Na Comic-Con, a Marvel Studios se diverte | Judão

Lupita não vê a hora de chutar bundas, Thor foi morar na Austrália, Peter Parker sobrevive ao colégio, Kurt Russell tem um pênis e a Brie Larson é a Capitã Marvel. Assista ao vídeo e leia nossa reportagem direto do Hall H da San Diego Comic-Con 2016!

Se Marvel ou DC venceram a San Diego Comic-Con em 2016 só resolveremos durante a estreia d’O Asterisco, nosso talk show AO VIVO, que acontece todas as segundas, a partir das 19h.

Enquanto a Warner LITERALMENTE entregou, especialmente praqueles que pelas mais diversas razões não estavam dentro do Hall H durante mais aquela manhã quente em San Diego, a Marvel Studios nos deu histórias.

Kevin Feige assumiu o palco depois da revelação do novo logo do estúdio, com música composta por Michael Giacchino, que estava lá na platéia e recebeu muitos aplausos de aprovação. Ele explicou a ausência da Marvel na Comic-Con do ano passado afirmando que eles só aparecem quando têm muito o que mostrar e, olha, ele não tava exagerando.

O diretor Ryan Coogler e o elenco de Pantera Negra não tinham muito o que mostrar, já que as filmagens só começam em Janeiro do ano que vem, mas Chadwick Boseman (T’Challa), Lupita Nyong’o (Nakia), Michael B. Jordan (Erik Killmonger) e Danai Gurira (Okoye) afirmaram estar prontos pra tudo. “Não vejo a hora de chutar algumas bundas” afirmou a Lupita.

Elenco de Pantera Negra na Comic-Con (Foto: Henrique Landim / JUDAO.com.br)

Elenco de Pantera Negra na Comic-Con (Foto: Henrique Landim / JUDAO.com.br)

Thor: Ragnarok também não tinha o que mostrar porque as filmagens estão no início, mas o diretor Taika Waititi chamou um vídeo para nos mostrar o que Thor estava fazendo durante Guerra Civil — uma espécie de documentário, uma mistura de O que Nós Fizemos nas Sombras, filme que ele mesmo dirigiu, e The Office, só pra vocês entenderem. Nele Thor aparece de roupão, dizendo que foi pra Austrália e que está dividindo uma casa com um cara chamado Darryl, porque ele quer ficar mais entre os humanos e aprender como é ter uma vida de terráqueo. O vídeo foi bem engraçado: mostrou o filho de Odin tentando juntar pistas para investigar as Joias do Infinito, ele perturbando o Darryl no trabalho, pedindo para ele enviar emails pro Tony Stark e pro Steve Rogers… até visita de Bruce Banner ele recebe!

Foram ainda exibidas algumas imagens da produção de Ragnarok, que mostram Loki numa roupa nova, Hulk Gladiador, a personagem de Cate Blanchett, Hela, e termina com Hulk voando em direção de Surtur – e enquanto o público ainda aplaude... POOF. Fica tudo escuro.

As cortinas das laterais se recolhem e revelam os mesmos telões usados mais cedo pro painel da Warner, com a diferença de que agora TODO o Hall H tá coberto de telas e uma cortina de fumaça que não me deixou enxergar nem um palmo a minha frente veio junto. Luzes vermelhas/laranjas/sei lá mais fortes e algo meio espacial começou a aparecer pelas telas, com uma música tensa. Na tela central surgiu o símbolo do Doutor Estranho, o público grita enlouquecido, as luzes se acendem e ninguém menos que Benedict Cumberbatch está no meio de nós! O diretor Scott Derrickson se junta à ele e convida o resto do elenco: Tilda Swinton, Rachel McAdams, Chiwetel Ejiofor, Mads Mikkelsen e Benedict Wong. Após uma breve conversa — com comentários sobre a história de “white washing” sendo exatamente iguais às declarações oficiais do estúdio meses antes — Derrickson nos mostra a cena em que Strange conhece a Anciã pela primeira vez, o que a gente já tinha visto, em versão resumida, no primeiro trailer do filme. Sabe, o soco que ela dá no peito do cara? “Por um momento você entrou na Dimensão Astral, um lugar onde a alma existe sem o corpo”. Ela o manda abrir os olhos e em seguida o envia para outra dimensão. Quando volta, Strange está de joelhos e diz assustado: “me ensine”.

O clipe emendou com um novo trailer, enquanto os atores ficaram ali em cima do palco rindo à toa, super felizes com a recepção da galera. O filme pareceu bem maluco, com uma estética foda e me deixou no mínimo curiosa pra conhecer mais desse universo estranho (sim, trocadilho péssimo, mas necessário).

Enquanto Feige fala sobre quanto o universo dos quadrinhos pode ser diverso e diferente, uma musiquinha bem conhecida começa a tocar de fundo. “Faz que bate só apanha...” e o logo de Homem-Aranha: Homecoming, seguido de cenas de Guerra Civil, foram exibidas no telão. AI PAPAI! Eu gritei, confesso. Gritei mais ainda quando Tom Holland apareceu no palco porque ele é a coisa mais fofa do mundo e estava que nem pinto no lixo em cima daquele palco. O diretor Jon Watts veio logo depois, e Feige agradeceu a Amy Pascal da Sony por “fazer isso acontecer, porque colocando tudo de lado, isso era o melhor para o Homem-Aranha”.

Watts comentou que “esse é o filme mais pé no chão do MCU, porque já conhecemos um bilionário, um deus… e ele (aponta pra Holland) é um adolescente, recém saído da puberdade, que ainda tá na escola”, e aproveitando esse gancho, vemos primeiras imagens do filme e é justamente a vida de Peter Parker no ensino médio.

O vídeo começa mostrando um yearbook, com fotos de outros heróis da Marvel quando adolescentes, ao som de Bad Reputation, de Joan Jett. Quando a música termina, vemos Peter numa aula de física, não prestando a menor atenção, distraído no YouTube, vendo um vídeo de sua participação lá naquela briga que rolou em Guerra Civil. A professora dá uma pequena bronca, e Peter logo se mostra o nerd que nem precisa olhar pro quadro pra já saber a resposta.

É nossa hora que descobrimos que Tony Revolori interpretará Flash Thompson :)

Na hora do intervalo, Peter e Ned Leeds nem ligam pra comida porque estão distraídos olhando pras meninas, e a personagem de Zendaya zoa da cara deles. Em sua próxima aula, Peter está novamente distraído e toma outra bronca, mas dessa vez porque estava produzindo suas teias, dentro da gaveta de sua mesa. Durante a educação-física, Peter escuta três meninas brincando de Fuck, Marry, Kill com os Vingadores quando uma pergunta “e o Homem-Aranha?” e Peter já fica na butuca! Por último, vemos Peter olhando para o telefone e dizendo que precisa sair (ele está no meio de um trabalho em grupo) e Zendaya pergunta: “onde você tá indo? O que você tá escondendo, Peter?” e em seguida vemos algumas imagens de Peter correndo por um corredor, abrindo a camisa (aqui ele está de terno e gravata, o que me leva a crer que estava no meio de um baile de Homecoming, fazendo ligação com o nome do filme. Tadá!) e revelando seu uniforme. Também vemos o Homem-Aranha correndo, de mochila nas costas, em cima de um caminhão tanque, e Peter se escondendo embaixo de uma mesa, mas grudado a ela. O vídeo termina com Zendaya dizendo: “brincadeira. Na real, eu não me importo”, e vem o Abutre caindo em direção à camera e abrindo suas asas.

Tom Holland levanta do chão (ele tava deitado no palco, assistindo ao vídeo no telão), pulando de alegria, dizendo que não tinha visto àquelas cenas ainda e que estava super empolgado, vibrando com o público que vibrava com ele! Tava tudo um amor só. <3

James Gunn, o diretor mais carismático da galáxia (tô cheia dos trocadalhos hoje), subiu ao palco gritando bagarai, ao que o Hall H responde gritando ainda mais alto. “Essa é nossa casa! Eu amo tanto vocês”, Gunn declara. Nisso uma confusão começa no meio da platéia e Ravagers aparecem rindo e gerando o caos, liderados por Taserface (Chris Sullivan). James Gunn tenta expulsá-los e explicar que aquilo ali era pras estrelas do filme, mas eles não estão nem aí: Taserface, Kraglin (Sean Gunn) e companhia sentam nas cadeiras, ficam zoando a galera que dormiu na fila só pra poder estar ali, falam mal de Yondu e soam exatamente como uma galera que comenta na nossa página do Facebook.

Chris Pratt (Starlord) é chamado ao palco e na entrada ele e Taserface têm um pequeno impasse – que se você segue o JUDÃO no Snapchat deve ter visto na hora que aconteceu. Também vieram Zoe Saldana (Gamora), Karen Gillan (Nebula), Dave Bautista (Drax,), Pom Klementieff (Mantis) (“ela não parece verde pra mim. #NãoÉMinhaMantis”, disse Taserface), Elizabeth Debiki (Ayesha) e Kurt Russel, o único que deixou os Ravagers felizes.

Na cena que foi exibida, Rocket e Yondu são jogados numa cela, onde passarão a noite antes de serem entregues aos Kree. Eles também estão com o Baby Groot, mas resolvem não prendê-lo porque ele é muito fofinho (demais até, eu diria), e o colocam numa roupa de Ravager e o fazem lutar contra um bicho, e Groot aparece tristinho, com os olhos esbugalhados. A noite ele volta para ver Rocket e Yondu tenta pedir sua ajuda, explicando que tem uma espécie de barbatana vermelha que ele usa na cabeça que ele precisa e a cena corta com Groot chegando de mansinho no quarto onde os Ravagers estão dormindo. Groot vai e volta, e pra frustração de Yondu e Rocket, trazendo os mais diferentes objetos: uma cueca, um dedão, um olho mecânico (esse Rocket diz pra ele não levar de volta porque vai ser hilário ver o cara acordar sem saber onde diabos seu olho foi parar), e uma mesa.

Foto: Derek Miranda / JUDAO.com.br

Foto: Derek Miranda / JUDAO.com.br

Quando finalmente Groot acerta, Yondu coloca sua barbatana na cabeça e pega de volta sua flechinha marota. Ao som de “Come a Little Bit Closer”, de Jay and the Americans, Yondu, Rocket e Baby Groot andam em câmera-lenta pela nave, enquanto Yondu assobia para sua flecha e sai matando todo mundo. O vídeo termina com uma imagem de cima, mostrando corpos caídos por todos os lados e os três simplesmente saindo de cena.

O próprio Yondu (Michael Rooker) sobe ao palco, aos gritos da galera e desespero dos Ravegers ali presentes, que finalmente entendem o recado e resolvem sumir. Gunn fala da pressão que é fazer a sequência, já que agora esse é um filme que todo mundo quer ver. Pratt conta que Starlord agora é famoso pelas galáxias e o filme se passa apenas alguns meses depois do primeiro. Zoe diz que os Guardiões estarão duas vezes mais divertidos que o primeiro, são uns puta malucos e que Gamora tem que ficar que nem uma velha, tentando manter a galera no eixo.

Perguntado sobre a inocência de seu personagem e se ele já vai estar mais esperto pra entender ironias e metáforas, Bautista diz que o Drax tá é ainda mais confuso. Karen Gillan estava feliz porque agora não rasparam sua cabeça (“finalmente eu pareço uma mulher, e não um longo bebê”) e Pom apenas contou que Mantis vive com o personagem de Kurt Russel. Sobre Ayesha, Elizabeth Debiki contou que as coisas ficam meio azedas quando ela pede ajuda pros Guardiões e Russel se limitou a dizer que estava impressionado em ver que suas colegas de trabalho eram lindas, já que durante as gravações ele as via apenas cobertas de maquiagem alienígena.

Tá tudo muito bom, tudo muito lindo, mas assim como a galera que dormiu na fila para lotar o Hall H, Chris Pratt pede mais vídeo. E sabem como é: Starlord pediu, Starlord recebe. Temos um trailer!

“Sim, Drax, eu tenho um pênis. E não é nada mal”

Nele os Guardiões estão em cima de uma torre, à caça de uma criatura e Gamora aparece segurando uma arma. “Isso é um rifle?”, pergunta Starlord. Gamora olha pra ele sem paciência e diz que eles estão a ponto de enfrentar uma criatura imensa e pergunta se ele achou mesmo que ela só ia correr em direção do bicho e espetá-lo. “Eu só achei que sua coisa era a espada”, diz Quill. “Não olha pra mim como se eu fosse um idiota. Você é que está sendo inconsistente!” Em outra cena, vemos os dourados Sovereigns, liderados por Ayesha. Rocket olha em volta e diz: “me disseram que vocês eram uns idiotas pretenciosos, mas isso não é verdade”, pro desespero de Gamora e Quill.

Starlord, Rocket Racoon e Drax aparecem em uma floresta; Starlord chama Rocket de guaxinim e ele não gosta nada disso! Peter se corrige: “desculpa! Eu quis dizer panda de lixo!”. “Isso é melhor?”, pergunta Rocket à Drax. “Acho que sim”, Drax olha pra Peter, que cai na gargalhada e diz baixinho: “Não! É ainda pior!”

Eles aparecem lutando, tiros por todos os lados, Baby Groot no ombro de seu amigo Rocket, SYLVESTER STALONE, uma nave pousa e… somos apresentados ao personagem de Kurt Russel, Ego, que revela ser pai de Peter Quill. Ao lado de Mantis, ele explica que queria saber como era viver feito um humano e que por isso criou um ser que ele achou que mais se aproximava de um homem. “Você tem um pênis?”, pergunta Drax. Peter tenta calar o amigo e diz que não quer saber como seus pais fizeram sexo, mas Ego vai em frente e responde: “Sim, Drax, eu tenho um pênis. E não é nada mal”. O vídeo termina mostrando a Mix Tape vol. 2, ao som de “The Chain”, de Fleetwood Mac.

James Gunn, depois, afirmou no seu Facebook que eventualmente todas essas cenas serão divulgadas para o público, MAS, como estão num estágio muito inicial de pós-produção (e ele é perfeccionista), prefere que as imagens fiquem mesmo só pro Hall H, ao menos inicialmente. Oh well.

O painel da Marvel termina como sempre: aquela bagunça em cima do palco, onde todos os atores sobem ao palco pra fazer festa, dar abraços e tirar fotos. Mas Feige lembra que tem mais uma coisa pra contar: temos nossa Capitã Marvel! Ele convida Brie Larson pra festa, que é recebida por gritos histéricos de aprovação das milhares de pessoas ali presentes.

No fim, recebemos um boné com a nova logo da Marvel – talvez pra ajudar a manter nossos cérebros explodidos dentro da cabeça, porque olha… saí de lá feliz da vida, dançando pelo Hall H ao som de Jackson 5, no melhor estilo Baby Groot. <3