Phoebe Waller-Bridge consegue um raro reconhecimento financeiro por seu talento | JUDAO.com.br

Acordo amplia seu relacionamento com a Amazon Studios, o que significa “muitos Emmys na sacola às vezes também significam um enorme saco de dinheiro para fazer mais Emmys”

Essa última temporada televisiva foi marcada pela despedida de programas que eram sucesso de público, crítica ou ambos como Veep e Game Of Thrones — este último, lembremos, um dos maiores eventos na cultura pop nos últimos anos. Mas quem quer saber de dragões quando existe uma pequena joia chamada Fleabag? Desenvolvido a partir de um monólogo criado pela fantástica Phoebe Waller-Bridge (e financiado através de crowdfunding), a série escrita e protagonizada por ela ganhou popularidade a partir do boca a boca do público e dos gritos dos críticos.

Aos poucos, Fleabag caiu nas graças da internet e chegou ao seu ápice ao ser eleita a Melhor Série de Comédia do Emmy e levando pra casa seis estatuetas, incluindo atriz principal de série cômica e roteiro de comédia, ambos para a própria Waller-Brigde.

Devidamente premiada e com a devoção das duas metades do bolo, era uma questão de tempo para algum grande estúdio acenar pra roteirista com um daqueles contratos milionários... e não demorou muito, na verdade. Pouquíssimas horas depois da premiação, a Amazon Studios anunciou um acordo SUBSTANCIAL para Waller-Bridge criar e produzir conteúdo original para estrear exclusivamente na Amazon Prime Video.

Em outras palavras: no tal do “overall deal”, Phoebe Waller-Bridge vai ganhar dinheiro pra criar coisas, ao contrário do que noooormalmente acontece, em que as pessoas criam coisas e tentam vender pros estúdios e, agora, serviços de streaming.

Fontes por dentro do acordo afirmam que o contrato gira em torno de US$ 20 milhões por ano.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Em um comunicado oficial bastante entusiasmado, Jennifer Salke, a principal cabeça da Amazon Studios, afirmou que eles estão “emocionados” por continuar a parceria de sucesso com Phoebe. “Como evidente em seu grande sucesso no Emmy Awards desta semana, ela é inteligente, brilhante, generosa e virtuosa em várias frentes, incluindo escrever, atuar e produzir”, continuou.

O comunicado também frisou a importância de Fleabag para o serviço de streaming e afirmou que estão empolgados com o que sairá da mente da roteirista — que, obviamente, também comentou no comunicado que está animada para continuar seu relacionamento com a Amazon.

Com o fim de Fleabag (sim, realmente acabou...), a voz da L3-37 em Han Solo: Uma História Star Wars tem uma agenda bastante interessante e diversificada. Além do merecido novo contrato milionário com a Amazon Studios, a roteirista e produtora é uma das escritoras de No Time To Die, o 25º filme de James Bond – ela é apenas a segunda mulher na história da franquia a ser creditada como roteirista e dizem que sua contratação foi um pedido direto de Daniel Craig.

Para a televisão, Waller-Bridge está produzindo e atuará no thriller / comédia romântica Run, que estreará na HBO em 2019 e contará com Merritt Wever e Domhnall Gleeson, e ainda é a criadora de Killing Eve, sendo a roteirista e showrunner de toda a primeira temporada.

Depois de ganhar o Emmy de “Melhor Atriz em Série Limitada” por Fosse/Vernon, Michelle Williams comentou na coletiva de imprensa que todas as ótimas críticas que recebeu durante sua carreira nunca se tornaram “dinheiro para aposentadoria” e é fantástico ver uma mulher ganhar um reconhecimento FINANCEIRO da indústria.

Claro que ganhar prêmios e ter ótimas críticas pelo seu trabalho é incrível, mas também é ótimo RECEBER corretamente por esses trabalhos. Quando o óbvio talento de alguém como Williams ou a própria Bridge não se torna retorno financeiro, alguma coisa está errada aí e tal diversidade vira apenas uma palavra bonita pra colocar nos comunicados à imprensa...