Tá na hora de ligar a luz laranja, DC Comics | Judão

Marvel Comics massacra a Distinta Concorrência, emplaca todos os 10 gibis mais vendidos e fica com quase 50% do mercado em outubro. Tem algo errado aí, DC…

Há alguns meses surgiram boatos de que a DC Comics estaria em meio uma crise financeira, sem conseguir atingir os resultados esperados de renda líquida. A editora não demorou pra colocar seus porta-vozes na imprensa pra falar que tava tudo bem, tudo de boa. Só que os números das vendas em outubro estão contando outra história.

A Diamond, que tem o monopólio da distribuição de revistas para o mercado direito (aka comic shops), informa que a Marvel venceu de LAVAGEM a Distinta Concorrência. Em revistas vendidas, a Casa das Ideias abocanhou 48,26% do mercado, contra 22,96%. Em dólares arrecadados, a diferença foi um pouco menor: 43,65% contra 21,85%. Uma vitória esmagadora.

O que ajudou a Marvel foi o relançamento de suas principais publicações, na chamada All-New Marvel, e a reta final do crossover Secret Wars. Tanto é que o Top 10 de gibis mais vendidos TODAS as revistas são da Casa das Ideias, incluindo os relançamentos Invincible Iron Man #1, Amazing Spider-Man #1 e #2, Spider-Gwen #1, Doctor Strange #1 e Guardians of the Galaxy #1, além de Secret Wars #6. Mas não foi só isso.

A Marvel teve também a grande ajuda de Star Wars. A edição número 10 do gibi principal da saga ficou entre os mais vendidos, além de Chewbacca #1 e Shattered Empire #2 – que funciona de ponte entre a trilogia de filmes clássica e O Despertar da Força. No geral, a saga criada por George Lucas já corresponde a uma interessante parte das vendas, inclusive nos encadernados, já que os dois mais vendidos vêm dela.

Spider-Gwen já é um CASE de sucesso

Spider-Gwen já é um CASE de sucesso

Pra você ter uma ideia do que tudo isso representa, a última vez que algo parecido aconteceu foi em outubro de 2011, há quatro anos, após a DC zerar a cronologia e trazer novos leitores. Naquela época foi a DC que ficou na frente, vendendo 20% a mais em unidades que a Marvel, mas com preços de capa de forma geral bem mais baixos que a concorrente – que, ainda assim, emplacou três HQs entre as mais vendidas. Nos dólares arrecadados, que é o que conta pro BALANÇO, foi 42% contra 29% à favor da DC. Ou seja, uma diferença bem menor do que a de agora.

Não colou...

Não colou...

Até que a DC vem tentando fazer o seu trabalho nesses últimos meses. No meio do ano foi lançado o DC You, novo momento das revistas mensais com mais diversidade de temas e personagens, além de tentar fazer um Superman mais próximo dos leitores (o que não deu certo) e colocar Jim Gordon como o Batman, entre outras mudanças. Além disso, eles lançaram mais revistas que a Marvel no mês passado (112 entre graphic novels e gibis, contra 101 da Casa das Ideias).

Só que essas mudanças não estão se provando um sucesso. Mesmo o Batman, que está com ótimos roteiros do Scott Snyder e a arte incrível do Greg Capullo, ficou fora do Top 10. Quem, em SÃ CONSCIÊNCIA, poderia pensar numa lista de mais vendidos dos EUA SEM o Cavaleiro das Trevas? Pois é.

Não dá nem pra DC culpar uma crise ou contração de mercado. Nesse mesmo mês de outubro, todas as editoras juntas venderam 20% mais gibis do que em setembro – resultado turbinado justamente pelo relançamento da Marvel. Houve sim uma grande queda na venda de encadernados (-17,96% em unidades, -7,57% em dólares), mas é provável que isso tenha acontecido por não termos tido o lançamento de nenhum encadernado blockbuster como The Walking Dead (teve um Compendium, mas não conta muito) ou Saga (que vendeu o triplo do segundo colocado mês passado).

Ok, vai: quando comparamos outubro de 2015 com outubro de 2014, a queda parece mais expressiva. Parece, mas não é. Houve uma diminuição de 12% nas revistas vendidas, 15% nos encadernados, quase 10% em toda a grana arrecadada. Mas gibis são lançados nos EUA todas as quartas-feiras e outubro deste ano teve uma a menos em relação ao mesmo mês do ano passado. Tá tudo dentro do esperado em casos assim.

No geral, todo o mercado de quadrinhos dos EUA tá movimentando 5% a mais de dinheiro que no passado, mais de 30% quando comparamos com números de dez anos atrás. Tá todo mundo crescendo, menos a DC. Lembrando que sim, tem mercado de quadrinhos além dos comic shops, mas é lá ainda que representa boa parte do bolo, além de ser um retrato próximo do que acontece nos outros canais de venda (como livrarias e digital).

Dark Knight III: Master Race, que será lançado no final de novembro, continua sendo a grande aposta pra vendas avassaladoras neste final de ano, mas não é isso sozinho que salvará a DC. Tá na hora de voltar pra prancheta e entender o que a Marvel está fazendo certo.

Spider-Gwen DEVE ser um exemplo pra DC voltar a crescer

O próprio Top 10 de outubro já entrega algumas coisas. Spider-Gwen em 3º lugar, vendendo mais que Star Wars, é incrível, mostrando que essa fórmula de heroína interessante, ser novidade e com apelo com os mais jovens funciona pra caralho. Os filmes, sejam os novos de Guerra nas Estrelas e os próprios da Marvel Studios, também dão uma grande força. Afinal, qual outra explicação pra ver Guardiões da Galáxia e Doutor Estranho no Top 10?

Tá na hora de ligar a luz laranja, DC. Já passou da amarela. Sim, vocês já mostraram lá atrás que podem fazer o jogo virar a trazer não só os leitores da Marvel pra vocês, mas também colocar gente nova no mercado. Só que a bala do reboot já foi gasta nesta década – e o caminho usado ultimamente simplesmente não funcionou.

Esqueçam tudo o que vocês fizeram nos primeiros dez meses de 2015. Deu errado. Mas ainda dá tempo de voltar atrás e repensar o futuro. Ou torcer pro Zack Snyder e a galera dele acertarem a mão nos filmes...