Um paradoxo de Flashpoint nos filmes da DC | Judão

Filme do Flash ganhou um novo título, mas talvez isso nem diga tanto sobre a história que ele irá contar

E parece que o grande anúncio do painel da Warner neste sábado (22) de San Diego Comic-Con foi como um flash. Junto com os logos de alguns (OU TODOS, se as coisas mudaram) filmes da DC na abertura do painel, ficamos oficialmente sabendo que o filme do Corredor Escarlate tem outro título: Flashpoint — uma referência, claro, ao crossover dos quadrinhos publicado em 2011 e lançado no Brasil como Ponto de Ignição.

E... foi isso. Digo, não foram revelados novos detalhes, vilões ou qualquer coisa. No entanto, o título traz toda uma CARGA com ele, justamente por já ter surgido nos quadrinhos.

Publicada em cinco edições, Ponto de Ignição começa com Barry Allen descobrindo que algo ou alguma coisa mudou a cronologia da DC. Sem poderes, ele vê um mundo sem Superman (na realidade, Kal-El foi capturado pelo governo) ou a Liga da Justiça. O Batman é, na realidade, Thomas Wayne, que viu o filho Bruce ser morto por um ladrão e a esposa Martha se transformar no Coringa.

Enquanto Barry fica feliz porque a mãe dele está viva, ele vê o mundo ruir num conflito entre a Mulher-Maravilha (com as Amazonas) e o Aquaman (junto com o pessoal de Atlântida). É aí que ele percebe a cagada, foi recuperar os poderes e enfrentar o cara que ele achava responsável por tudo isso: o Flash-Reverso.

No final, o Flash descobre que o culpado dessa confusão toda é ele mesmo, que voltou no tempo para evitar que o mesmo Flash-Reverso matasse a mãe dele, Nora, e acabou causando um Efeito Borboleta que zuou toda a cronologia – e ele se esqueceu disso. Eventualmente o herói consegue arrumar a bagunça, mas, sem perceber, acabou causando o grande reboot do Universo DC de 2011, conhecido como Os Novos 52.

Fora dos quadrinhos, a primeira adaptação de Flashpoint foi na animação Justice League: The Flashpoint Paradox, lançada em 2013 e com um roteiro mais enxuto. Depois, no ano passado, o crossover influenciou o primeiro arco da série de TV live action The Flash, mas o resultado final foi bem diferente daquele dos gibis.

E aí chegamos na terceira adaptação, a do cinema. Fica difícil imaginar algo minimamente próximo da versão original, já que não há todo um universo estabelecido para sair por aí modificando e também o longa deve ser mais focado no próprio Barry Allen. Por outro lado, também soaria estranho uma história sobre mudar a própria vida do protagonista logo no primeiro filme – antes mesmo dos espectadores estarem familiares com toda a vida do cara.

Por isso tudo, dá para acreditar que, no final das contas, Flashpoint seja apenas isso: um título. Como O Homem de Aço não tem qualquer relação com a HQ do John Byrne que recriou o Superman, ou ainda Vingadores: Era de Ultron não tem qualquer semelhança com o gibi original além do título e do vilão. Se bobear, o primeiro filme do Corredor Escarlate terá do material original, além do título, apenas o vilão: o Flash-Reverso.

Flashpoint não tem data estreia... Ainda. TINHA, mas não tem mais. :D