virou um selo de quadrinhos, que obviamente faz parcerias/licencia títulos para saírem por editoras DE FATO, com estrutura pra imprimir coisas em papel, aquele negócio todo.

O primeiro produto desta expansão corporativa toda saiu originalmente em junho do ano passado, via Image Comics, sob a forma do gibi The Magic Order. Publicado originalmente em seis edições, com roteiro de Millar e a arte de um dos desenhistas contemporâneos favoritos deste que vos escreve, Olivier Coipel, tamos falando de uma trama descrita como sendo “fantasia adulta”.

Talvez algo como descrito na sinopse oficial, um encontro entre máfia e magia. Ou, como bem li por aí e adorei, uma mistura de Batman com Harry Potter. E como é um gibi Netflix, claro que ele tem um trailer.

Na trama, diz-se que se a gente vive hoje num mundo em que nunca vimos um monstro mitológico correndo pelas ruas, tipo um minotauro da vida, é a Ordem Mágica que pode se dizer responsável por isso.

Tamos falando de cinco famílias aparentemente inocentes, de pessoas que durante o dia têm lá seus empregos comuns, estão travestidos como aqueles vizinhos fofos que todo mundo ama. Mas de noite, há muitas gerações, eles se juntam para cuidar de manter o mundo a salvo de uma série de ameaças sobrenaturais.

A coisa começa a pegar quando estes magos, bruxas e feiticeiros vão se tornando alvos de alguma coisa ainda não identificada, sendo mortos um a um. É hora desta gente mágica passar a lutar pela própria sobrevivência.

Ideia legal, né? Já imaginou se virasse uma série? Pois é. Agora vai virar. E... ADIVINHA ONDE VAI SER EXIBIDA? ;)

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Descrito por Millar como o primeiro projeto da fase 2 do Millarworld, aquele mesmo que um dia pode colocar seus personagens todos para encontrarem uns aos outros, criando de fato um único universo coeso, The Magic Order não estava originalmente no primeiro anúncio de obras do autor a serem adaptadas como filmes/séries. A grande “novidade” do pacotão era justamente Sharkey The Bounty Hunter, um gibi de ficção científica que nem foi lançado ainda (só sai em novembro) mas já tem adaptação pra telinha devidamente confirmada.

Mas tamos falando de um enorme sucesso no mercado editorial americano, sendo que o primeiro número recebeu a maior quantidade de pedidos de pré-venda que qualquer outra HQ nos últimos vinte anos. Um feito e tanto para uma HQ novata. Era de se esperar, portanto, que o primeiro gibi do Netflix também estivesse destinado a se tornar uma série do Netflix.

O produtor executivo é uma adição de responsa: ninguém menos do que James Wan.

O cineasta, um verdadeiro prodígio no atual cenário de terror nos cinemas, criador do chamado Conjuringverse surgido a partir de seus dois Invocação do Mal, também anda bastante envolvido com adaptações de gibis. Nos cinemas, foi responsável por Aquaman, enquanto na seara do streaming, é ele o produtor responsável pela série do Monstro do Pântano lá no mundinho do DC Universe.

Embora já se saiba que Wan vai dirigir o episódio piloto da série inspirada em The Magic Order, o cargo de showrunner e principal roteirista ficará com Lindsey Beer.

Velha conhecida do Netflix por seu trabalho como roteirista e produtora do filme Sierra Burgess é uma Loser (2018), a moça também já tava confirmada em OUTRO trampo com Millar, o roteiro do filme que vai adaptar a sua Empress para o streaming.

Lembra daquele filme que a Sony tava fazendo, reunindo Silver Sable e Gata Negra, como parte da ampliação do universo cinematográfico dos coadjuvantes do Homem-Aranha? Pois é, a dona Beer era uma das roteiristas.

E sabe aquele spin-off feminino de Velozes e Furiosos que foi anunciado no começo deste ano? Veja só, Lindsey Beer faz parte do time de roteiristas, junto com Nicole Perlman (Capitã Marvel) e Geneva Robertson-Dworet (Tomb Raider).

Currículo pop, com DNA de blockbuster, é o que não falta pra moça, basicamente. ;)

Ainda não existe uma data prevista de estreia para The Magic Order.