Y lá vamos nosotros: Netflix vai produzir uma nova versão de Rebelde! | JUDAO.com.br

Cris Morena, criadora do FOLHETEEN, contou numa rádio argentina que já está tudo em pré-produção

A cultura da novela mexicana aqui no Brasil tem nome: SBT. Silvio Santos sempre pareceu se dar MUITÍSSIMO bem com o formato, seja importado e dublado, seja adaptado pro nosso idioma. Carrossel, Chiquititas, Esmeralda, Cristal, Carinha de Anjo, Amigas e Rivais, A Usurpadora… Sem falar nos sucessos das MARIAS da Thalía, né? Maria do Bairro, Maria Mercedes, Marimar! Tudo ocupava as tardes e noites da programação e ajudava Sr. Abravanel a estreitar seus laços com a Televisa, a maior emissora de televisão mexicana.

Mas um dos maiores fenômenos – mercadológicos, inclusive – foi a novelinha adolescente Rebelde. A história contava a vida de seis adolescentes que estudavam na Elite Way School, um colégio só para ricaços que tinha um nível altíssimo de qualidade educacional. Quem era sem grana também podia entrar num esquema de bolsa de estudos, mas era perseguido por uma ~seita~ que fazia o diabo pra que eles saíssem dali. E aí rolava de tudo, né? Intriga, romances, pessoas querendo vingar MORTES DE PARENTES, filhos com vergonhas dos pais, conflitos adolescentes… Mas, acima de tudo, esses jovens protagonistas eram unidos por seu amor pela música.

O quão BOAS MESMO eram as canções é um negócio discutível, mas que fez sucesso, fez. A banda da novela, chamado de RBD, lançou seis álbuns de estúdio e três ao vivo. Eles chegaram a vender 20 milhões de cópias no lançamento de Celestial, levando dois Discos de Diamante aqui no Brasil, na época em que isso era algo entregue por uma assistente de palco do Gugu ou do Faustão. Em 2017, OITO anos depois da extinção do grupo, o iTunes disponibilizou sua discografia pra venda e isso fez com que o tal do Celestial e um outro trabalho, Nuestro Amor, ocupassem os PRIMEIRO E SEGUNDO lugares na lista de mais vendidos no Brasil. EM DOISMILEDEZESSETE. Claramente, a RBDmania não foi exatamente superada. E adivinha quem quer um pedacinho desse sucesso?

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Durante uma entrevista ao programa Basta de Todo da rádio argentina Metro 95.1, Cris Morena, criadora da história original de Rebelde (e também autora de Chiquititas e Floribella), disse que vendeu os direitos pra Netflix. “São 400 capítulos que, reformulados, virarão 20”, contou. Além disso, ela disse que andou conversando com a roteirista e já sabe que, apesar da SINTETIZADA na coisa, tudo vai se manter mais ou menos igual. “Se tudo der certo, farão outros 20 episódios e assim por diante”, garantiu.

Lembrando aí que a versão que fez sucesso aqui JÁ era um remake. A original chama-se Rebelde Way e é argentina, conhecida por aí também como Erreway. E se pensarmos que virá num formato modernizado e bem popular… pode ser que voltemos a ver gente de gravatinha vermelha e suspensórios soltos por aí, hein? Imagina a comic con... :P