O ritmo e o flow do Netflix não vão mudar (por enquanto) | JUDAO.com.br

Sim, teremos um reality show que durará três semanas (e dez episódios), mas nada além disso. Não é o modus operandi do serviço de streaming. Já o Disney+, porém…

O site da revista Complex (que eu confesso que nem sei se ainda é uma revista), nessa última terça (03), publicou uma matéria sobre a decisão do Netflix de passar a lançar séries como, bem... séries — aquele lance de um episódio de por semana, o completo oposto do que o serviço de streaming de Los Gatos se tornou conhecido por fazer. “Múltiplas séries do Netflix vão agora ter episódios semanais, ao invés de todos de uma vez” diz a manchete.

Pois bem... Não é bem assim.

No twitter, em resposta à publicação do link, o Netflix afirmou que isso só está acontecendo de fato com Rhythm + Flow, reality show musical focado no hip hop, produzido por John Legend e apresentado por Chance the Rapper, Cardi B e Tip “T.I.” Harris. Nas redes sociais, site oficial e teaser da série, divulgado no início dessa semana e que não ganhou versão em português, a ideia de um “evento de três semanas” é destacada como a grande novidade — o que, de acordo com o próprio Netflix, é só uma ideia pra evitar que descubram logo o vencedor.

Pra começo de conversa, a primeira temporada terá dez episódios. Se tratando de um evento de três semanas, a ideia de “episódios semanais” deixa de existir bem fácil e mostra que o Netflix não tá se arriscando taaaanto assim.

Ajude o JUDAO.com.br continuar desafiando a cultura pop. Assine!
A partir de R$5 por mês.

Toda a ideia do “bing watching”, das maratonas, é a base do modelo de negócios do serviço. Lançando uma nova série / temporada por semana, por exemplo, isso prende as pessoas dentro da plataforma por muito mais tempo do que faria lançando um ou outro episódio. No caso de Rhythm + Flow, dividindo dez episódios em três semanas, algo muito próximo de uma maratona vai acontecer, especialmente pra quem não assiste no dia exato do lançamento; pra quem assiste, a chance de comentar tudo “ao vivo” nas redes sociais se torna real e, eu arrisco, o Netflix ficaria beeeem feliz com isso.

“Ah, mas e Great British Baking Show?”, reality show culinário citado na matéria? Bem, mais uma vez o twitter do Netflix explica: “o lançamento semanal de títulos licenciados não é novidade”. De fato não é: The Good Place, Raio Negro e Star Trek Discovery, por exemplo, têm episódios lançados semanalmente — de acordo com o lançamento original, lá fora, na TV e em outros serviços de streaming. E deve ter muito mais, apesar de a assinatura de “Uma série original Netflix” muitas vezes enganar quem assiste.

Em compensação, ali do outro lado da cerca, o Disney+ resolveu anunciar oficialmente que, ali sim, as séries terão episódios lançados semanalmente a partir do dia 12 de Novembro, quando entrar no ar. E a ideia não poderia ser mais correta e fazer mais sentido: em se tratando de algo novo, com propriedades de Star Wars e Marvel Studios, despejar tudo de uma vez não faria muito bem pra construção de uma base de assinantes.

Além disso, aquela ideia de comentários ao vivo também parece bastante atrativa. Imagina as pessoas, por semanas, comentando os últimos acontecimentos da Marvel e Star Wars? Sim, eu sei, parece um dia como qualquer outro ultimamente, mas todo o senso de comunidade — o mesmo que ajudou Game of Thrones ser o que é — poderá fazer mais do que bem para os negócios.

Isso sem contar que, como psicólogos já afirmaram, a ideia de binge watching é ótima naqueles primeiros momentos, de euforia e excitação, mas não demora muito até que se esqueça que uma série foi lançada.

Pessoalmente falando (e repetindo o que dissemos na última edição do nosso ZAPTERISCO), eu prefiro muito mais não me sentir obrigado, por qualquer motivo que seja, a assistir a uma série inteira em poucas horas. A ideia de episódios semanais me atrai justamente porque eu posso criar uma rotina de longo prazo e, além disso, os roteiros costumam ser INFINITAMENTE melhores.

Mas esse sou eu. E você?