Site pornô bloqueia acesso a estado com lei Anti-LGBT | JUDAO.com.br

Hollywood usou o dinheiro e conseguiu impedir que uma lei parecida fosse sancionada na Georgia. Será que a putaria vai salvar a North Carolina?

“Um grande homem disse que tudo na vida gira em torno do sexo, com exceção do sexo. Sexo tem a ver com poder” é a resposta de Frank Underwood à Zoe Barnes quando ela pergunta o que ele pensa quando ela está contra a parede, tentando entender por que ele exige uma trepada em troca de informação, ainda que ninguém ali sinta exatamente muito prazer com isso. O tal grande homem que disse aquilo seria Oscar Wilde, mas não há nenhuma prova de que foi ele mesmo... O que não importa. Eis aí uma grande verdade da vida.

Lembra daquela história de que Hollywood ABANDONARIA o estado da Georgia, caso uma lei Anti-Gay fosse sancionada pelo governador? Sabendo que poderia deixar de ganhar coisa pouca como US$ 940 Milhões, além de acabar com 23.000 empregos que geram cerca de US$ 1.3 Bilhão de salário por ano, o republicano Nathan Deal vetou a lei e, tirando o fato de que uma ideia dessa foi APROVADA pra começo de conversa, ficou tudo bem.

Uma lei parecida acabou sendo aprovada em outros Estados que não tinham muito a perder além de um senso básico de humanidade. No Mississipi, por exemplo, Bryan Adams cancelou um show afirmando que não poderia “tocar em um estado onde algumas pessoas têm seus direitos civis negados por conta de sua orientação sexual”. Em North Carolina, Bruce Springsteen tomou a mesma decisão e os organizadores do show, que teve todos os ingressos vendidos, já começaram a devolver o dinheiro. “É a maneira mais forte que eu tenho de levantar minha voz em oposição àqueles que continuam a nos empurrar pra trás, ao invés de pra frente”, disse The Boss, em um post no Facebook.

O PayPal resolveu não mais oferecer 400 vagas aos cidadãos de Charlotte, onde iria abrir um novo escritório, e 80 CEOs de várias empresas — entre elas Facebook, Apple, Google, Tumblr, Twitter, Airbnb — assinaram uma carta aberta ao Governador Pat McCrory pedindo para que ele voltasse atrás e vetasse a lei, ainda que não cogitem, inicialmente, nenhum tipo de ação caso não aconteça.

Além disso, Charles Barkley, um dos caras que teve seu talento roubado pelos Nerdlucks em Space Jam, se manifestou pedindo para que a NBA reconsidere a ideia de realizar o All-Star Game do ano que vem em Charlotte, a maior cidade do estado. Enquanto shows cancelados ESPALHAM A PALAVRA, uma organização como a NBA se posicionando e tirando todo um fim de semana de eventos da cidade poderia doer mais no bolso, o que já aprendemos que adianta.

XHamster

Mas o sexo, meus amigos... Na vida, tudo gira em torno do sexo. Exceto o sexo. Sexo tem a ver com poder. E você sabe, até mesmo o mais conservador e homofóbico honrado senhor gosta de uma putaria vez ou outra — mesmo que seja sozinho, na frente do computador. E é aí que essa história começa a ficar interessante: o XHamster, uma das maiores plataformas de streaming de pornografia, resolveu barrar os acessos vindos de North Carolina. E, de acordo com um porta-voz do site, em entrevista ao Huffington Post, “a julgar pelas estatísticas do que os North Carolinians assistem, acreditamos que essa punição seja bastante severa”.

Em números de Março: foram feitas 400.000 buscas pelo termo “Transsexual” e 319.000 por “Gay” no XHamster a partir de North Carolina, o estado que, além de permitir que homossexuais possam ser discriminados, também exige que transsexuais usem o banheiro de acordo com o gênero ASSINALADO na certidão de nascimento (como iriam fiscalizar isso eu não faço ideia, mas divago). “Nós passamos os últimos 50 anos lutando por igualdade para todos e essas leis são discriminatórias, o que o XHamster.com não tolera”, afirmou o porta-voz.

Claro que se trata de apenas UM site e que a internet, como tudo na vida, é sobre sexo. Mas o sexo sendo sobre poder... WHAT IF PornHub, XVideos, YouPorn, RedTube, Beeg, Brazzers, Bangbros, RealityKings e, enfim, os GRANDES PLAYERS dessa indústria resolvessem também bloquear o acesso?

Sexo é sobre poder, não? ;)

Já tem uma galera reclamando do bloqueio, mas esse é o tipo de coisa que a maior parte da população vai fingir que não existe... Pelo menos publicamente. Aguardemos novidades. :)