Vai rolar Multiverso no novo Homem-Aranha ou é só caô do Mysterio? | JUDAO.com.br

Novo trailer do filme do Escalador de Paredes dá a entender que Quentin Beck veio de outro universo, gera uma cacetada de teorias (uma delas, aliás, bem interessante, apesar de improvável), mas no fim pode ser tudo parte da encenação do cara

E aí que pintou na área aquele que deve ser talvez o primeiro trailer da história com aviso de SPOILER! no começo. O segundo vídeo de Homem-Aranha: Longe de Casa, claro, não chega ainda a falar sobre como os tais cinco anos de Vingadores: Ultimato impactaram a vida estudantil de Peter Parker, mas mostra um OUTRO impacto que faz bastante sentido para amarrar de vez o final desta fase do MCU. Porque se Tony Stark fez o que fez basicamente pelo peso da culpa por ter “perdido” o Teioso, era de se esperar que isso fosse mexer com ele de alguma forma. E mexeu.

Mas quer saber de uma parada? As referências a Ultimato, no fim, estão longe (entendeu o que eu fiz aqui?) de ser a coisa mais interessante desta prévia. Porque agora temos um pouco mais de detalhes sobre o Quentin Beck vivido por Jake Gyllenhaal. E quando Nick Fury convoca o Aranha para ajudar a combater os tais Elementais que estão apavorando o território europeu, ele apresenta um especialista nos monstrengos, o tal Mysterio.

Beck começa falando que “teríamos um bom uso pra você no meu mundo”, o que deixa Peter encafifado. Seria ele um alienígena? “Beck é da Terra... só que não da nossa”, explica o Fury. “O estalar dos dedos [do Thanos] abriu um buraco na nossa dimensão”. Epa! “Você tá querendo dizer que o Multiverso existe?”, se espanta o jovem aspirante a cientista. É, pois é. Talvez exista, Peter Parker. Mas... Só talvez.

Esta parada toda de realidades alternativas múltiplas e paralelas é sem sombra de dúvidas a parada que melhor representa os excessos e as loucuras tanto da Marvel quanto da DC, criando uma série de mundos nos quais os autores podem brincar com diferentes versões de seus personagens e das histórias clássicas — mas não são raras as vezes em que as duas grandes acabam criando tantas e tantas variações e geram uma confusão de mundos além do oficial que os obriga a fazer as tais crises AKA reboots AKA renascimentos AKA como diabos queira chamar.

Talvez a Marvel esteja MESMO oficialmente encerrando esta sua etapa nos cinemas, a tal Saga do Infinito, deixando aberta a brecha do Multiverso, o que abre um gigantesco (embora confuso) leque de oportunidades para o quer que o estúdio esteja planejando com Eternos, Shang Chi e as continuações de Pantera Negra, Doutor Estranho, o filme solo da Viúva Negra... Gente, será que tem uma OUTRA Natasha lá fora esperando pra ser trazida pra cá?

Bom, vejam só vocês, é claaaaaaaaro que este papo já gerou uma dezena delas, AH CLARO, as danadas das teorias. Aquela que mais pintou, você que sabe somar 2 + 2 deve bem adivinhar, é a de que a Marvel vai usar o Multiverso pra trazer os X-Men (além de demais adendos mutantes como o Deadpool) e o Quarteto Fantástico para integrar todo mundo ao MCU, aquela coisa toda. Mas tem um papo aí que, apesar de improvável, faria bem mais sentido e me agradaria BEM mais. Porque quando a gente fala de Multiverso, de realidade alternativas, podemos falar de Homens-Aranha vindos de muitas diferentes realidades, sabe? Um noir, um robô, talvez até um porco?

Sacou onde eu quero chegar? Mais do que Multiverso, o que me interessa é o Aranhaverso. ;)

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Tá bom, sei que levantei a bola e vou ser obrigado imediatamente a baixá-la — porque já te contamos aqui que o Mysterio é o maior 171 do Universo Marvel. O sujeito não tem superpoderes de verdade: na real, ele é um especialista em efeitos especiais, que faz uso de uma série de truques de luz, som, fumaça (incluindo gases que confundem o Sentido de Aranha de Peter e que também dissolvem as suas teias) e diversos mecatrônicos pra enganar quem estiver ao seu redor.

Sua grande arma, no fim, é a mentira. E assim como os tais Elementais podem muito bem ser criação sua, todo este papo de Multiverso pode ser apenas e tão somente um grande caô para derrotar o Homem-Aranha.

Sim, OK, filme é filme, gibi é gibi, a Marvel dos cinemas tem liberdade pra mudar tudo que quiser e pode muito bem ter feito isso com ele. Mas será que eles jogariam no lixo aquela que é a característica mais divertida de um dos vilões mais marcantes do Escalador de Paredes?

De qualquer maneira, como a gente falou lá em cima de Aranhaverso, o que significa imediatamente Miles Morales, é importante lembrar que o primeiro encontro entre Peter e Miles, quando eles ainda viviam em universo diferentes, foi na deliciosa minissérie Homens-Aranha, com roteiro de Brian Michael Bendis e arte de Sara Pichelli. Na trama, publicada pela Marvel em 2012, ninguém menos do que o Mysterio é quem abre o portal entre os universos 616 e 1610, colocando os dois aracnídeos frente a frente — e fazendo com que o Peter mais velho sirva como uma espécie de mentor pro Miles, ajudando a tirar um pouco do peso da responsabilidade que é tornar-se o Homem-Aranha num mundo depois da morte de Peter Parker.

Não te lembrou nenhum filme? ENTÃO.

Junte a isso o fato de que o Mysterio cria uma espécie de avatar de si mesmo para atuar no OUTRO mundo, controlando o misterioso (há!) sujeito superpoderoso à distância, e tá aí uma ideia bem interessante MESMO.

Como eu disse, apesar de ambos serem da Sony, este Homem-Aranha: Longe de Casa é produção da Marvel, parte do MCU e, portanto, tão distante do filme solo do Venom quanto estaria de um Aranhaverso. Melhor evitar alimentar esperanças e PONTO. Mas ainda assim... JÁ IMAGINOU? <3