Visão: o androide que chora, sim | Judão

“Quem é aquele cara no final do trailer?” Um androide que se casou com uma das mulheres mais desejadas da Marvel, teve dois filhos e, de alguma maneira, JÁ ATÉ PODE TER APARECIDO no Universo cinematográfico… :D

Quando eu tinha por volta de 10 anos de idade, meus pais passaram por um perrengue bem foda. Não tínhamos grana pra muita coisa primordial, ainda mais para algo “supérfluo” como brinquedos...ou gibis. O caso é que eu já era um pequeno viciado em quadrinhos. Obviamente que fiquei triste de ler e reler aquelas mesmas revistas que eu tinha em casa, sabendo que as aventuras inéditas continuavam saindo nas bancas. Então, em um dado momento, resolvi que ia fazer os meus próprios gibis.

Sei que muitos de vocês vão achar um pecado o que vou dizer (o Renan quase teve uma síncope e por pouco não disse que não era mais meu amigo), mas eu pegava minhas antigas HQs e recortava. É, eu escolhia um personagem, cortava a forma dele e montava novos quadrinhos ao seu redor, desenhando cenários, coadjuvantes e escrevendo balões de diálogo. Os meus favoritos para isso eram o Homem-Aranha (claro!) na época do uniforme negro...e o Visão. Porque ele era BEM colorido e não ficava transparente quando eu enchia o seu verso de cola.

Acabei pegando um carinho todo especial pelo personagem, porque ele tornou-se protagonista de uma ótima lembrança que veio de um momento difícil. E como geralmente estas sessões de recorta e cola aconteciam na casa dos meus finados avós, lembrar do Visão também me traz uma sensação gostosa de saudades dos meus velhinhos. Por isso, nos anos que se seguiram, ele se tornou um dos meus favoritos da Marvel, ao lado do Aranha, do Surfista Prateado, do Ciclope e do Gavião Arqueiro. E confesso que fico bastante feliz em saber que ele se tornaria parte integrante do segundo filme dos Vingadores. E juro que fiquei arrepiado e meus olhos se encheram de lágrimas quando vi aquela primeira (e curtíssima) imagem dele em movimento, no final do terceiro trailer lançado recentemente.

Visão

Mas diferente do que sugere o título do livro de Mauro Judice, este é um androide que chora, sim. E diferente do que sugere o título do livro de Philip K.Dick, este androide não sonha com ovelhas elétricas. Na verdade, ele sonha com uma jovem mutante (Inumana?) de psiquê um tanto perturbada e com poderes de alteração da realidade...

Além do fato de que ele será um desenvolvimento direto da inteligência artificial batizada de JARVIS e com a qual Tony Stark conversa desde o primeiro filme do Ferroso e de que será vivido pelo mesmo Paul Bettany que dava voz ao parceiro do Segundinho, pouco se sabe sobre o Visão dos cinemas. Seja sobre o papel dele na trama, seja sobre como se dará o seu surgimento – ou mesmo o seu visual, que a gente nem viu em toda a sua glória cinematográfica ainda, apenas em artes conceituais e afins. Parece que Joss Whedon está mantendo o Visão como o mais bem-guardado segredo desta continuação. Que a gente saiba, pelo menos. ;)

No entanto, nas HQs, a criação do Visão está de fato intrinsecamente ligada ao mesmo Ultron que será vilão de Vingadores 2. Criado nos gibis não por Stark, mas por Hank Pym (o Homem-Formiga original), o robô psicopata acaba ganhando consciência própria e se revolta contra o seu criador. Depois de sequestrar o cientista e inventor Professor Phineas T. Horton, Ultron resolve usá-lo para criar o seu próprio androide, que vai fazer parte de uma armadilha para derrotar os Vingadores. A base para seu desenvolvimento é o corpo do primeiro androide de Horton, o Tocha Humana original dos anos 1940 (na verdade, uma versão do guerreiro mecânico criada pelo vilão Immortus, mas vamos pular esta parte).

Vision5O nobre (?) doutor acabou alterando também as células de sua nova criação, dando ao androide que nascia o poder de controlar a densidade deas e se tornar intangível, como um fantasma. Junte a isso força e resistência sobrehumanas, voo, capacidade de disfarce holográfico e a absorção de energia solar que pode ser convertida em rajadas energéticas e, bingo, tá pronto o pacote que Ultron precisava. O que o cabeça de lata não imaginava é que Horton tivesse mantido os padrões cerebrais do Tocha Humana, fazendo com que o Visão se virasse contra ele. Logo, Ultron o derrotaria, mataria o cientista e implantaria, por meio da joia fincada em sua testa, os padrões cerebrais do super-herói conhecido como Magnum, para mantê-lo sob controle.

Você já deve, obviamente, imaginar que os planos do Ultron fracassaram miseravelmente e o Visão acabou eventualmente se juntando aos Vingadores – depois de ser batizado pela Vespa que, ao vê-lo em sua forma etérea, descreveu o androide como “uma visão não-humana”. Conforme os anos foram passando, o interesse do Visão pela humanidade foi fazendo com que ele se tornasse ironicamente menos robótico e mais humano – a ponto de desenvolver um interesse pela vilã mutante regenerada Feiticeira Escarlate, filha do renomado terrorista Magneto. E não é que a moça retribuiu? Ambos formaram, durante muitos anos, um dos casais mais queridos do Universo Marvel, o que inclusive culminaria em casamento, lua de mel na Polinésia Francesa e um afastamento das atividades heroicas para viver uma pacata vidinha de casal em Nova Jersey (hello, Bruce Springsteen!) ao lado de seus filhos. Pois é. Os dois tiveram duas crianças e foram felizes para sempre.

É...não. Não foram.

Se você estava achando estranho que um androide, uma criatura mecânica, pudesse ter filhos gêmeos milagrosamente com uma humana sem que ninguém reparasse que algo estava errado, acredite, todos nós achamos. Inclusive a própria Feiticeira, que descobriu que suas crias eram, na verdade, criações de seu poder de modificação da realidade a partir da essência do demoníaco Mefisto e de fragmentos da alma do vilão meia-boca Mestre Pandemônio. Depois disso, a Feiticeira pirou, matou parte dos Vingadores, alterou a realidade completamente (oi, Dinastia M!), fez sumir a maior parte da raça mutante... e obviamente seu relacionamento com o Visão (destruído mas depois devidamente reconstruído pelo amigo de Ferro) nunca mais foi o mesmo. Nem quando a dupla descobriu que, de alguma maneira maluca que só a Marvel consegue explicar, seus filhos estavam vivinhos da silva e eram, na verdade, os integrantes dos Jovens Vingadores conhecidos como Célere e Wiccano.

Uma história triste (e confusa) o suficiente para fazer o nosso androide chorar, afinal de contas.

Vision1

Aliás, justamente por falar no amor entre o Visão e Feitoca, adotei cá uma teoria surgida na mente do amigo Beto Plácido, antigo fã e colaborador do site A-ARCA (Oi, SDDS!) devidamente creditado, e que faz muito sentido neste esquema de #ItsAllConnected do universo Marvel do cinema e da TV. Porque, assim como não se sabe praticamente nada sobre como será a origem do Visão nos cinemas, não tivemos sequer uma única pista de que ele terá algum tipo de envolvimento amoroso com a Feiticeira Escarlate, que sabemos bem que estará na trama. Pois então. Também sabemos que a inteligência artificial que dá origem ao Visão é batizada de JARVIS em homenagem ao mordomo do pai de Tony, Edwin Jarvis, ao qual fomos apresentados durante a primeira temporada de Agent Carter.

Está acompanhando, né? E se o JARVIS tivesse mais do que apenas o nome em comum com o Jarvis original? E se, de alguma forma, Tony Stark tivesse usado os padrões cerebrais do fiel serviçal de sua família para tentar humanizar o seu fiel escudeiro cibernético? Acontece que, senhoras e senhores, em Agent Carter o mordomo Jarvis conta que foi ajudado por Howard Stark no salvamento de sua esposa, uma egressa do Leste Europeu libertada das mãos dos nazistas e que acabou indo com o maridão para os EUA, e que não aparece nem uma vez na série.

E, bem, acontece que o Mercúrio e sua irmã, Wanda “Feiticeira Escarlate” Maximoff, são egressos de algum lugar do Leste Europeu. Hmmmm... ( ͡° ͜ʖ ͡°)

Bom, pelo menos o Jarvis já tá bem encaixado no Universo Marvel. :)

Bom, pelo menos o Jarvis já tá bem encaixado no Universo Marvel. :)

Pode ser muita coincidência? Pode. Mas a gente duvida. Em especial se tratando da Marvel. Muito provavelmente, os irmãos superpoderosos têm algum tipo de relação, ainda que distante, com a esposa do primeiro Jarvis, causando algum tipo de reação no JARVIS mecânico. Poético. E pode mesmo virar romance.

Seria incrível, confesso. E faria justiça ao personagem que embalou a minha infância. Whedon, seu lindo, pode ter certeza de que confio em você. Não vá me desapontar.