Tony Hawk não teve a chance de conhecer os Looney Tunes... Mas Axl Rose teve. | JUDAO.com.br

E, com essa headline, começamos oficialmente o ano de 2019 aqui no JUDAO.com.br. De nada. ;D

Houve uma época na cultura pop em que o skate dominava todas as plataformas. Na música, Avril Lavigne falava sobre aquele garoto skatista que não era bom o suficiente pra uma garota e seus amigos, especialmente por conta das roupas largas demais que ele usava; nos videogames, Street Sk8er, do PlayStation 1, se tornava o segundo melhor jogo de esportes já produzido na história, atrás apenas de California Games; e, nos filmes, bem... Era mais uma época de PATINS.

Mas tinha um skatista profissional chamado Tony Hawk que, por acaso, estrelava uma série de jogos que nunca foi nem 1/8 do que Street Sk8r era e... agora que eu percebi que falando desse jeito do Tony Hawk, enquanto absurdo (não dos jogos, isso é totalmente verdade), parece fazer sentido porque eu sei lá se a molecada de hoje em dia sabe quem é o cara. MAS DIVAGO: o ponto é que, em 2003, quase que a gente teve uma versão SK8 OR DIE de Space Jam. Ou... Skate Jam.

Diz o próprio Antônio Falcão, no seu Twitter: “me convocaram pra uma reunião com a Warner sobre fazer um filme que poderia ser chamado de ‘Skate Jam’. Eles tavam levando os Looney Tunes de volta pros cinemas com ‘De Volta à Ação’ e queriam começar meu projeto imediatamente. Uma semana depois, ‘De Volta à Ação’ flopou e ‘Skate Jam’ foi engavetado pra sempre”.

É óbvio que De Volta à Ação não deu certo porque quem se importava com aquele elenco, naquela época, com aquela história? Não era como se os maiores nomes de um dos esportes mais populares do Mundo estivessem enfrentando uns desenhos animados, afinal. Porque, em termos de qualidade de filme, não é como se houvesse tanta diferença assim, né?

Talvez Skate Jam devesse ter sido a primeira opção. Dá pra imaginar até toda uma Olimpíada envolvendo os maiores nomes dos esportes mais populares do mundo enfrentando desenhos animados. Seria um monte de remake, uma hora cansaria, mas teria dado MUITO mais certo que um filme estrelado pro Jenna Elfman e Brendan Fraser.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

O que importa agora é que, no meio desse ano, um novo Space Jam começa a ser gravado. Estrelado por LeBron James, o filme será produzido por Ryan Coogler e a SpringHill Entertainment, produtora do próprio LeBron, que tem uma porrada de projetos engatilhados. Pelos nomes envolvidos, é bem capaz que o filme seja bem melhor que o de 1996. E aí, se forem fazer de algum outro esporte no futuro... Eu só espero que não coloquem o Neymar pra estrelar um de futebol. A gente já viu ele atuando, tanto dentro quanto fora do campo, e sabemos como termina. :P

EM NOTÍCIAS RELACIONADAS, >em 2019 chegaremos aos Chinese Democracy, o que significa que o último disco do Guns N’ Roses já tem de estrada quase o mesmo tempo que teve de produção e isso é MUITO bizarro — só não mais bizarra do que essa nova persona do Axl Rose, certinha pra caralho, que o fez lançar uma música inédita... num episódio de New Looney Tunes, que retorna agora em 2019.

Sim.

Será que vai ter gente reclamando da infantilização do Axl Rose? Que agora ele aparece todo vestido, em relação aos shorts de lycra e nada mais que usava nos anos noventa? A ver.

E então que parece que NÃO vai mais ter Billie Eilish no #Lolla. Mas também parece que vai ter Billie Eilish no Brasil SIM, sozinha, em "locais grandes". https://t.co/dRXQ1s2KTW