Você deve assistir ao trailer de Valerian just Because | Judão

Vídeo com as primeiras imagens da adaptação da HQ francesa dirigida por Luc Besson é todo construído em torno da música dos Beatles – e o resultado é LINDO <3

Os caras chamam a gente de marvete, chamam a gente de DCnauta, às vezes até das duas coisas ao mesmo tempo (e a gente fica lá sem entender porra nenhuma). Mas não importa do que sejamos “acusados”: mesmo com este monte de filme Marvel e DC, precisamos confessar que uma das versões cinematográficas de quadrinhos que nós aqui no JUDÃO mais estamos curiosos pra ver não é de nenhuma das duas editoras. Aliás, nem é uma produção inspirada em um gibi americano.

Conceitualmente, Valerian e a Cidade dos Mil Planetas (Valerian and the City of a Thousand Planets, no original, caso não tenha ligado o nome à pessoa), produção do diretor Luc Besson inspirada na obra de ficção científica de Jean-Claude Mézières, já nos parecia bastante saborosa. Mas aí que, nesta quinta (9), saiu o primeiro trailer do filme e... PORRA.

O visual do trailer — ainda não finalizado e que demorou quatro meses pra ficar pronto — é incrível, com todos estes alienígenas estranhos, as espaçonaves cheias de brilho e estilo, os portais pra lugar algum, a Rihanna deixando a gente de queixo caído com aquele cabelo mudando de cor. Tem um quê de “o que aconteceria se Besson decidisse fazer uma continuação do Quinto Elemento mas com os efeitos especiais dos dias de hoje”, o que é uma ótima notícia. Tem também Dane DeHaan e Cara Delevingne aparentemente bem à vontade como o casal de protagonistas Valérian e Laureline, numa química que tem jeito de estar funcionando bem pra caramba. E tudo com uma aura cool, descolada, do tipo “não me importo”, praticamente um Guardiões da Galáxia europeu.

Ah, é claro. Tem a música. Esta canção linda, com jeitão de “estamos todos sonhando acordados”, o que só ajuda a dar uma camada de fábula para a space opera de Besson. A tal da Because, de um quarteto britânico chamado Beatles — são novos, mas você ainda vai ouvir falar mais deles.

Em uma transmissão ao vivo via Facebook, o próprio Luc Besson confessou estar muito feliz com o fato de a canção ter sido liberada para utilização no trailer. Trata-se, aliás, da primeira vez na história que a faixa é liberada em seu formato original para algo do gênero. “Na verdade, eu achava que Paul McCartney e Ringo Starr iam dizer não. Eles sempre negam pedidos como este. Mas a gente tinha que tentar mesmo assim”.

Because é a música do álbum Abbey Road que Paul McCartney e George Harrison mais gostavam

O cineasta foi bastante ousado, porque escolheu a música antes mesmo de montar o trailer. “Pensei ‘o que queremos dizer com estas primeiras imagens do filme? Que mensagem queremos passar?’. E esta canção tem exatamente o sentimento que eu estava procurando”, explica. Aí, antes mesmo da aprovação chegar, eles se arriscaram e editaram o vídeo usando Because, integrando as cenas selecionadas com a melodia e com a letra da música – e não o contrário, como seria usual. Aqui, tudo girou em torno da trilha.

“E foi aí que mandamos o material pro Paul e pro Ringo, dizendo que era aquilo que queríamos fazer”. Besson não chegou a se encontrar com os ex-beatles pessoalmente até o momento. Mas a aprovação veio sem questionamentos adicionais, o que ele acredita que deva ser um bom sinal. ;)

Gravada durante quatro dias de agosto de 1969, Because foi oficialmente lançada como parte do disco Abbey Road, sem nunca chegar ao mercado no formato de single. A melodia doce foi escrita por John Lennon depois de ouvir Yoko Ono sentar ao piano do casal e dedilhar a Sonata ao Luar (ou, para estudiosos de música clássica, a sonata para piano n° 14, opus 27), de Beethoven. Aí, deitadão lá no sofá, ele perguntou: “escuta, você consegue tocar isso de trás pra frente?”.

Depois de ouvir e curtir o resultado, John começou sua composição assim, inspirado nos acordes invertidos. Em entrevista para a revista Rolling Stone, Paul McCartney diz acreditar que a letra, curtinha e simplista, também deve ter tido uma mãozinha da esposa do parceiro. “É bem o estilo dela escrever. Elementos como o vento, o céu e a Terra são recorrentes. Na época, John tinha bastante influência dela”.

Abbey RoadO produtor George Martin montou originalmente uma harmonia em nove partes para a música. Mas lembre-se que eles estavam em 1969 e, portanto, os equipamentos limitados da época permitiam registrar os vocais em apenas cinco canais. Aí, vejam vocês, John, Paul e George Harrison gravaram juntos no estúdio, “ao vivo”, uma harmonia tripla. E então repetiram tudo duas vezes, gravando por cima da faixa original (ou, como diz o jargão musical, “overdubando”) para criar diferentes “camadas” de voz.

Para que a parada funcionasse como deveria, o processo durou mais de cinco horas de gravação. “Eles sabiam que estavam fazendo algo especial”, contou o engenheiro de som Geoff Emerick. “E eles estavam determinados a fazer isso do jeito certo”. E parece que conseguiram, já que tanto McCartney quanto Harrison afirmaram que aquela era sua faixa favorita do álbum todo. Pense que estamos falando de um disco que tem ainda Come Together e Here Comes The Sun.

Além da versão com um coral de nove personagens em Across the Universe (2007), que já gira naturalmente em torno do trabalho dos Beatles, o cinema teve pelo menos uma outra versão memorável de Because. Aquela igualmente doce e igualmente ONÍRICA cantada pelo falecido ídolo do indie-folk Elliott Smith nos créditos finais de Beleza Americana. Merece o play.